quinta-feira, 30 de outubro de 2003

LEITURA… e classes:

Estou a ler «A dramatização na Imprensa do PREC» (a) da autoria do jovem sociólogo Pedro Diniz de Sousa (Editorial Minerva Coimbra).

Retenho uma frase que acabei de ler: «… podemos pôr a hipótese de ser a dramatização um instrumento de trabalho dos intelectuais na tarefa de inculcar no proletariado a consciência de classe.»

Ela trouxe-me à ideia que muitos utilizam o chavão «o Povo sabe sempre o que quer» e apelidam mesmo de oportunistas as «vanguardas» e os intelectuais. Passados estes quase trinta anos de Democracia Portuguesa, sou no entanto levado a constatar que, efectivamente, não é fácil inculcar a consciência de classe nas camadas mais desfavorecidas da população. Só quando sentem o rabo a arder…
Chegada a data das eleições, são estas mesmas camadas que votam nas forças políticas que já se sabe de antemão quais os interesses que defendem e quais as leis que vão produzir em prejuízo dos trabalhadores mais desprotegidos.
A memória dos homens parece ser curta e, quando se aproximarem novas eleições, lá aparecerão os populistas e demagogos que farão com que o círculo vicioso continue…
Que fazer? Estaremos condenados a viver neste tipo de democracia que, apesar de tudo, como alguém disse (julgo que foi Churchill), ainda é o menos mau dos sistemas políticos?


(a) Processo Revolucionário Em Curso, Portugal, de 25 Abril 1974 a 11 Novembro 1975.

G. de S.


SE ALGUÉM TE PROCURAR...


Com frio... É porque tens o cobertor.
Com alegria... É porque tens o sorriso.
Com lágrimas... É porque tens o lenço.
Com versos... É porque tens a música.
Com dor... É porque tens o curativo.
Com palavras... É porque tens a audição.
Com fome... É porque tens o alimento.
Com beijos... É porque tens o mel.
Com dúvidas... É porque tens o caminho.
Com orquestras... É porque tens a festa.
Com desânimo... É porque tens o estímulo.
Com fantasias... É porque tens a realidade.
Com desespero... É porque tens a serenidade.
Com entusiasmo... É porque tens o brilho.
Com segredos... É porque tens a cumplicidade.
Com tumulto... É porque tens a calma.
Com confiança... É porque tens a força.
Com medo... É porque tens o amor!!!

(autor desconhecido)


PENSAMENTOS de origem desconhecida:


"Você pode até não ser ninguém para este mundo, mas é o
mundo para alguém...
"

"A gota não cava a pedra pela força mas por quedas
frequentes.
"

*************************************

gabrieldesousa@megamail.pt
PARA SORRIR:

Um jovem de cabelo comprido, senta-se no autocarro ao lado de uma freira excepcionalmente bela. Com a maior desfaçatez, pergunta se ela gostaria de ir para a cama com ele. A religiosa, surpresa, declina o convite e desce do autocarro na paragem seguinte. O motorista, que ouviu o diálogo, diz:
- Eu sei como você pode conquistar essa freira...
O passageiro fica curioso e o motorista dá a receita:
- Todas as quartas-feiras à noite ela vai ao cemitério rezar.
- Como você tem cabelo comprido e barba, vista uma túnica e cubra um pouco o rosto. Ela vai pensar que você é Jesus Cristo... E então, você ordena que ela faça sexo com você.
Na quarta-feira, lá estava o jovem esperando a freira. Assim que ela chega, ele salta de trás de um túmulo e diz:
- Eu sou Jesus! Ouvi suas preces e elas serão atendidas. Mas antes você vai ter de fazer sexo comigo!
A freira concorda, mas pede que não seja «sexo convencional», pois quer manter o voto de castidade. Assim que termina, o jovem não se contém, tira a túnica do rosto e diz:
- Hahahaha! Eu sou aquele jovem do autocarro!
Aí a freira tira o véu e diz:
- Hahahaha! E eu sou o motorista!

terça-feira, 28 de outubro de 2003

«AO ESTILO DE BRECHT…» :

Um rato, olhando pelo buraco na parede, vê o fazendeiro e sua esposa abrindo um pacote.
Pensou logo no tipo de comida que poderia haver ali. Ao descobrir que era uma ratoeira ficou aterrorizado.
Correu ao pátio da fazenda advertindo todos:
"Há uma ratoeira na casa, uma ratoeira na casa!"
A galinha disse:
"Desculpe-me Sr. Rato, eu entendo que isso seja um grande problema para o senhor, mas não me prejudica em nada, não me incomoda."
O rato foi até o porco e lhe disse:
"Há uma ratoeira na casa, uma ratoeira!"
"Desculpe-me Sr. Rato, disse o porco, mas não há nada que eu possa fazer, a não ser rezar. Fique tranquilo que o senhor será lembrado nas minhas orações."

O rato dirigiu-se então à vaca. Ela disse lhe:
"O quê, Sr. Rato? Uma ratoeira?
Por acaso estou em perigo? Acho que não!"

Então o rato voltou para a casa, cabisbaixo e abatido, para encarar a
ratoeira do fazendeiro.
Naquela noite ouviu-se um barulho, como o de uma ratoeira pegando sua vítima.
A mulher do fazendeiro correu para ver o que tinha acontecido. No escuro, ela não viu que a ratoeira tinha pegado a cauda de uma cobra venenosa. E a cobra picou a mulher...
O fazendeiro levou-a imediatamente ao hospital. Ela voltou com febre. Todo mundo sabe que para alimentar alguém com febre, nada melhor que uma canja de galinha…
O fazendeiro pegou seu cutelo e foi providenciar o ingrediente principal.
Como a doença da mulher continuava, os amigos e vizinhos vieram
visitá-la. Para alimentá-los o fazendeiro matou o porco. A mulher não melhorou e acabou morrendo.
Muita gente veio para o funeral. O fazendeiro então sacrificou a vaca,
para alimentar todo aquele povo.

Moral da história: Da próxima vez que você ouvir dizer que alguém está diante de um problema e acredite que o problema não lhe diz respeito, lembre-se que «quando há uma ratoeira na casa, toda a fazenda corre risco».
O problema de um é problema de todos.

(autor desconhecido)

**********************************
gabrieldesousa@megamail.pt

segunda-feira, 27 de outubro de 2003

CURIOSIDADES - «TE AMO» EM (QUASE) TODAS AS LÍNGUAS:

Africano - Ek het jou liefe
Albanês - Te dua
Alemão - Ich liebe dich
Alentejano - Gosto de ti, porra!
Amárico - Afekrishalehou
Árabe - Ana Behibak (para um homem)
Árabe - Ana Behibek (para uma mulher)
Bávaro - I mog di narrisch gern
Birmanês - Chit pa de
Boliviano - Qanta munani
Búlgaro - Obicham te
Cantonês - Moi oiy neya
Catalão - T'estim
Checo - Miluji te
Chinês - Ngo oi ney
Cingalês - Mama oyata adarei
Coreano - Tangsinul sarang ha yo
Corso - Ti tengu cara (para uma mulher)
Corso - Ti tengu caru (para um homem)
Croata - Ljubim te
Dinamarquês - Jeg elsker dig
Eslovaco - Lubim ta
Esloveno - Ljubim te
Espanhol - Te amo
Esperanto - Mi amas vin
Flamengo - Ik zie oe geerne
Filipino - Mahal ka ta
Finlandês - Mina rakastan sinua
Francês - Je t'aime
Francês Canadiano - Sh'teme (falado, tem este som)
Frisão - Ik hald fan dei
Gaélico - Tha gra agam ort
Grego - S'ayapo (diz-se s'agapo, a 3ª letra é a letra minúscula 'gamma')
Grego antigo - Ego philo su
Gronelandês - Asavakit
Havaiano - Aloha i'a au oe
Hebreu - Ani ohev otach (para uma mulher)
Hebreu - Ani ohevet otcha (para um homem)
Holandês - Ik hou van jou
Húngaro - Szeretlek
Iídiche - Ich han dich lib
Indonésio - Saya cinta padamu
Inglês - I love you
Iraniano - Mahn doostaht doh-rahm
Irlandês - Taim i' ngra leat
Islandês - Eg elska thig
Italiano - Ti amo
Japonês - Kimi o ai shiteru
Javanês - Kulo tresno
Jugoslavo - Ya te volim
Klingon* - Qabang
Latim - Vos amo
Latim antigo - Ego amo te
Letão - Es milu tevi
Libanês - Bahibak
Lisboeta - Gramo-te bué, chavalinha
Lituânio - Tave myliu
Macedoniano - Sakam te
Madrileno - Me molas, tronca
Malaio - Saya cintakan mu
Mandarim - Wo ai ni
Mohawk - Konoronhkwa
Norueguês - Eg elskar deg
Panjabi - Mai taunu pyar karda
Paquistanês - Mujhe tumse muhabbat hai
Persa - Tora dost daram
Polaco - Kocham cie
Português (Portugal) – Amo-te
Portuense - Amo-te, carago!
Queniano** - Tye-mela'ne
Romano - Te iu besc
Russo - Ya tebya liubliu
Sergipano - Gostchu muintchu
Sérvio - Ljubim te
Servo-Croata - Volim te
Sioux - Techihhila
Sírio/Libanês - Bhebbek (para uma mulher)
Sírio/Libanês - Bhebbak (para um homem)
Sueco - Jag alskar dig
Suíço/Alemão - Ch'ha di ga'rn
Tagalo - Mahal kita
Tailandês - Khao raak thoe
Taitiano - Ua here vau ia oe
Tâmil - nan unnaik kathalikkinren
Télego - Neenu ninnu pra'mistu'nnanu
Tunisino - Ha eh bak
Turco - Seni seviyorum
Ucraniano - Ja tebe kokhaju
Vietnamita - Em yeu anh (para um homem)
Vietnamita - Anh yeu em (para uma mulher)
Vulcan* - Wani ra yana ro aisha
Zulu - Mena tanda wena

* - falada na série Star Trek
** - linguagem dos Elfos

sábado, 25 de outubro de 2003

COISAS DO «ANTIGAMENTE»…


Notícia lida hoje, trouxe-me à memória algo de que nunca mais me tinha lembrado.
A utilização de isqueiro foi durante muitos anos passível de licença. Tratava-se, segundo se dizia, de uma medida para proteger a indústria fosforeira e para angariar mais uma verba para o Estado.
Havia fiscais e tudo… Eu fui multado uma vez à saída do Cinema Roma. Uma outra vez recebi só uma reprimenda, porque estava dentro do carro e a multa aplicava-se apenas à utilização na via pública. Julgo que era coisa única no mundo.

Mais antigo, mas ainda apanhei… Cuspir no chão era proibido por lei (talvez ainda em vigor). Em locais públicos viam-se escarradores, recipientes para «aliviar» os brônquios. Coerência e higiene de mãos dadas…



PARA SORRIR (ainda as crianças precoces):


Diz o pai para o filho:
- Filho, o que é que vais pedir ao Pai Natal?
- Um tampão!
- O que é isso?
- O que é não sei! Mas dá para correr, saltar, nadar e andar a cavalo!


Há um miúdo que vai à maternidade com o pai ver a irmã recém-nascida. Quando a vê, diz ao pai:
- Ó pai, temos que devolver a mana!
- Porquê, meu filho? - diz o pai.
- Olha! Tá rachada!...

Era um miúdo de 7 anos, que estava sempre a chatear os pais, porque queria saber como é que tinha nascido. Os pais para o despacharem, respondiam-lhe sempre:
- Olha, estás a ver aquele buraquinho no tecto? Foi por ali que tu nasceste.
O puto, enfim lá se calava e ia-se embora.
Um dia, numa chuvada torrencial, começou a chover dentro de casa através do buraco no tecto.
Como o tecto era muito alto, o homem pôs a mulher às cavalitas, para ela meter betume no buraco.
Entretanto toca o telefone, e dizem:
- Olha, eu queria falar com a tua mãe.
- A minha mãe agora não pode, está em cima do meu pai a tapar o buraco por onde eu nasci.


Domingo de sol. Filipe e Cristina tomam banho de mangueira no quintal, nus. Cansada de ver Filipe a brincar com o seu "brinquedo", Cristina diz:
- Filipe, também quero mexer no teu brinquedo!
Olhando desconfiado, Filipe responde:
- Nem penses! Já partiste o teu, agora queres partir o meu...

sexta-feira, 24 de outubro de 2003

PARA SORRIR ( crianças precoces ):


Duas garotas, uma com 5 anos e outra com 3. Diz a mais velha:
- Que nojo! Olha um preservativo na sarjeta.
- O que é uma sarjeta?



- Meu filho, já tens 11 anos, és um homenzinho; é bom que tenhamos uma conversa de homem para homem a respeito dessas coisas do sexo.
- Está bem Papá, que é que queres que eu te explique?



Estava uma garota a ver a mãe a dar mama ao irmão bebé e diz-lhe:
- Oh mãe sacode bem, senão fica o açúcar todo no fundo!


A Isabel casou-se e foi morar para o andar de cima, mas mesmo assim continuava a comer com os pais.
Certo dia a mãe chama a Isabel e ela:
- Já vou mãe, não demoro.
Diz o Xico (o irmão mais novo):
- Não demora não!... Eu sei o que é que eles estão a fazer.
A mãe:
- Deixa de ser parvo e cala-te! Isabel, anda p'ra mesa!
- Já vou mãe!
- Eheheh eu sei o que eles estão a fazer!
O puto leva um tabefe e cala-se.
Passado quase meia hora:
- Isabel, filha, despacha-te que a comida fica fria!
Diz a filha quase a chorar:
- Oh mãe já vou...
O Xico então desata-se a rir:
- Eu sei o que eles estão a fazer... A Isabel pediu-me o tubo da vaselina e eu dei-lhe o da cola!!!!


- Mãezinha... Pede à avó para me pôr a fazer xixi...
- Não é preciso filho, eu ponho!
- Nããããoo! Eu quero a avozinha!
- Mas porquê? Não é a mesma coisa?
- Não, a mão da avó treme muito mais...

***************************************************

gabrieldesousa@megamail.pt

quarta-feira, 22 de outubro de 2003

PARA SORRIR (anedotas sobre animais):


Dois meninos:
- Chiquinho, o que é uma lesma?
- É... É... Um caracol nudista!



Um homem, ao ver o gato do vizinho andar sempre de um lado para o outro, pergunta ao vizinho:
- Ó vizinho, o seu gato anda doente?
- Não! É que ele foi capado e agora anda a desmarcar compromissos!



Então e o Setter Irlandês?
Estava todo feliz numa esquina a roer um osso...
Quando se levantou só tinha 3 patas!


Iam uma LULA, e um ESPARGO na rua. O ESPARGO calca a LULA, e esta diz:
- Éspargo ou quê?
Diz o ESPARGO:
- Calula!


Um homem tinha uma tartaruga, e esta pede-lhe para a levar ao cinema. O homem assim faz mas, como não eram permitidos animais naquele cinema, mete a tartaruga dentro das calças. Para a tartaruga ver o filme, ele abre a braguilha e o animal põe a cabeça de fora.
Na cadeira ao lado diz ela, escandalizada:
- Oh Carlos, este gajo aqui ao lado tem a pila de fora!!!
- E daí? Cada um põe a pila como quer...
- Mas é que a dele está-me a comer as pipocas todas!


terça-feira, 21 de outubro de 2003

PARA SORRIR:


Porque é que as galinhas não têm maminhas?
- Porque os galos não têm mãozinhas!


Um cão vai de férias para o Algarve. Quando lá chega encontra um gato e, dirigindo-se a ele faz:
- Ão!!!
E o gato:
- Ão!!!
Pergunta o cão:
- Ão?! Mas tu não devias fazer Miau?!
Responde o gato:
- Sabes?! Aqui no Algarve, quem não sabe mais que uma língua está lixado!...


Um vitelo anda a pastar no campo. De repente encontra uma luva. O vitelo agarra na luva e vai a correr para a mãe:
- Mãe, Mãe, encontrei um soutien!


P: Qual é a semelhança entre um peixe e um pássaro?
R: Ambos voam, menos o peixe.


Um ladrão ia assaltar uma casa, quando viu na porta um cartaz:
CUIDADO COM O PAPAGAIO!
Entrou e viu o papagaio. Chegou-se ao pé dele e disse-lhe:
- Eh? É com isto que tenho de ter cuidado?
Começou a entrar na sala e foi então que ouviu:
- LADRÃO, PEGA REX ! PEGA REX !

domingo, 19 de outubro de 2003

ANEDOTAS AINDA SOBRE ANIMAIS:



- Dizes então que o teu cão é muito inteligente.
- Sim, sim, muitíssimo. Basta que lhe diga: vens ou não vens? E ele...vem...ou não vem!



- O meu cão perdigueiro é tão extraordinário que, a um quilómetro de distância, sabe logo que sou eu. Que me dizes a isto?
- Que te devias lavar mais vezes!



Um elefante pisa uma pulga. A pulga sai debaixo da pata do elefante, olha para ele refilando, e diz-lhe:
- Vê lá se gostavas que te fizesse o mesmo?


Estava um malandreco de Lisboa a apanhar a carreira 34 e, ao ver o autocarro cheio, pergunta ao motorista:
- Ó amigo, a Arca de Noé já está cheia?
- Não, não, falta o burro! Já podes entrar!
- Responde o motorista.


A primeira vez que uma minhoca viu um prato de esparguete, exclamou excitada:
- Ena, que grande bacanal!


**********************************************

Isto é só para manter o contacto... Brevemente voltarei a escrever mais sério...

gabrieldesousa@megamail.pt

sexta-feira, 17 de outubro de 2003

ANEDOTAS SOBRE ANIMAIS:


Certo dia, de manhã, um galo desconfiado entra na capoeira e começa a partir os ovos todos, até que parte o bico num, por este ser de barro. Vira-se para a galinha e diz:
- Com que então, andaste a passar umas noitadas com o galo de Barcelos!


Uma mosca vai a um restaurante e pergunta: - Qual é o prato do dia?
Ao que responde o empregado – É arroz com caca!
A mosca muito enjoada diz: - Arroz, outra vez?!


Estavam duas moscas em cima de um monte de merda, e vira-se uma para a outra:
- Olha, acabei agora mesmo de me lembrar de uma anedota!
- Só espero é que não seja umas dessas porcas que eu agora estou a comer!


Iam duas moscas numa mota. Diz a mosca de trás para a mosca da frente:
- Ó pá, pára aí que entrou-me um mosquito para o olho!...


Dois morcegos estavam a falar um com o outro:
-Vou sair à procura de sangue OK?
-OK. Mas eu fico por aqui!
E lá foi o morcego todo sorridente. Alguns minutos depois volta com a cara toda cheia de sangue e também partes do corpo; o outro rapidamente se interessa:
-Hei que espectáculo! Onde é que conseguiste tanto sangue assim?
-Simples, estás a ver aquela árvore ali à esquerda?
-Sim.
-E estás a ver a outra ali mais à direita?
-Sim, estou a ver.
-E aquela ali, bem no meio das outras duas?
-Sim, também estou a ver.
-Pois… Eu é que NÃO VI!

terça-feira, 14 de outubro de 2003

INTERVALO PARA SORRIR:


Estavam duas vacas a pastar num prado. De repente vira-se uma para a outra e diz:
- Muuuummmmmm!
E diz a outra:
- Tiraste-me as palavras da boca.


- Sabem onde é que um elefante se esconde bem?
Atrás de um morango!
- Já viste algum elefante atrás de um morango?
Não?!
Estás a ver como ele se esconde bem!


- Sabes de onde se extrai a pura lã virgem????
- Das ovelhas que correm mais que o pastor!


Redacção sobre a vaca e a sua utilidade:
« A vaca tem quatro partes: a dianteira, a traseira e depois o rabo, que acaba nos pelos.
Debaixo da vaca, está a leiteira.
Com o rabo, enxota as moscas que a picam.
O marido da vaca chama-se boi. Não dá leite. Por isso, não é mamífero.
Dos chifres da vaca, fazem-se pérolas e pentes.
A vaca é muito útil: come-se por dentro e bebe-se por fora.
».


Um caracol ia a atravessar a estrada e foi atropelado por uma tartaruga.
Quando acordou nas urgências do hospital, perguntaram-lhe o que é que lhe tinha acontecido:
- Como é que quer que eu saiba?!?!? Foi tudo tão depressa!!!!!

segunda-feira, 13 de outubro de 2003

PARA SORRIR (parece que faz bem ao fígado) :

Um viajante, ao passar por uma casa de modas, resolve comprar um presente para a sua namorada. Na loja, ele escolhe um finíssimo par de luvas e pede à empregada para embrulhar como presente. Esta, porém, cometendo um engano embrulha umas cuequinhas de nylon. O viajante sem tomar conhecimento do engano, manda o pacote com a seguinte carta:
«Brasília, 30 de Outubro de 1986
Querida:
Sabendo que amanhã é seu aniversário, envio-lhe esta surpresa, mesmo sabendo que não usas, pois sempre saímos juntos e nunca vi.
Gostaria de estar aí para ajudá-la a vestir. Fiquei em dúvida quanto à cor, mas a empregada disse que esta não descora nem mancha, ela experimentou para que eu visse e ficou muito bem. É um pouco larga na frente, mas ela disse que é para os dedos mexerem mais à vontade e a mão entrar mais facilmente. Depois de usá-la, vire do avesso e ponha um pouco de talco, para evitar o mau cheiro. Espero que fique tão satisfeita quanto eu, pois ela irá cobrir aquilo que em breve te pedirei.
Seu eterno amor.»
.


Um assaltante principiante vai assaltar um banco.
Entra e abre o 1º cofre...
1º Cofre:
- O quê??? Um iogurte? GLup, glup, glup. Bem, vou continuar em busca do dinheiro.
2º Cofre:
- Outro iogurte??? Glup, glup...
3ºCofre:
- Já estou farto de iogurtes. Vou-me embora...
Ao sair o assaltante lê: BANCO DE ESPERMA!


Um tipo para outro:
-Ganhei um relógio numa corrida.
-Contra quem?
-O dono e três policias.

Depois de um dia inteiro de caminhada, o caçador e o seu guia chegam finalmente ao pico da montanha. À noite, em torno da fogueira, os dois conversam:
- Sabe, Ramiro, você é um grande guia e me inspira total confiança, mas fico pensando uma coisa: se por acaso eu sofresse algum acidente ou ficasse doente, como você faria para me levar de volta para a cidade, eu com os meus 90 quilos.
- Nenhum problema, patrão. No ano passado, desci sozinho esta montanha levando às costas um javali de quase 200 quilos.
- Duzentos quilos? Sozinho? Como você fez isso?
- Umas dez viagens, patrão.


O Manuel vai trabalhar de mordomo:
- Acorda patrão! Acorda!
- O que foi? O que foi?
- Está na hora do senhoire tomar o remédio para durmire...


O Manuel se emprega como ajudante numa oficina mecânica. O dono chama-o para a primeira tarefa:
- Estou concertando o pisca-pisca deste carro. Vai lá atrás e me diz se está funcionando.
E o Manuel, olhando com atenção para a lanterna traseira, diz:
- Tá funcionando, não tá funcionando, tá funcionando, não tá funcionando...

sábado, 11 de outubro de 2003

A AMPULHETA DA VIDA

Como passa depressa o tempo! - Ainda «ontem» César era um menino de calções, ansiando pelo momento de entrar para a escola. Em breve, desejaria ser adolescente para ter mais «liberdade» e (que ambição!) ter a chave de casa. E, cada vez mais, queria que a vida andasse depressa: a maioridade, a carta de condução, a faculdade, o serviço militar… Namorar, casar e ter filhos. Ter uma casa só sua, um bom emprego. Subir na carreira. Ter muitos amigos.
E assim tudo foi acontecendo. Vieram os trinta anos. Os quarenta. E nunca pensou sequer em olhar para a ampulheta da vida. Inexoravelmente, porém, a areia deslizava, esvaziando um dos lados e enchendo o outro.
Vieram os cinquenta anos e os netos. Os sessenta e os primeiros sintomas de que as células humanas envelhecem e os cabelos se tornam da cor da neve.
Sendo normalmente pessimista, mas fazendo um esforço, aceitou como possível que poderia viver ainda mais uns vinte anos. Teriam portanto já passado três quartos da sua vida, faltando apenas um.
Na praia, agarrando um punhado de areia, César observa os pequenos grãos escorrendo por entre os dedos. Aperta mais a mão para adiar o inadiável. As gaivotas esvoaçam, poisando aqui e ali. Ele segue-as com os olhos e pensa...
…Pensa que, apesar de tudo, se um dia se tornar dependente ou perder a lucidez, quererá ainda ter um resto de discernimento, de força e de coragem para abrir rapidamente a mão, de modo a que a areia deslize toda de uma vez. A ampulheta, que mediu a sua vida, finalizará mais cedo a sua missão…

G. de S.

quinta-feira, 9 de outubro de 2003

CITAÇÃO: O que não é amor?

« Já se falou tanto em amor, amizade, paixão....
Que tal falarmos do que NÃO É AMOR?

Se precisas de alguém para ser feliz, isso não é
amor. É carência.

Se tens ciúmes, insegurança e fazes qualquer coisa
para conservares alguém ao teu lado, mesmo sabendo
que não és amado(a), e ainda dizes que confias nessa
pessoa, mas não nos outros, que te parecem todos
rivais, isso não é amor. É falta de amor-próprio.

Se acreditas que "mau com ele(a), pior sem ele (a)",
e a tua vida fica vazia sem essa pessoa; não
consegues imaginar-te sozinho(a) e manténs um
relacionamento que já acabou só porque não tens vida
própria - existes em função do outro - isso não é
amor. É dependência.

Se achas que o ser amado te pertence; sentes-te dono
(a) e senhor(a) da sua vida e do seu corpo; não lhe
dás o direito de se expressar, de ter escolhas, só
para afirmar o teu domínio, isso não é amor. É
egoísmo.

Se não sentes desejo; não te realizas sexualmente;
preferes nem ter relações sexuais com essa pessoa,
porém sentes algum prazer em estar ao lado dela, isso
não é amor. É amizade.

Se vocês discutem por qualquer motivo; morrem de
ciúmes um do outro e brigam por qualquer coisa; nem
sempre fazem os mesmos planos; discordam em diversas
situações; não gostam de fazer as mesmas coisas ou ir
aos mesmos lugares, mas sexualmente combinam
perfeitamente, isso não é amor. É desejo.

Se o teu coração palpita mais forte; o suor torna-se
intenso; a tua temperatura sobe e desce
vertiginosamente,apenas em pensar na outra pessoa,
isso não é amor. É paixão.

Agora, sabendo o que não é amor, fica mais fácil
analisar, verificar o que está a acontecer e procurar
resolver a situação. Ou preparar-se para atrair
alguém por quem sinta carinho e desejo; que sinta o
mesmo por ti, para que possam construir um
relacionamento equilibrado no qual haja, aí sim, o
verdadeiro e eterno AMOR.

Terás três tipos de pessoa na tua vida:

Um(a) AMIGO(a), aquela pessoa que terás sempre em
grande estima, com quem sabes que poderás contar
sempre; que bastará insinuares que estás a precisar
de ajuda e a ajuda está a ser dada;

Um(a) AMANTE, aquela pessoa que faz o teu coração
pulsar; que fará com que tu flutues e nada
importará quando vocês estiverem juntos;

Uma PAIXÃO, aquela pessoa que amarás e desejarás
incondicionalmente, às vezes nem te importando se ele
(a) te quer ou não, e talvez ele(a) nem fique sabendo
disso.

Mas, se conseguires reunir essas três pessoas numa
só, podes ter certeza:

Encontraste a felicidade! »

( Augusto Schimanski - 1928/1973 )

*************************************

quarta-feira, 8 de outubro de 2003

SITE CURIOSO:

http://www.2000greetings.com/gecko.swf

(um sapinho canta para si)


PARA SORRIR:


Um português vai pedir emprego num dos maiores armazéns dos EUA, e o gerente, antes mesmo de ver as folhas de recomendações, diz-lhe:
- Méu amíga, voucé éstá contuatáda!
- Mas então porquê?
- Because éu já cá tér one portugésa and el ser munta boa!
- Ah...
- Véja el a trabalháre, naquél room!

O português vai até ao "room" e vê o outro português a conversar com um cliente:
- Então eu queria uns anzóis.
- Anzóis? O senhor vai levar estes anzóis de alta qualidade, mas com uns anzóis destes, o senhor vai levar uma cana de pesca do melhor que cá temos!
- Bom, eu...
- Sim, mas com uma cana destas não vai ficar a pescar na margem, leva umas botas destas e assim pode entrar mesmo pelo rio dentro!
- Não sei se...
- Bom, se o senhor quiser mesmo pescar a sério, leva esta lancha com um motor de 30 cavalos, e então é que os mares são seus!!!
- Realmente, tem razão...
- Claro que tenho, mas com uma embarcação destas o senhor não vai pescar só um dia ou dois, vai levar esta roulotte de 16 metros para poder acampar perto do rio.
- Bom, mas e... para puxar a roulotte?
- Para isso leva este Land Rover, último modelo!
- Amigo, você convenceu-me! Levo isso tudo!

Depois de o americano sair, o português vai felicitar o seu compatriota:
- Sim senhor, ele entra aqui para comprar anzóis e tu vendes-lhe um barco, um carro e mais uma data de coisas...
- Quais anzóis, ele veio cá comprar Tampax's para a mulher, então eu disse-lhe: 'Amigo! Você tem o fim-de-semana lixado, é melhor dedicar-se à pesca!!!!



-Olhe, queria um livro, se faz favor!
-Muito bem. Qual o título do livro?
-"Coma bem e emagreça".
-Hmmm... é ficção?



Num bar de vampiros, pede um vampiro ao barman:
- Queria um bule cheio de água quente!
Um outro vampiro, ao ver este pedir uma coisa tão estranha diz-lhe:
- Um bule com água quente?! Então não vais pedir nada com sangue?em>
Responde-lhe o vampiro, retirando um penso higiénico usado do bolso:
- Já não se pode beber um chazinho em paz!

*****************************************

gabrieldesousa@megamail.pt

terça-feira, 7 de outubro de 2003

SONHAR É PRECISO!...


Quase todos nós sonhamos quando dormimos. Há os sonhos bons e os pesadelos. Há os sonhos fantasiosos e os sonhos quase reais. Há pessoas que esquecem os sonhos mal acordam; outras lembram-se de tudo até ao mais ínfimo pormenor. Há os que adormecem desejando ter determinado sonho e conseguem; há a maioria que não atinge esse objectivo.
Há quem interprete os sonhos, interpretação muitas vezes suspeita. Porventura haverá uma explicação psicológica, ou ao nível do subconsciente, mas cada caso será um caso e não entrará numa mera tabela, do género dos signos astrais.
Há ainda as superstições: sonhar com dentes, significaria a morte; sonhar com dejectos, significaria (ironia?) fortuna, dinheiro ou riqueza.

Mas não eram estes sonhos que queria abordar. Estes entram no domínio da ficção, fazem reviver momentos já passados ou são muitas vezes resultado de preocupações ou de medos.
Queria salientar, sim, a nossa capacidade, mesmo necessidade, de sonhar acordados.
Como tudo na vida, também os sonhos são relativos. O menino da rua sonha com um pão ou uma bola de trapos, o menino rico com uma guloseima ou um vistoso brinquedo. O sem-abrigo sonha com uma cama e um tecto, quem tem tecto sonha com uma casa maior ou melhor, com a melhoria do seu recheio ou até com uma segunda casa. Quem não estuda, sonha com a escola; quem frequenta um curso, sonha terminá-lo; quem já tem um diploma sonha com um emprego ou uma carreira.
O desempregado sonha com um emprego, quem já tem emprego sonha com outro melhor ou com uma promoção.
A criança sonha com a adolescência, o adolescente com a maioridade. Quem tem saúde sonha em não perdê-la, o doente sonha com a cura, mesmo quando ela é improvável. Quem é pobre, sonha ser rico; quem é rico sonha em aumentar a sua riqueza.
Claro que há também o marginal que sonha com um golpe genial, o potencial ditador que sonha em dominar o seu povo ou o belicista sonhando (e desejando) a guerra. Oxalá a maioria destes últimos sonhos não se concretizem, pois são já do foro social ou patológico.

Uma certeza porém: efectivamente, «pelo sonho é que vamos»! Sonhar é necessário, mas sonhos que nos perspectivem uma vida e um Mundo melhores. Mal de quem já perdeu a capacidade de sonhar pois, como disse o poeta, «o sonho embala a vida».
Mas não basta sonhar… O sonho, só por mero caso, se concretiza por si próprio. Tem de haver igualmente a capacidade de saber sofrer, de insistir, de não desesperar e de lutar. Tem de haver, sobretudo, força de vontade. Sonhar é fundamental, mas não basta. Está dentro de nós, e nas nossas mãos, o segredo dos vencedores.
«Pelo sonho é que vamos», mas apenas se soubermos acompanhar os nossos sonhos com o nosso querer, sem jamais vacilar!

gabrieldesousa@megamail.pt

segunda-feira, 6 de outubro de 2003

MANDAMENTOS «SE DEUS VOLTASSE A MANDAR NA TERRA»…

Mudava os governos de TODOS os países que tentassem impor a sua vontade e os seus modelos a outros Povos.

Desarmaria todos os países que possuíssem armas de destruição maciça, fossem elas bacteriológicas ou nucleares, fossem eles pequenos ou grandes países.

Obrigaria a que as riquezas fossem distribuídas de modo a acabar definitivamente com a Fome e a Pobreza.

Daria meios a todos os Povos para derrubar todos os ditadores e tiranos.

Os meios financeiros e humanos, disponibilizados pelas indústrias de armamento, seriam canalizados para a prevenção e cura de TODAS as doenças.

As armas seriam exclusivamente utilizadas por forças policiais e militarizadas.

A produção de drogas (naturais ou sintéticas) seria limitada ao estritamente necessário para o fabrico de medicamentos.

A pena de morte seria abolida em todos os países.

A escravatura e todo e qualquer modo de exploração do Homem desapareceriam da face da Terra.

10º O terrorismo extinguir-se-ia naturalmente, pois não tinha razões para existir.


G. de S.

***************************************

ENTRETANTO, VAMOS «CANTANDO E RINDO» (5 anedotas) …

O homem está a jantar num restaurante, mas a comida é tão má que ele não aguenta:
- Garçon, por favor, eu não consigo comer esta comida. Chame-me o gerente.
- Não adianta. Ele também não vai conseguir comer.

Um português entra num restaurante em Espanha e pede o prato-do-dia. Passado algum tempo, o empregado traz-lhe um prato com duas bolinhas grandes. O português, não sabendo o que aquilo era, pergunta:
- O que é isto?
Responde o empregado:
- Você conhece as touradas?
- Conheço!
- No fim, o touro é morto e são-lhe tiradas as bolinhas!
- Ah!...
- responde o português.
O português comeu e gostou muito. No outro dia o português voltou ao restaurante e pediu o mesmo prato mas, desta vez, o empregado traz-lhe um prato com duas bolinhas pequenas. Intrigado o português pergunta:
- Então, ontem as bolinhas eram grandes e hoje já são pequenas?!
- É que nem sempre ganha o toureiro!
- responde o empregado.


Um homem entra num café com uma grande vontade para fazer chichi. Desaperta a portinhola, põe o pirilau de fora, e dirige-se distraidamente para a casa de banho das senhoras. Diz-lhe então o empregado:
- Psst,...ó amigo, isso que está aí é para as senhoras!
- Não! Havia de ser para ti!...

Havia um indivíduo que tinha uma agência para testar e recrutar talentos.
De repente, a secretária anuncia o próximo candidato. Ele entra e o descobridor pergunta:
- Então, o que é que o senhor sabe fazer?
- Eu sei imitar pássaros.
- Imitar pássaros?!?!? Eu estou aqui cheio de trabalho e você vem-me dizer que sabe imitar pássaros. Ponha-se já na rua!
O jovem, muito triste, dá meia volta em direcção à janela e sai a voar...


Um homenzinho estava a visitar uma fábrica onde se faziam chupetas e preservativos. Durante a visita é acompanhado pelo director. A certa altura, na secção das chuchas ouvem um ruído estranho "Nhac nhac plim nhac nhac plim nhac nhac plim".
Muito espantado o homem pergunta que barulho era aquele, e o director explicou:
- Quando a máquina faz "nhac nhac" esta a dar o formato à chupeta, quando faz "plim" está a fazer o furo para que o bebé possa chuchar.
Mais tarde e já na secção dos preservativos voltam a ouvir o mesmo "nhac nhac plim". O homem muito espantado pergunta:
- Mas aqui não se devia ouvir nenhum plim!
- Pois, mas é que se não fossem os plins nós nunca vendíamos chupetas!
**********************************

domingo, 5 de outubro de 2003

POESIA:


UTOPIAS

- Se eu pudesse acabar com as guerras
Pronunciando apenas uma palavra…
- Se eu pudesse acabar com a pobreza
Fazendo um simples gesto…
- Se eu pudesse dar pão aos que têm fome
Com um truque fácil de magia…
- Se eu esvaziasse o poder de todos os tiranos
Como esvazio o balão de uma criança…
- Se eu pudesse globalizar o Mundo
Obrigando os ricos a repartir com os pobres…
- Se eu pudesse transformar em flores
Todas as armas do Universo…
- Se eu fizesse aparecer sorrisos
Na boca de todas as crianças…
- Se eu fizesse que, com o envelhecimento,
Não viessem doenças nem sofrimento…
- Se eu acabasse com a maldade
Generalizando a harmonia…
- Se eu pudesse apagar todas as infelicidades
Como posso apagar o que escrevi neste papel…
- Se eu conseguisse tornar toda a gente feliz
Tão feliz como eu gostaria de ser…
- Se eu pudesse transformar em arcaísmos
Palavras como Maldade e Sofrimento…
- Se eu conseguisse transformar em Céu
O planeta em que vivemos…
- Se eu pudesse transferir para outras galáxias
O Inferno, as dores e o sofrimento…
- Ah se eu pudesse transformar o Homem
Num Ser interiormente belo,
Então eu seria feliz!

Mas como simples homem que sou,
Nada disto conseguirei fazer…
Assim, inútil, morrerei vencido,
Rodeado apenas das minhas utopias.
Porventura, nem valeu a pena ter nascido…

G. de S.

*********************************************

PARA SORRIR:


Dois amigos encontram-se num bar:
- Que cara triste é essa, rapaz?
- Nem queiras saber, estou cá com uma depressão.
- Tretas. Tenho um remédio óptimo para isso. Quando estou deprimido vou para casa, pego na minha mulher e vou com ela para a cama. No instante seguinte estou outra vez óptimo.
- Boa ideia. Será que a tua mulher está em casa?


Entre dois amigos:
- Olha, ali em baixo é o vale do eco!
- Ai é?! Então vamos lá.

Quando lá chegaram diz um:
- Olá!...
Diz o eco:
- Olá!... Olá!...
Diz então o outro:
- Otorrinolaringologista!
Diz o eco:
Otoquê?... Otoquê?...


Numa festa, a madame é apresentada a um eminente político.
- Muito prazer! - diz ele.
- Prazer! Saiba que já ouvi muito falar do senhor!
- É possível, minha senhora, mas ninguém tem provas!



Num restaurante, o cliente ao ver a conta exclama:
- Três contos por uma simples refeição?! Isto é um roubo! Não fazem descontos a um colega?
- Ah! O senhor também esta no ramo da hotelaria? Pergunta o empregado.
- Não, não. Sou ladrão!...



O homem chega a um restaurante e pede uma sopa. Quando o garçon a traz, o homem nota que o polegar dele está dentro da sopa.
- Meu amigo, que história é essa? O senhor vem com o dedo dentro da sopa?
- Sabe o que é? É que estou com um furúnculo no dedo e o médico mandou-me ficar com o dedo em lugares quentes.
- E então porque não enfia esse dedo no cu?
- Estava lá mas eu tirei-o para o servir.


**********************************************

gabrieldesousa@megamail.pt

sexta-feira, 3 de outubro de 2003

5 ANEDOTAS 5 (rir faz bem às rugas):



- Empresta-me 50 escudos.
- E quando é que me pagas?
- Se me emprestares 100, pago-te já.


Dois homens andavam à pancada. Um deles manda um soco certeiro no outro que vai ao chão. Uma vez no chão este diz:
- Garanto-te, isto não vai ficar assim!
Diz o outro:
- Ai não não, isso agora vai inchar!


À beira da piscina do clube, quatro pais conversam sobre seus filhos:
- Eu tenho cinco garotos, um time completo de basquetebol – gaba-se o primeiro.
- Pois eu tenho seis, dá para formar uma equipe de voleibol – rebate o segundo.
- Grande coisa: com os onze que eu tenho lá em casa, formo um time de futebol – exagera o terceiro.
Em seguida um deles se volta para o quarto homem, que continua quieto no seu canto:
- E você, quantos filhos tem?
- Nenhum. Mas mulheres, tenho dezoito, dão para um campo de golfe oficial.


Dois irmãos conversam:
- Miguel, se tivesses três casas, davas-me uma?
- Claro!
- E se tivesses três carros, davas-me um?
- Não tenhas dúvidas!
- És um tipo fixe! E se tivesses três namoradas, davas-me uma?
- Ah... isso não!
- Porquê?
- Porque tenho três namoradas!!!


- Onde está o João?
- Internado no hospital.
- Não pode ser. Ainda hoje o vi num baile de Carnaval com uma super-loira.
- Pois é! A mulher dele também viu!

quarta-feira, 1 de outubro de 2003

LITERATURA:

Foi ontem entregue, na Culturgest, o Prémio 2002 da Associação Nacional de Críticos Literários. Laureados ex-aequo o poeta João Rui Sousa e o jornalista e escritor Baptista Bastos de quem já havíamos falado aqui no blog.
Presentes, entre outras personalidades, o General Ramalho Eanes e esposa, Mário Soares, João Soares, Raul Solnado, Lídia Jorge…
Foi lido um telegrama de Jorge Sampaio justificando a ausência por se encontrar no norte do País.
Justiça feita (talvez tardiamente) a dois vultos notáveis da nossa vida literária.


ENQUANTO NÃO ME RESTABELEÇO COMPLETAMENTE, MAS PARA MANTER O CONTACTO, CINCO ANEDOTAS PARA SORRIR (UMA COISA QUE AINDA NÃO PAGA IMPOSTO) :


- Se fosses um animal irracional, qual é que gostavas de ser?
- Sei lá!
- Eu gostava de ser um ATUM! É que assim a minha mulher era ATUA!


Estavam dois amigos a conversar e um diz:
- Li no jornal que de meia em meia-hora é atropelado um homem nesta cidade…
- O quê? - diz o outro – De meia em meia-hora? Coitado do homem!


Entre dois amigos:
- Sabes? Quando eu era pequenino o meu pai tinha a mania de me mandar ao ar para adormecer.
Diz o outro:
- Ai era! E tu adormecias?
- Claro! O tecto era baixíssimo!...


Duas amigas encontraram-se, depois de algum tempo sem se verem:
Amiga Olga: - Queeeeerida! Há quantos séculos!
Amiga Olga II: - Jóoooooia! Sabes, tive um rebento!
Amiga Olga: - Ai sim e como se chama?
Amiga Olga II: - Sonasol.
Amiga Olga: - Eu também tenho uma filha. Chamei-lhe Maria.
Amiga Olga II: - Aaaaaaai credo... Isso não é nome de bolacha?


- Ou tu me pagas o que deves, ou então escusas de me falar mais.
- Não te preocupes com isso. Não te falo mais.

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...