sexta-feira, 30 de junho de 2006

Quem conhece este político?
Será o Cavócrates? Ou o Socravaco?
Dois em um...
A rapidez da Justiça...
EFEMÉRIDE - António Sousa Freitas, poeta e autor de letras para canções, morreu em Lisboa, no Hospital Polido Valente, em 30 de Junho de 2004. O seu corpo foi cremado e as cinzas lançadas ao mar segundo a sua vontade.
Nasceu em Buarcos no dia 1 de Janeiro de 1921, tendo iniciado a carreira literária enquanto estudante em Coimbra (1939/1942).
Distinguido com o Prémio Antero de Quental em 1951 e com o Prémio Camilo Pessanha em 1958, foi agraciado com a Comenda da Ordem do Infante D. Henrique, em 1985, pelo Presidente da República.
Fez parte de várias tertúlias literárias, na companhia de Fernando Namora, João José Cochofel, Joaquim Namorado e Carlos Oliveira, tendo colaborado em variadíssimos jornais.
Colaborou também em programas radiofónicos e televisivos (1952/1963) na Emissora Nacional , no Rádio Clube Português e na Rádio Televisão Portuguesa. Foi júri de vários certames literários, tendo entrado para a Sociedade Portuguesa de Autores em 30 de Junho de 1954, precisamente cinquenta anos antes de falecer.
Escreveu muitas canções, interpretadas por artistas como Simone de Oliveira, Carlos do Carmo, Amália Rodrigues, João Braga e Maria da Fé.
Foi autor de cerca de vinte livros, a maioria dos quais de poesia mas também alguns de contos.
Em 1969, fundou o Gabinete Português de Medalhística, tendo sido grande impulsionador do coleccionismo nesta área.
Na sua terra natal, Buarcos, existe uma rua com o seu nome.
-------
(Apesar de aturadas pesquisas, não foi encontrada nenhuma foto deste escritor)
--------
Foto encontrada no site http://www.antoniocruz.net/mostrar/artes/musica/figueiradafoz/ quase dois anos depois, graças à informação de um visitante anónimo. Os meus agradecimentos.

quinta-feira, 29 de junho de 2006

Escolha qualquer ponto do Rio de Janeiro e tenha uma perspectiva com 360 graus...
Faça uma boa viagem!

http://www.riodejaneirovirtual.com
EFEMÉRIDE - Rosa Mota, atleta de grande nomeada, nasceu no Porto em 29 de Junho de 1958.
Foi a primeira Campeã Olímpica portuguesa, ao ganhar a Maratona nos Jogos de Seoul em 1988. A primeira maratona feminina oficial (a prova era, até então, só corrida por homens) realizara-se em Atenas durante o Campeonato Europeu de Atletismo de 1982. Rosa Mota participou e, embora não sendo favorita, conquistou o título à frente da consagrada Ingrid Kristiansen.
No Brasil, venceu por cinco vezes consecutivas a Corrida de São Silvestre em São Paulo (anos 80).
Em 1983, foi detentora do melhor tempo mundial dos 20 000 metros em pista.
Rosa Mota foi também recordista dos 1 000, 1 500, 3 000 e 5 000 metros, tendo sido Campeã de Portugal de Corta-mato por oito vezes.
Em 1986 foi Campeã da Europa, título que renovou em Estugarda (1986) e em Split (1990). Em 1987 foi Campeã do Mundo em Roma, tendo vencido igualmente as Maratonas de Boston (1987, 1988 e 1990), Roterdão (1983), Chicago (1983 e 1984), Tóquio (1986) e Osaka (1990).
Rosa Mota começou então a sofrer de ciática, o que não a impediu, porém, de vencer ainda a Maratona de Londres em 1991. Retirou-se das competições no ano seguinte.
É considerada embaixatriz do desporto português, ao mesmo nível de Eusébio no futebol. Em 2004, quando dos Jogos Olímpicos de Atenas, foi-lhe dada a honra de transportar a chama olímpica pelas ruas da capital grega.
Em grande parte da sua carreira foi acompanhada por José Pedrosa, seu marido, treinador e médico. Foi dado o nome de Rosa Mota ao Pavilhão de Desportos do Porto.

quarta-feira, 28 de junho de 2006

EFEMÉRIDE - Terry Fox, atleta canadiano e activista na luta contra o cancro (câncer), morreu em 28 de Junho de 1981. Nascera em Winnipeg no dia 28 de Julho de 1958. É considerado um herói no Canadá do século XX.
Muito activo e grande praticante desportivo na adolescência, Terry – aos 18 anos – viu os médicos diagnosticarem-lhe um cancro nos ossos. Em 1977, foi-lhe amputada a perna direita acima do joelho.
Durante a permanência no hospital, Terry Fox ficou chocado com o sofrimento dos outros doentes, atingidos também pela terrível doença e na maioria crianças. Decidiu então que havia de correr dum lado ao outro do Canadá angariando fundos para a pesquisa da cura do cancro. Esta corrida viria a ser chamada Maratona da Esperança.
Dezoito meses e 5 000 quilómetros de treinos mais tarde, Terry começou a sua maratona na Terra-Nova, em 12 de Abril de 1980. Poucos espectadores assistiram, prestando-se pouca atenção a este jovem que corria com uma só perna. Porém, a pouco e pouco, o entusiasmo aumentou e o dinheiro começou a afluir. Terry atravessou as províncias atlânticas do Canadá, o Quebec e o Ontário, à razão de 42 quilómetros por dia. Os canadianos jamais esquecerão este feito.
No dia 1 de Setembro, depois de 143 dias e 5 373 quilómetros de corrida, Terry teve de parar em Thunder Bay, em virtude do cancro ter reaparecido nos pulmões. A nação inteira ficou em estado de choque.
Terry Fox morreu com 22 anos. Desde então, um pouco por todo o mundo, incluindo Portugal, realizam-se anualmente Maratonas da Esperança, com a finalidade inicial (angariação de fundos) e também como homenagem a Terry Fox.

terça-feira, 27 de junho de 2006

«FELIPÃO

Tomara que eu esteja errado, mas para manter a coerência tenho que expor aqui antes de acontecer... Sempre achei que o Parreira é uma baita nulidade e junto com o Zégalo então é dose para elefante com obesidade mórbida. Temos um bando de jogadores bons. Isso mesmo, um bando e não um time. Se ganharem o hexa vai ser por méritos individuais.
Pelo sim, pelo não, tenho esperança que o Felipão levante o caneco

(Retirado do blog brasileiro «Coluna Digital» - «Que Deus o oiça!!»)
Senhor Ivanov - o árbitro do Portugal - Holanda,
um nome para a posteridade
PARECE PIADA MAS NÃO É...
Cerca de 320 mil euros foi quanto ganhou um reformado por processar uma empresa que faz implantes para homens que não conseguem ter uma erecção.
Há dez anos, Charles "Chick" Lennon, um norte-americano de Providence, de 68 anos, submeteu-se a uma operação para pôr o implante. Só que nunca conseguiu que o órgão estivesse para baixo, o que afectou toda a sua vida pessoal e social.
Queixa-se que não pode abraçar ninguém, andar de bicicleta ou nadar, não só devido à dor, mas ao embaraço que sente. Sente-se pouco à-vontade, até para estar com os netos. Devido a problemas de saúde, não pode voltar a ser operado. "Não conheço nenhum homem que, por qualquer montante, quisesse trocar de lugar com o meu cliente» resume Jules D’Alessandro, advogado de Lennon.
in «Público» de hoje
EFEMÉRIDE - António de Oliveira Salazar, professor universitário, estadista e ditador português, morreu em Lisboa no dia 27 de Junho de 1970.
Nascido em Santa Comba Dão em 28 de Abril de 1889, foi Ministro das Finanças entre 1928 e 1932 e Presidente do Conselho de Ministros entre 1932 e 1968.
Dirigiu os destinos de Portugal ditatorialmente, tendo deixado o País muito atrasado, isolado internacionalmente, atolado numa guerra com várias frentes, com grande parte da população analfabeta, com ausência de liberdade, com uma tenebrosa e omnipresente polícia política...
Em 1928, após a eleição do Presidente da República (Carmona), tinha assumido a pasta das Finanças, exigindo o controlo sobre as despesas e receitas de todos os ministérios.
Em 1932, assumiu plenos poderes, passando o Presidente da República a ser uma personalidade meramente «decorativa».
Na Segunda Guerra Mundial, manteve a neutralidade, apesar da evidente admiração que tinha por Hitler e Mussolini.
Vítima de acidente, ao cair de uma cadeira nos seus aposentos da zona do Estoril, foi afastado do Governo em 1968, sendo substituído por Marcello Caetano.
Até morrer, aqueles que com ele lidavam diariamente fizeram-lhe crer que continuava a governar o País...

segunda-feira, 26 de junho de 2006

Se os marcianos viessem agora à Terra...
 Maniche, golo à Holanda (1-0), muito sofrimento e
segue-se a Inglaterra!
Respeitamos todos, mas temos o direito de continuar a sonhar
EFEMÉRIDE - Alfredo Marceneiro, fadista português que marcou uma época, detentor de uma voz inconfundível que fez dele um marco neste género da canção, morreu em 26 de Junho de 1982. Chamava-se Alfredo Rodrigues Duarte de seu nome verdadeiro e nasceu em 25 de Fevereiro de 1891 em Lisboa, filho de uma família bastante humilde.
Desde pequeno, sentiu grande atracção pela arte de representar e pela música. Junto com amigos, começou a cantar o fado em locais populares, sendo muito solicitado pela facilidade como cantava e improvisava as canções.
Júlio Janota, também fadista, de profissão marceneiro, convenceu-o a seguir o seu ofício o que lhe daria um salário maior e mais tempo disponível para se dedicar ao fado.
Em 1924, participou no Teatro São Luís, em Lisboa, na sua primeira Festa do Fado. Manteve a sua profissão de marceneiro durante muitos anos, daí o nome porque ficou conhecido. Só em 1943 se tornou fadista profissional.
Em 1948, foi consagrado Rei do Fado no Café Luso. Dos muitos fados que Alfredo Marceneiro cantou, destaca-se a Casa da Mariquinhas, de autoria do jornalista e poeta Silva Tavares.
Dois anos depois de morrer com 91 anos, foi condecorado, a título póstumo, com a Comenda da Ordem do Infante D. Henrique, pelo Presidente da República Portuguesa.

domingo, 25 de junho de 2006

EFEMÉRIDE - Moçambique tornou-se independente em 25 de Junho de 1975, na sequência da Revolução dos Cravos, a seguir à qual o governo português assinou com a Frelimo os Acordos de Lusaka.A República Popular de Moçambique está situada na costa oriental de África, limitada a norte pela Zâmbia, Malawi e Tanzânia, a leste pelo Canal de Moçambique e pelo Oceano Índico, a sul e oeste pela África do Sul e a oeste pela Suazilândia e pelo Zimbabué. A capital é Maputo, ex Lourenço Marques.
A penetração portuguesa em Moçambique, iniciada no início do século XVI, só em 1885 se transformou numa ocupação efectiva
A Frelimo foi o movimento que lutou pela libertação desde o início da década de sessenta. Após a independência, tornou-se num partido político e passou a controlar sozinho o poder. Samora Machel ocupou a presidência do país até à sua morte em 1986. Com o Acordo Geral de Paz, assinado mais tarde pelos presidentes de Moçambique e da Renamo, o país deixou de viver em clima de guerra e assumiu o pluripartidarismo, tendo tido as primeiras eleições, com a participação de vários partidos, em 1994. A Renamo é o principal partido de oposição e foi um movimento guerrilheiro de direita, apoiado pelo Ocidente e por estados vizinhos. A Frelimo permanece no poder até hoje, tendo ganho por três vezes as eleições multipartidárias realizadas em 1994, 1999 e 2004.
Moçambique, embora seja um país de língua portuguesa, pertence à Commonwealth. Existem mais de vinte dialectos locais, todos de origem bantu.
Culturalmente, os nomes de Malangatana e Chichorro (pintores), Mia Couto (escritor) e José Craveirinha (poeta), entre outros, ultrapassaram desde há muito as fronteiras moçambicanas. Desportivamente, a atleta Lurdes Mutola (atletismo) é conhecida mundialmente pelos seus títulos e recordes. Importante também e representativo do espírito artístico e criativo do povo moçambicano é o artesanato produzido em várias áreas, destacando-se as esculturas dos Macondes do Norte de Moçambique.

sábado, 24 de junho de 2006

AS 4 ESTAÇÕES


Num cantinho do céu
O Inverno, muito bem agasalhado
Dizia para quem o quisesse ouvir:
- Eu levo para a Terra a chuva
Que irriga os campos
E enche cada barragem,
Mas também levo o frio
A neve, as cheias e as tempestades
Que a todos tira a coragem!

O Verão, vestido de branco
E com ar muito limpo e bronzeado,
Disse por sua vez:
- Comigo, podem ir à praia
Pois levo o sol e o calor
Mas também as sombras para refrescar,
Levo igualmente os fogos
E também a insolação
Que muitos velhos irá matar!

O Outono,
Que se mantivera calado,
Falou então:
- Eu sou a transição
Pois torno ameno o calor
E preparo-vos para o tempo mais agreste,
Mas deixo as árvores mais tristes
Pois faço cair suas folhas
Que são a única roupa que cada uma delas veste!

Nesse instante
Ouviu-se
A voz melodiosa da Primavera:
- Eu enxugo
O que o Inverno alagou
E não levo comigo calor demais;
Sou a única Mulher
E porque sou faladora
Tendes de me ouvir um pouco mais.

Sou eu quem diz «adeus» à chuva e ao frio,
Sou anunciada por andorinhas
E visto-me de rendas e brocados;
As abelhas e as borboletas
Zumbem e esvoaçam de alegria
Ao ver flores por todos os lados.

As paisagens
Ficam coloridas
E os ares perfumados,
É época de acasalamentos
Os dias ficam mais doces
E os campos mais esverdeados.

(Se procurarem com atenção
Vão encontrar:
Orquídeas, lírios e gardénias
Hortenses, violetas e magnólias
Malmequeres e girassóis
Cravos, roseiras e buganvílias
Papoilas e giestas.

Mescla de sensações, cheiros e cores:
O Verde da esperança e da paz
E o Amarelo das compreensões;
O Vermelho da força e da alegria,
O Branco que nos lembra a pureza
E o Rosa do amor e das paixões.)

Com estas cores não se escreve o Mundo
Mas com elas se poderia pintar a Primavera!

- Tens razão!
Disseram
Em uníssono
As outras três vozes:
- Nós limitamo-nos a viver, entre a juventude e a velhice
À imagem do que acontece com os Homens
E sem a todos contentar;
Tu - a todos agradas
Porque em cada ano
Consegues renascer para te reinventar!


Gabriel de Sousa
Torcidas são volúveis...
EFEMÉRIDE - Carlos Gardel, o mais famoso dos cantores de tango argentino, morreu em 24 de Junho de 1935, num desastre de aviação em Medellín, no decorrer de uma tournée na Colômbia. Nascera em 11 de Dezembro de 1890. O local de nascimento é controverso. Alguns defendem que Gardel teria nascido no interior do Uruguai, baseando-se em documentos da época. Outros dizem que Gardel nasceu na cidade francesa de Toulouse e que foi registado com o nome de Charles Romuald Gardès, filho de pai desconhecido e de Berthe Gardès. Gardel, quando se abordava o tema, costumava dizer: "Nasci em Buenos Aires aos dois anos e meio de idade".
Foi um cantor e actor celebrado em toda a América Latina pela divulgação do tango. Iniciou-se como cantor, ainda jovem, com o nome artístico de El Morocho, apresentando-se em cafés dos subúrbios da capital argentina. A sua primeira interpretação formal deu-se no Teatro Nacional de Corrientes. A sensualidade da sua voz prestava-se à interpretação do tango, tendo-se tornado muito conhecido a partir da canção "Mi noche triste", em 1917.
Gravou mais de novecentas canções, entre tangos, fox-trots, fados, pasodobles e músicas folclóricas, vendendo milhares de discos na América Latina e na Europa.
Trabalhou como actor em mais de dez filmes. Há uma estátua sua em Buenos Aires, cidade onde se encontram os seus restos mortais.

sexta-feira, 23 de junho de 2006

EFEMÉRIDE - Jean Anouilh, escritor francês, autor de numerosas peças de teatro, nasceu em Bordéus no dia 23 de Junho de 1910, tendo morrido em Lausana em 3 de Outubro de 1987.
É autor de Antígona, recriação moderna de uma peça de Sófocles. Escrita em 1942, foi representada quinhentas vezes o que constituía um triunfo para a época.
Apenas com 19 anos, foi secretário de Louis Jouvet no Teatro dos Campos Elíseos, tendo trabalhado depois numa agência de publicidade com Jacques Prévert, célebre poeta francês.
Durante a ocupação alemã, não tomou partido nem pela ocupação nem pela resistência o que lhe valeu muitas críticas, pois escreveu no órgão colaboracionista Je suis partout. Depois da guerra, no entanto, não foi encontrado nenhum acto grave por ele praticado.
Uma sua frase acerca da mulher, chegou até aos nossos dias : «Porque contradizer uma mulher? – É muito mais simples esperar que ela mude de opinião.». Um pouco machista, mas curiosa...

CURIOSIDADES SOBRE O MUNDIAL...
 
Analisando os nomes dos 23 jogadores portugueses que estão na Alemanha, constatamos que quinze jogam no estrangeiro e apenas oito jogam em Portugal.
Entre os 23 há oito que passaram pelo Futebol Clube do Porto, se bem que só um ainda jogue no clube. Seria interessante saber o que estes oito pensam da afirmação de Pinto da Costa, presidente do Porto, dizendo que «os países do grupo de Portugal eram tão fracos que Deco, sozinho, tinha chegado para eles...» (!)
Estes 8 jogadores, que estão por dentro do Mundial, podem agora avaliar melhor a credibilidade (ou a falta dela) e o grau de senilidade do «seu presidente». A não ser que a finalidade fosse mesmo destabilizar a equipa o que será ainda mais grave.
Passando adiante... Dos oito que jogam em Portugal, quatro são do Benfica (Simão, Petit, Nuno Gomes e Quim), dois do Sporting (Ricardo e Caneira), um do Porto (Ricardo Costa) e um do Braga (Paulo Santos).
Uns e outros, todos, vão fazer o melhor que puderem e souberem para honrarem as cores nacionais. Sonhar não tem limites!

quinta-feira, 22 de junho de 2006

MUNDIAL DE FUTEBOL ALEMANHA – 2006
Maniche
e Simão Sabrosa, mais dois golos, agora contra o México. Segue-se a Holanda. Felicidades Portugal!
EFEMÉRIDE - Erich Maria Remarque, escritor alemão, de seu nome verdadeiro Erich Paul Remark, nasceu em Osnabrück (Alemanha) no dia 22 de Junho de 1898 vindo a falecer em 25 de Setembro de 1970, na Suiça.
Com 18 anos, partiu para as trincheiras da Primeira Guerra Mundial, onde foi ferido várias vezes. Depois da Guerra, mudou o apelido para Remarque e teve diversos empregos, tais como bibliotecário, homem de negócios, professor e editor.
Em 1929, publicou o seu trabalho mais famoso, A Oeste Nada de Novo, já com o pseudónimo Erich Maria Remarque. O nome do meio era uma homenagem a sua mãe. Escreveu vários livros em que descreveu a guerra e o período que se lhe seguiu.
Os Nazis vieram mais tarde a banir e queimar os seus livros e a propaganda do partido afirmava que ele era descendente de judeus franceses e que o seu verdadeiro apelido seria Kramer (Remark, lido ao contrário).
Erick Maria emigrou para os Estados Unidos em 1939, acompanhado de Ilsa Jeanne Zamboui, com quem se casou e de quem se divorciou duas vezes. Tornaram-se, entretanto, cidadãos americanos.
Depois da Segunda Guerra Mundial, mudou-se para a Suiça e, em 1958, veio a casar-se com a actriz Paulette Goddard, permanecendo com ela até à data da sua morte.

quarta-feira, 21 de junho de 2006

FREAMUNDE
(Festas Sebastianas)
- quadras –


O peixe tem barbatanas
E o homem tem pulmões
Tu tens as «Sebastianas»
Para alegrar corações

As Festas Sebastianas
Dão cor ao meu viver
Deviam durar semanas
Pra prolongar o prazer

Carros – Bombos – Zé-pereiras
Gigantones – Alegria
Vacas de fogo – Romeiras
Cinco dias de Folia

E enquanto as Indianas
Adoram Vacas Sagradas,
Nas Festas Sebastianas
Há «vacas» que são queimadas!
-
-
Gabriel de Sousa
EFEMÉRIDE - Nicolau Maquiavel, o mais importante historiador, filósofo, dramaturgo, diplomata e cientista político italiano do Renascimento, morreu em Florença no dia 21 de Junho de 1527. Nascera na mesma cidade italiana em 3 de Maio de 1469. É reconhecido como o fundador da Ciência Política moderna.
Recebeu uma educação clássica incentivada pelo pai e em 1498 obteve um posto no governo da cidade. Tornou-se um conhecedor profundo dos mecanismos políticos e viajou incessantemente, participando em vinte e três embaixadas a cortes italianas e europeias. Em 1512, uma revolução destituiu Soderini, de quem Maquiavel estava muito próximo, trazendo os Médici de volta ao poder. Assim perdeu o seu cargo e abandonou a vida pública.
No ano seguinte, foi associado a uma conspiração para reconquistar o poder e acabou por ser preso e torturado. Libertado, exilou-se em San Casciano, onde escreveu O Príncipe, só publicado postumamente em 1532. Curiosamente a obra era dedicada a Lourenço de Médici II, na esperança de obter os favores da Casa de Médici e voltar ao governo florentino.
Entre as suas obras, além de O Príncipe, sobressaem os Discursos sobre a primeira década de Tito Lívio, Histórias florentinas, Os sete livros da arte da guerra, a peça A Mandrágora, além de inúmeros tratados histórico-políticos e correspondência particular, organizada pelos seus descendentes.
O seu nome deu origem ao termo maquiavélico, que significa astúcia, perfídia, ausência de lealdade e de boa-fé...

terça-feira, 20 de junho de 2006

QUADRAS

Se o nosso amor ainda existe
E permanece Paixão,
É porque um dia sorriste
Prendendo meu Coração.



Se o nosso amor ainda existe
E nunca vai acabar,
É porque seria triste
O Viver sem teu olhar.


Gabriel de Sousa
EFEMÉRIDE - Kay Rala Xanana Gusmão, actual Presidente da República Democrática de Timor-Leste, nasceu em Manatuto quando o país estava sob o domínio português, no dia 20 de Junho de 1946.
Em 1971, tendo completado o serviço militar português, envolveu-se na organização nacionalista encabeçada por José Ramos-Horta, futuro Prémio Nobel da Paz e actual Ministro dos Negócios Estrangeiros.
Em 1974, na sequência da Revolução dos Cravos em Portugal, foi anunciada a intenção de dar a independência a Timor-Leste após eleições gerais em 1978.
Durante 1975 houve conflitos entre duas facções rivais em Timor. Xanana envolveu-se profundamente na facção da FRETILIN (Frente Revolucionária de Timor-Leste Independente) e chegou a ser encarcerado pela facção rival, a UDT (União Democrática Timorense).
Tirando partido da desordem interna, e desejosa de absorver o território, a Indonésia começou uma campanha de desestabilização, fazendo incursões no território a partir da parte ocidental da ilha de Timor.
Em fins de 1975, a FRETILIN conseguiu o controlo de Timor e Xanana foi libertado. Nove dias depois a Indonésia invadiu Timor-Leste.
Depois da formação do "Governo Provisório de Timor-Leste" pela Indonésia, Xanana envolveu-se totalmente nas actividades da resistência, sendo responsável pela sua organização. Em meados da década de 1980 já era considerado o grande líder.
Durante o início da década de 1990, Xanana utilizou os meios de comunicação para alertar o mundo para a situação em Timor, convertendo-se assim no alvo principal da Indonésia. Uma campanha para o capturar ocorreu em Novembro de 1992 e, em Maio de 1993, foi preso, julgado e condenado a prisão perpétua pelo governo indonésio.
Em 30 de Agosto de 1999 realizou-se um referendo em Timor-Leste com a esmagadora maioria da população a votar pela independência do território. Perante isso, os militares indonésios começaram uma campanha de terror que trouxe consequências terríveis. Apesar do governo indonésio negar estar por detrás desta ofensiva, foi condenado internacionalmente por não evitar a acção. Como resultado da pressão diplomática internacional, uma força de pacificação da ONU constituída maioritariamente por soldados australianos entrou em Timor-Leste e a Indonésia libertou Xanana. Com o seu regresso a Dili começou uma campanha de reconciliação e de reconstrução.
Xanana Gusmão foi convidado para governar junto com a administração da ONU até 2002. Durante esse período promoveu continuamente campanhas para a unidade e a paz dentro de Timor-Leste e assumiu-se definitivamente como o líder da nova nação. As eleições presidenciais em Abril 2002 deram-lhe a vitória de forma inequívoca, convertendo-o no primeiro presidente de Timor-Leste quando o país se tornou formalmente independente em 20 de Maio de 2002.
Xanana Gusmão escreveu a sua autobiografia (Resistir é Vencer) e tem igualmente muitos poemas publicados. Na crise que o País atravessa actualmente, Xanana Gusmão continua a ser o líder incontestado e respeitado por todas as partes envolvidas.

segunda-feira, 19 de junho de 2006

AS TRÊS VELHINHAS

Três senhoras, muito velhinhas, se reúnem para o chá da tarde.
- Puxa, acho que estou ficando esclerosada, comenta uma delas.
- Ontem eu me peguei com a vassoura na mão e não me lembrava se já tinha varrido a casa ou não.
- Isso não é nada, diz a outra.
-
Outro dia eu me vi de pé, ao lado da cama, de camisola, e não sabia tinha acabado de acordar ou estava me preparando para dormir.
- Cruz credo! - Falou a terceira.
- Deus me livre ficar assim! Isola! E deu três batidinhas na mesa: toc-toc-toc.
Olhou para a cara das outras e emendou:
- Esperem um pouco que eu já volto! Tem alguém batendo à porta!
EFEMÉRIDE - Salman Rushdie, ensaísta e ficcionista, nasceu no dia 19 de Junho de 1947 em Bombaim na Índia. Estudou em Inglaterra, onde se formou com distinção no King's College, Universidade de Cambridge. O seu estilo narrativo, em que mistura o mito e a fantasia com a vida real, tem sido descrito como sendo um realismo mágico.
Tornou-se mundialmente famoso com a publicação em 1989 de "Versículos Satânicos", obra que teve enormes repercussões negativas no mundo islâmico, devido à sua descrição irreverente do profeta Maomé.
Em 14 de Fevereiro de 1989, Khomeini, líder do Irão, lançou uma fatwa ordenando a execução do escritor e apelidando o seu livro de "blasfémia contra o Islão".
Durante o período que se seguiu, houve violentos protestos na Índia, Paquistão e Egipto, causando várias mortes. Comunidades muçulmanas por todo o mundo organizaram manifestações em que exemplares do livro eram queimados. O romance "Versículos Satânicos" foi banido na Índia e na África do Sul e foi queimado também nas ruas de alguns bairros ingleses. Na Universidade de Califórnia, Berkeley, as livrarias que exibiam os seus livros foram vítimas de atentados com cocktails molotov. Em 1991 o tradutor do livro para o japonês, Hitoshi Igarashi, foi assassinado e em 1993 o editor de Rushdie na Noruega, William Nygaard, ficou ferido num ataque que lhe fizeram à saída de casa.
Em 1990, Rushdie publicou um ensaio chamado "In Good Faith" (de boa fé) para apaziguar os seus críticos e emitiu pedidos de desculpa reafirmando o seu respeito pelo Islão. No entanto, os religiosos iranianos não retiraram a fatwa.
Rushdie viveu enclausurado e rodeado de seguranças até à morte de Khomeini. O governo iraniano comprometeu-se então, publicamente, a não apoiar mais aquela sentença de morte, medida acordada no contexto de uma negociação ao mais alto nível entre o Irão e o Reino Unido de forma a normalizar as suas relações bilaterais.
Rushdie afirmou que, finalmente, ia deixar de viver às escondidas.

domingo, 18 de junho de 2006

EFEMÉRIDE «Apelo do 18 de Junho» é o nome dado ao discurso que o General de Gaulle pronunciou na BBC (rádio britânica) em 18 de Junho de 1940 (gravado às 18 horas, difundido no mesmo dia às 22 horas e redifundido no dia seguinte às 16).
Desde então, esta alocução é considerada como uma das mais célebres da história de França.
O discurso é um apelo à resistência do povo francês, que tinha sido batido e vira o seu território invadido e ocupado pela Alemanha nazi. Foi igualmente uma reacção ao pedido de armistício de Pétain.
Um discurso ouvido por poucos, mas determinante e emblemático: ele permitiu a Charles de Gaulle colocar-se como chefe da França livre, face ao regime colaboracionista de Vichy. Começava enfim a resistência organizada face ao ocupante.

sábado, 17 de junho de 2006

Pauleta, Deco e Cristiano Ronaldo
os marcadores dos nossos 3 golos (até agora)
no Mundial de Futebol na Alemanha
EFEMÉRIDE - Igor Stravinski, compositor russo, um dos mais influentes nomes da música do século XX, nasceu em Lomonosov no dia 17 de Junho de 1882. Estudou Direito na Universidade daquela cidade, onde conheceu Nikolái Rimski-Kórsakov, que dirigiu as suas primeiras composições musicais.
Em 1908, o empresário Sergei Diáguilev propõe-lhe que componha para os Ballets Russos. O Pássaro de Fogo e Petrushka tiveram grande êxito, pela rica orquestração e pelas melodias que evocavam a música tradicional russa. Todavia, a estreia da Consagração da Primavera (1913) não foi bem aceite. A coreografia vanguardista de Nijinski, as dissonâncias e os ritmos assimétricos provocaram tal reacção do público que os bailarinos mal conseguiam ouvir a orquestra.
No início da I Guerra Mundial instalou-se na Suiça onde continuou a compor. Em 1920, foi para Paris e, para manter a família, trabalhou como pianista.
Em meados da década de 1920 atravessou uma crise espiritual, tendo-se convertido à religião ortodoxa russa em 1926.
Durante a 2ª Guerra Mundial vai para Hollywood e torna-se cidadão norte-americano. Mantém-se graças às suas composições, entre elas a Circus Polka feita para ser dançada por elefantes de um circo e Cenas de Ballet para uma revista da Broadway
Em 1967, com 85 anos e com a saúde muito débil, dirigiu a sua última gravação. Faleceu em 6 de Abril de 1971 em Nova Iorque, tendo sido enterrado em Veneza.

sexta-feira, 16 de junho de 2006

E assim as mulheres vão ocupando
todos os lugares dos homens...(?)
EFEMÉRIDE - Giovanni Boccaccio, escritor italiano, nasceu em Paris no dia 16 de Junho de 1313, tendo morrido em Certaldo, Toscana, em 21 de Dezembro de 1375.
Filho de um mercador, Boccaccio não se dedicou ao comércio como era desejo de seu pai, preferindo cultivar o talento literário que se manifestou deste muito cedo.
Foi um importante humanista, autor de um número notável de obras, a mais conhecida das quais é Decameron, escrita em 1350.
Boccaccio foi também a primeira pessoa a ler "A Comédia", de Dante Alighieri, e tão fascinado ficou com a obra que lhe chamou “A Divina Comédia”, título porque ficou conhecida para a posteridade. A morte surpreendeu-o antes de concluir um livro que tinha em preparação sobre as conferências que realizou sobre a Divina Comédia e Dante Alighieri.
O Decameron fez de Boccaccio o primeiro grande realista da literatura mundial.

quinta-feira, 15 de junho de 2006

No Brasil, mas não só...
O único...
EFEMÉRIDE - José de Almada Negreiros, escritor, pintor, poeta, ensaísta, dramaturgo e romancista, morreu em Lisboa no dia 15 de Junho de 1970. Nascera em São Tomé em 7 de Abril de 1893.
Em 1911, após a extinção do Colégio dos Jesuítas onde estudava, entrou para a Escola Internacional de Lisboa. Neste mesmo ano, publicou o seu primeiro desenho na revista A Sátira e o jornal manuscrito A Paródia, de que é o único redactor e ilustrador.
Em 1913, apresenta a sua primeira exposição individual composta de 90 desenhos e trava conhecimento com Fernando Pessoa, com quem edita a Revista Orpheu juntamente com Mário de Sá Carneiro.
Em 1919 foi viver para Paris, voltando um ano mais tarde. Em 1927 volta a deixar Portugal, indo desta vez para Espanha, onde para além de colaborar em diversas revistas, escreve El Uno, Tragédia de la Unidad, obra dedicada à pintora Sarah Afonso, com quem viria a casar em 1934, já após o seu regresso a Portugal.
Almada dedica-se então, principalmente, ao desenho e à pintura: pinta os vitrais da Igreja de Nossa Senhora de Fátima, que o público, agarrado às tradições, não aprecia; pinta um conhecido retrato de Fernando Pessoa, os painéis das gares marítimas de Alcântara e da Rocha Conde de Óbidos; pinta o Edifício das Águas Livres e frescos na Escola Patrício Prazeres; pinta as fachadas dos edifícios da Cidade Universitária, faz tapeçarias para o Tribunal de Contas, etc.
Os seus últimos trabalhos, já com 75 anos, são o painel «Começar» na Fundação Calouste Gulbenkian e os frescos da Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra.
Almada Negreiros morreu no mesmo quarto do Hospital de São Luís dos Franceses, onde tinha morrido Fernando Pessoa.

quarta-feira, 14 de junho de 2006

NA FARMÁCIA
O farmacêutico entra na sua farmácia e repara num homem petrificado, com os olhos esbugalhados, mão na boca, encostado a uma das paredes.
Ele pergunta para o auxiliar:
- Que significa isto? Quem é aquele senhor ?
- Ah! É um cliente que queria comprar um remédio para a tosse. Ele achou caro, então eu vendi um laxante.
- Você ficou maluco? Desde quando laxante é bom para tosse?
- É excelente. Olhe só o medo que ele tem de tossir!
EFEMÉRIDE - Ernesto Rafael Guevara de la Serna, mais conhecido por Che Guevara ou El Che, nasceu «oficialmente» em Rosário na Argentina no dia 14 de Junho de 1928, se bem que a data real tenha sido um mês antes (14 de Maio). Foi assassinado em La Higuera, Bolívia, em 9 de Outubro de 1967, tendo sido um dos mais famosos revolucionários da História.
Acabou os seus estudos de Medicina em 1953 e passou desde logo a dedicar-se à política. Em 1954, no México, conheceu Raul Castro que o apresentou ao seu irmão mais velho Fidel Castro. Este último organizou e liderou o movimento guerrilheiro «26 de Julho», ou M26, que tinha por objectivo alcançar o poder em Cuba. Guevara fez parte dos 82 homens que partiram para Cuba em 1956 com Fidel Castro e dos quais só 12 sobreviveriam. Instalaram-se na Sierra Maestra de onde iniciaram a guerrilha contra o ditador cubano Fulgêncio Batista, que era apoiado pelos Estados Unidos.
Após a vitória dos revolucionários em 1959, Batista exilou-se em Portugal (Madeira). Guevara, então braço direito de Fidel, tornou-se um dos principais dirigentes cubanos: Embaixador, Presidente do Banco Nacional eMinistro da Indústria.
Che esteve oficialmente no Brasil em Abril de 1961, sendo condecorado pelo Presidente Jânio Quadros com a Ordem do Cruzeiro do Sul.
Em 1965, Guevara deixou Cuba para propagar os ideais da revolução cubana pelo mundo fora. Partiu primeiramente para o Congo. Após o fracasso dos combates no Congo, foi para a Bolívia, onde tentou estabelecer uma base guerrilheira para lutar pela unificação dos países da América Latina. Enfrentou sérias dificuldades em virtude do terreno desconhecido e para conquistar a confiança dos camponeses. Foi cercado e capturado em 8 de Outubro de 1967 e executado no dia seguinte por soldados bolivianos na aldeia de La Higuera, possivelmente a mando de agentes da CIA.
Só em 1997 os seus restos mortais foram encontrados numa vala comum, a cerca de 50 km de onde ocorreu a sua execução. Os seus ossos foram transferidos para Cuba onde, em 17 de Outubro desse mesmo ano, foram enterrados com honras de Estado, na presença de membros da sua família e do líder cubano e antigo companheiro Fidel Castro.

terça-feira, 13 de junho de 2006

EFEMÉRIDE - Alberto Raposo Pidwell Tavares, que viria a ser conhecido por Al Berto, poeta e editor português, faleceu em 13 de Junho de 1997, vítima de um linfoma. Nascera no dia 11 de Janeiro de 1948, em Coimbra, pertencendo a uma família da alta burguesia, de origem britânica.
Com um ano apenas, foi para o Alentejo e, em Sines, passou toda a infância e adolescência até que a família decidiu enviá-lo para a Escola António Arroio em Lisboa.
Em 14 de Abril de 1967 foi estudar pintura para a Bélgica, na École Nationale Supérieure d’Architecture et des Arts Visuels, em Bruxelas.
Após concluir o curso, decidiu abandonar a pintura em 1971 e dedicar-se exclusivamente à escrita. Regressou a Portugal em 17 de Novembro de 1974 e aqui escreveu o primeiro livro inteiramente em língua portuguesa: À Procura do Vento num Jardim d'Agosto.
Por vezes, os seus textos denotam uma certa ambiguidade entre a poesia e a prosa. O livro O Medo, reunindo todos os seus escritos de 1974 a 1986, foi editado pela primeira vez em 1987 e veio a tornar-se o trabalho mais importante da sua obra e o seu definitivo testemunho artístico, sendo adicionados em posteriores edições novos escritos do autor.
Recebeu em 1987 o Prémio de Poesia do Pen Club.
Deixou textos incompletos para uma ópera, para um livro de fotografia sobre Portugal e uma «falsa autobiografia», como o próprio autor a intitulava.

segunda-feira, 12 de junho de 2006

«CÂMBIOS»:

http://www.bc.gov.br/htms/bcjovem/moedasmundo.htm

1 – Escolha a zona (Europa, América do Sul, etc.)

2 – Passe com o mouse por cima do país desejado e encontrará o câmbio em relação ao Real Brasileiro.
EFEMÉRIDE - Anne Frank, jovem judia alemã, nasceu em Frankfurt em 12 Junho de 1929, tendo morrido em 12 de Março de 1945 no campo de concentração de Bergen-Belsen. Escreveu, durante a ocupação alemã de Amesterdão, um diário íntimo que seria mais tarde traduzido em mais de sessenta línguas e vendido em mais de vinte e cinco milhões de exemplares.
Quando em 1933 Hitler chegou ao poder na Alemanha, a família Frank refugiou-se em Amesterdão para escapar às perseguições nazis. No entanto, em 1940, a Holanda foi invadida e a família teve de se esconder, quando os judeus começaram a ser procurados e perseguidos.
Durante anos, Anne Frank descreveu no seu Diário o medo que sentia por estar escondida e o seu desejo de se tornar escritora.
Um telefonema anónimo para a Gestapo, em Agosto de 1944, levou à prisão de toda a família. Foram deportados primeiro para Westerbork e mais tarde metidos num comboio para Auschwitz.
Entretanto, duas pessoas que tinham protegido a família encontraram o Diário de Anne, constituído por vários cadernos e mais de 300 páginas manuscritas, que conseguiram guardar.
Anne passou um mês em Auschwitz-Birkenau e depois foi enviada para Bergen-Belsen, onde acabou por morrer vítima de tifo, dois meses antes da libertação da Holanda. Não chegara a completar 16 anos...
Apenas o pai de Anne sobreviveu ao holocausto, tendo morrido em 1981 com a idade de 91 anos. Depois da guerra, os amigos fizeram chegar-lhe o Diário de sua filha, que ele fez editar com o título de O Diário de Anne Frank.
Desde 1960, o local em que Anne e a família se esconderam está aberto ao público e é hoje um dos museus mais visitados de Amesterdão.

domingo, 11 de junho de 2006

MUNDIAL 2006 DE FUTEBOL - Entre hoje e terça-feira entram em campo, para disputar os primeiros jogos, as três equipas lusófonas. Quis o sorteio que jogassem, hoje, entre si, duas delas (Portugal e Angola).
Que se encontrem TODAS na fase seguinte, são os votos do TopaTudo que, obviamente, torce por Portugal, mas deseja o melhor possível para o Brasil e para Angola.
Aqui, em Portugal, vêem-se bandeiras Portuguesas por todo o lado, mas também muitas do Brasil e de Angola. Juntos, confraternizando, vamos assistir a todos os jogos!

sábado, 10 de junho de 2006

O Motor de Busca Google presenteou-nos hoje,
feriado em Portugal, Dia de Camões,
com este simpático logotipo.
EFEMÉRIDE - Luís Vaz de Camões morreu em 10 de Junho de 1580, provavelmente na miséria, sendo no entanto difícil distinguir aquilo que é realidade, daquilo que é mito e lenda.
Terá nascido em Lisboa, por volta de 1524, de uma família do Norte (Chaves), provavelmente de ascendência galega embora se tenha fixado em Portugal séculos antes
Viveu algum tempo em Coimbra onde terá frequentado aulas de Humanidades, embora não se conserve qualquer registo em arquivos. Regressou depois a Lisboa, levando aqui uma vida boémia.
Serviu como soldado em Ceuta, por volta de 1549-1551, aí perdendo um olho.
Em 1553, partiu para a Índia, fixando-se na cidade de Goa onde terá escrito grande parte da sua obra. Assinala-se também a sua passagem por Moçambique, Macau e mesmo China.
Regressou a Portugal em 1569, pobre e doente, conseguindo publicar em 1572 Os Lusíadas graças à influência de alguns amigos junto do rei D. Sebastião.
Foi autor ainda de Rimas, El-Rei Seleuco, Auto de Filodemo e Anfitriões, todas estas obras publicadas postumamente.
As informações sobre a sua biografia são relativamente escassas e pouco seguras, apoiando-se num número limitado de documentos e breves referências dos seus contemporâneos. A própria data do seu nascimento, assim como o local, é incerta.
Na sua poesia lírica avultam os poemas de temática amorosa, em que se tem procurado solução para as muitas lacunas em relação à vida e personalidade do poeta. É o caso da sua relação amorosa com Dinamene, uma jovem chinesa que surge em alguns dos seus poemas, nomeadamente no conhecido soneto «Alma minha gentil que te partiste».
Foi com Os Lusíadas que Camões alcançou a glória, embora só depois da sua morte. Trata-se de um poema épico, seguindo os modelos clássicos e renascentistas, que pretende fixar para a posteridade os grandes feitos dos portugueses no Oriente. Aproveitando a mitologia greco-romana e fundindo-a com elementos cristãos, o que na época e mesmo mais tarde, gerou alguma controvérsia, Camões relata a viagem de Vasco da Gama, tomando-a como pretexto para a narração da história de Portugal, intercalando episódios narrativos com outros de cariz mais lírico.
Amplamente traduzido e admirado, é considerado quase unanimemente a figura cimeira da língua e da literatura portuguesas.
O dia 10 de Junho é feriado em Portugal.

sexta-feira, 9 de junho de 2006

EFEMÉRIDE - Charles John Huffam Dickens, um dos mais populares romancistas ingleses, morreu em 9 de Junho de 1870, tendo nascido em 7 de Fevereiro de 1812.
A popularidade dos seus romances e contos foi enorme não só durante a sua vida... Ainda hoje, os seus livros continuam a ser reeditados por todo o mundo.
Começou a trabalhar aos doze anos, numa fábrica de graxa para sapatos. Talvez por isso, anos mais tarde, as más condições de trabalho da classe operária inglesa se tivessem tornado num dos temas mais recorrentes na sua obra.
Os seus primeiros romances foram publicados em jornais sob a forma de fascículos. Em 1849 publicou aquele que viria a ser o mais popular, David Copperfield, inspirado principalmente na sua própria vida.
A partir de 1858, o seu tempo foi ocupado sobretudo com leituras públicas. Este género de espectáculo, que consistia apenas em ouvir Dickens, lendo as suas próprias obras, tornou-se então muito popular.
Foi sepultado no Poets'Corner (Esquina dos Poetas), na Abadia de Westminster. Na sua sepultura está gravada a seguinte inscrição:
“Apoiante dos pobres, dos que sofrem e dos oprimidos. Com a sua morte, um dos maiores escritores de Inglaterra desapareceu para o Mundo.”

DOIS SITES INTERESSANTES

1 - Vale a pena ver esta animação. Muito original:

http://abum.com/file/shadow/animations/17632.swf

2 – Veja as primeiras páginas de jornais de todo o mundo:

http://www.newseum.org/todaysfrontpages/flash/
Passatempo...


quinta-feira, 8 de junho de 2006

Copo Mágico
ou um modo de corrigir o nariz
sem fazer uma operação de estética...
EFEMÉRIDE - Marguerite Yourcenar, de seu nome verdadeiro Marguerite Cleenewerck de Crayencour, escritora belga de língua francesa, nasceu no dia 8 de Junho de 1903 em Bruxelas. Foi a primeira mulher eleita para a Academia Francesa (1981).
Aos oito anos já lia clássicos e o pai ensinou-lhe latim aos oito anos e grego aos doze...
Em 1939 mudou-se para os Estados Unidos, onde passou o resto de sua vida, obtendo a cidadania americana em 1947. Ensinou literatura francesa até 1949.
As Memórias de Adriano, livro publicado em 1951, tornaram-na internacionalmente conhecida. Publicou vários romances, biografias, ensaios, poemas e memórias.
Faleceu em 17 de Dezembro de 1987 nos Estados Unidos da América.

quarta-feira, 7 de junho de 2006

Loucuras do Mundial de Futebol...
EFEMÉRIDE - Paulo Leminski, poeta, prosador e tradutor brasileiro, morreu em 7 de Junho de 1989. Nascera na cidade de Curitiba, Paraná, em 24 de Agosto de 1944.
Desde os 18 anos, esteve envolvido em actividades literárias, participando em concursos em todo o Brasil. Músicas suas foram também gravadas por, entre outros, Caetano Veloso e Ney Matogrosso.
Leminski , desde muito cedo, adoptou um jeito próprio de escrever poesia, preferindo poemas breves, muitas vezes fazendo haicais (poemas japoneses de três versos), trocadilhos, ou brincando com ditados populares. Aos 20 anos, publicou os seus primeiros poemas na revista Invenção.
Na década de 70, teve poemas e textos publicados em diversas revistas de sua cidade natal e lançou, em edição particular, o seu ousado Catatau, que denominou "prosa experimental".
Para o homenagear, no ano da sua morte, foi inaugurado o Espaço Cultural Paulo Leminski, teatro ao ar livre, na antiga pedreira municipal de Curitiba.

terça-feira, 6 de junho de 2006

Se vai conduzir, não beba...
... Se bebeu, não conduza!!
EFEMÉRIDE - Thomas Mann, romancista alemão considerado por alguns como um dos maiores escritores do século XX, nasceu em Lubeck, na Alemanha, em 6 de Junho de 1875, tendo morrido em 12 de Agosto de 1955 na Suiça. Era filho de um comerciante alemão e da brasileira Júlia Silva Bruhns Mann.
Em 1895, tornou-se definitivamente escritor, muito influenciado pela mãe. Foi autor de romances, ensaios, escritos políticos, novelas e contos, sendo igualmente editor de alguns jornais.
Em 1929, tornou-se ainda mais famoso, ganhando o Prémio Nobel da Literatura. O júri justificou o prémio, referindo-se ao livro Os Buddenbrooks, ignorando A montanha mágica, romance em que o escritor revelava simpatia pelas ideias democráticas.
Emigrou para a Suíça em 1933, o ano da chegada ao poder de Hitler. Perdeu a nacionalidade alemã em 2 de Dezembro de 1936, tendo-se mudado para os Estados Unidos em 1938. Em 1944, obteve a cidadania americana. Desencantado no entanto com a «caça às bruxas», regressa à Europa em 1952, para viver perto de Zurique até à sua morte.
Casado, com filhos e tendo estado apaixonado por várias mulheres, debatia-se no entanto com desejos homossexuais que estão patentes em algumas das suas obras. O seu irmão Heinrich, também escritor, tomara conhecimento da sua orientação sexual quando Thomas Mann tinha apenas 15 anos e sugeriu-lhe uma cura de sono... A maioria dos comentadores é da opinião que a homossexualidade de Thomas Mann foi reprimida e que a escrita era para ele uma forma de compensar esse constrangimento. É preciso lembrar que, até à primeira metade do século XX, a homossexualidade era vista como um desvio sexual e motivo para tratamento psiquiátrico.

domingo, 4 de junho de 2006

Um memorial evocativo da OPA de Belmiro sobre a PT foi inaugurado no Japão. O Senhor Engenheiro não esteve presente, pois encontrava-se em Portugal desenvolvendo esforços para sugerir a revisão da Constituição Portuguesa...

sábado, 3 de junho de 2006

EFEMÉRIDE - Franz Kafka, escritor checo de língua alemã, nasceu em Praga no dia 3 de Julho de 1883, tendo morrido vítima da tuberculose, na Áustria em 3 de Junho de 1924.
Filho de um comerciante judeu, Kafka cresceu sob a influência de três culturas: a judaica, a checa e a alemã.
Formado em direito, solitário, Kafka não atingiu nem fama nem fortuna com os seus livros, a maioria dos quais só foram editados após a sua morte.
Uma das suas obras, O Processo, conta a história de Josef K., julgado e condenado por um crime que ele mesmo ignora, daí o termo «processo kafkiano» para exprimir a ideia de processos estranhos e tenebrosos.
Foi também autor de várias colecções de contos e de centenas de páginas de diários.

sexta-feira, 2 de junho de 2006

EFEMÉRIDE - Donatien Alphonse François de Sade, mais conhecido como Marquês de Sade, nasceu em Paris no dia 2 de Junho de 1740, tendo falecido em Saint-Maurice em 2 de Dezembro de 1814. Foi um aristocrata francês e escritor de pornografia violenta. Muitas das suas obras foram escritas enquanto estava na prisão, encarcerado justamente por escrever livros não autorizados pelo Estado.
Está na origem do termo sadismo.

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...