sábado, 15 de julho de 2006

TopaTudo fecha para férias durante um mês.
Até ao meu regresso e tudo de bom para quem habitualmente me visita!!

quinta-feira, 13 de julho de 2006

Já muito tarde, na cama, a mulher pergunta ao marido:
— Amor, se eu morresse, casarias de novo?
— Claro que não!
— Porquê? Não gostaste de estar casado?
— Claro que gostei, mas...
— Então, por que não casavas de novo?
— Tá bem, casava.
— Mesmo?
— Sim.
— Ela dormiria na nossa cama?
— Sim.
— Trocarias as minhas fotos pelas dela?
— Naturalmente!
— E ela usaria o meu carro?
— Não, ela não conduz.
— O quê?!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

quarta-feira, 12 de julho de 2006

TRABALHO PARA CASA
 
Um funcionário de uma agência funerária está a trabalhar de noite, para examinar corpos antes deles serem sepultados ou cremados.
Examina um corpo, identificado como José Chagas, que irá ser cremado, e descobre que o defunto tem o maior pénis que ele jamais vira.
- Desculpe, Sr. Chagas - pensa o funcionário -
mas não posso mandá-lo para o crematório com essa coisa enorme. Ela tem que ser conservada para a posteridade.Com um bisturi, remove o «apêndice» do morto, guarda-o num frasco e vai para casa.
A primeira pessoa a quem ele mostra a monstruosidade é à mulher.
- Tenho algo inacreditável para te mostrar, querida. Nem vais acreditar!Depois, abre o frasco e a mulher, ao ver o conteúdo, grita estarrecida:- Oh meu Deus, o Chagas morreu??!!... 

Moral da História :

NUNCA LEVE TRABALHO PARA CASA!!
EFEMÉRIDE - São Tomé e Príncipe, Estado insular localizado no Golfo da Guiné, composto por duas ilhas principais e várias ilhotas, atravessado pelo Equador, com um total de 964 km² e cerca de 120 mil habitantes, tornou-se independente de Portugal em 12 de Julho de 1975. Assim nasceu mais um País de língua oficial portuguesa.
As ilhas de São Tomé e Príncipe estiveram desabitadas até 1470, ano em que os navegadores portugueses João de Santarém e Pedro Escobar as descobriram.
A cana-de-açúcar foi introduzida nas ilhas no século XV, mas a concorrência e as constantes rebeliões levaram a cultura agrícola ao seu declínio no século XVI. As ilhas tornaram-se então entrepostos de escravos.
Numa das várias revoltas internas nas ilhas, um escravo chamado Amador, considerado herói nacional, chegou a controlar cerca de dois terços da ilha de São Tomé.
A agricultura só viria a ser desenvolvida de novo no século XIX, com o cultivo de cacau e café.
Em 1960, surgiu um grupo nacionalista opositor ao domínio português que, em 1972, deu origem ao MLSTP (Movimento de Libertação de São Tomé e Príncipe) de orientação marxista.
Após a independência, foi implantado um regime socialista de partido único sob a alçada do MLSTP. Dez anos mais tarde, iniciou-se a abertura económica do país e, em 1990, foi adoptada uma nova constituição que instituiu o pluripartidarismo.
O País tem apostado igualmente no turismo e foram descobertas jazidas de petróleo nas suas águas territoriais o que veio abrir novas perspectivas para o futuro.
A grande maioria do povo São-Tomense fala português (95%). Noventa e nove por cento da sua população é rural.

terça-feira, 11 de julho de 2006

Cliquar na imagem para a aumentar
Reacção bem portuguesa...
in «Público» de hoje
Contrariamente àquilo que reiteradamente e enganosamente afirmam os nossos governantes, os nossos Belmiros de Azevedo, os nossos Medinas Carreira, as nossas Fátimas Campos, os nossos iluminados analistas político/económicos que diariamente temos de suportar na televisão e nos jornais e que adulteram com a maior ligeireza os indicadores que manuseiam a seu belo prazer, e que, de repente, tudo sabem sobre a "Função Pública", contrariamente ao que diz esta gentalha, a percentagem de Funcionários Públicos na Europa é bem diferente da mentira que nos vendem esses senhoritos.

Ora vejam: PESO DOS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS NA POPULAÇÃO ACTIVA (Fonte EUROSTAT, publicado no Correio da Manhã)


Suécia .. 33,3%
Dinamarca .30,4%
Bélgica .. 28,8%
Reino Unido .27,4%
Finlândia .26,4%
Holanda .. 25,9%
França .. 24,6%
Alemanha .. 24%
Hungria .. 22%
Eslováquia .21,4%
Áustria .. 20,9%
Grécia .. 20,6%
Irlanda .. 20,6%
Polónia .. 19,8%
Itália .. 19,2%
República Checa..19,2%
PORTUGAL .. 17,9%
Espanha .. 17,2%
Luxemburgo .. 16%

Não há, pois, funcionários públicos a mais. Há sim uma distribuição não correcta, o que faz com que existam sectores em falta e, outros, em excesso. Por exemplo, a reforma da administração pública que é imperioso que seja feita, deverá começar por mudar a realidade dos dados, que nos indicam que cada ministro (deste e dos anteriores governos) tem, ao seu serviço pessoal e sob as suas ordens directas, uma média de 136 pessoas (entre secretários e subsecretários de estado, chefes de gabinete, funcionários do gabinete, assessores, secretárias e motoristas) e 56 viaturas: estamos a falar em CINCO vezes mais que no resto da Europa.

Há "respeitados" analistas, ligados ao mundo empresarial, que querem a diminuição cega dos funcionários, apenas para que as empresas privadas em que, directa ou indirectamente têm interesses, possam ser contratadas para fazer serviços públicos ("Outsourcing") e, assim, elas possam crescer!!

Por último refira-se que se serviu para alguma coisa, o programa dos Prós e Contras da RTP de 22 de Maio passado, foi que, quando os compadres se zangam, sabem-se as verdades. E a verdade que saiu do programa da RTP foi que temos uma comunicação social corrupta e ao serviço de quem tem muito dinheiro. Nestes programa, a ideia que mais uma vez a comunicação social vendeu à opinião pública (a qual foi repetidamente alardeada pela Fátima Campos e seus usuais convidados), foi a da necessidade de 200 mil despedimentos na função pública. No entanto, como acima está demonstrado pelas estatísticas europeias, resulta claro que somos o 3º país da U.E. com menor percentagem de funcionários públicos na população activa.

Assim se informa e se faz política em Portugal.

(recebido por e-mail)

segunda-feira, 10 de julho de 2006

A febre do Mundial...
«Fisga Airlines»
- Por causa da crise do petróleo...
EFEMÉRIDE - Maria de Lurdes Ruivo da Silva Matos Pintasilgo, única mulher que desempenhou o cargo de primeiro-ministro em Portugal, faleceu em sua casa na madrugada de 10 de Julho de 2004, vítima de paragem cardíaca.
Nascida em Abrantes no dia 18 de Janeiro de 1930, licenciou-se em Engenharia Químico-Industrial em 1953 no Instituto Superior Técnico. Foi presidente da Juventude Universitária Católica Feminina, de 1952 a 1956. Depois dirigiu a Pax Romana (Movimento Internacional dos Estudantes Católicos) até 1958. Escreveu alguns ensaios sobre a Igreja Católica e sobre o papel das mulheres na sociedade. Foi candidata à Presidência da República Portuguesa em 1986.
Ocupou ainda os seguintes cargos: Procuradora na Câmara Cooperativa (1965-1974), Ministro dos Assuntos Sociais do II e III Governos Provisórios, Embaixadora da UNESCO, Consultora do Presidente Ramalho Eanes, Membro do Conselho das Universidades das Nações Unidas, Membro do Movimento Internacional Católico Graal, Fundadora do Movimento para o Aprofundamento da Democracia em 1986 e Deputada pelo Partido Socialista ao Parlamento Europeu em 1987.

quarta-feira, 5 de julho de 2006

Prevenção Rodoviária no Brasil
EFEMÉRIDE - Jean Maurice Eugène Cocteau, cineasta, poeta, escritor, pintor, dramaturgo, cenógrafo, actor e escultor francês, nasceu em 5 de Julho de 1889 e faleceu em 11 de Outubro de 1963.
Foi um dos mais talentosos artistas do século XX e um dos mais importantes cineastas de todos os tempos.
Começou a escrever aos dez anos e aos dezasseis já publicava as suas primeiras poesias.
Esteve ligado activamente a diversos movimentos artísticos e foi eleito membro da Academia Francesa em 1955.
Homossexual, não escamoteou a sua orientação sexual, tendo mantido uma estreita amizade profissional e amorosa com Jean Marais, o seu actor preferido. Foi amigo também de Edith Piaf.
Realizou doze filmes, todos ricos em simbolismos e imagens surreais.

terça-feira, 4 de julho de 2006

EFEMÉRIDE - Maria Salomea Sklodowska (Marie Curie), cientista francesa de origem polaca, morreu no dia 4 de Julho de 1934 em Sancellemoz, Suiça, vítima de leucemia, devido seguramente à exposição maciça a radiações durante o seu trabalho. Os seus restos mortais estão no Panteão de Paris, tendo sido a primeira mulher a ser sepultada neste local. Nascera em Varsóvia no dia 7 de Novembro de 1867.
Passou a sua infância na Polónia e em 1891 abandonou o país natal, viajando até Paris, onde ingressou na Universidade da Sorbonne. Três anos mais tarde, diplomou-se em Ciências Físicas e regressou à Polónia. Obteve uma bolsa e viajou de novo para Paris, com o objectivo de terminar a licenciatura em Matemática. Acabou o curso de matemática e nesse mesmo ano conheceu Pierre Curie.
Apesar da diferença de idades, os dois tinham muito em comum: um amor muito grande pela natureza e pelo campo, pouca ambição financeira e uma grande paixão pela pesquisa.
Recebeu em 1903, juntamente com o marido e Henri Becquerel, o Prémio Nobel da Física, pelos seus trabalhos com a Radioactividade.
Pierre Curie morreu em 1906. Marie ficou arrasada com a morte de Pierre, mas como uma espécie de fuga voltou ao trabalho no mês seguinte. Aceitou o cargo que era do marido e tornou-se na primeira mulher a ensinar na Sorbonne.
Marie recebeu em 1911 o Prémio Nobel da Química por ter produzido rádio puro, que ela tinha isolado no ano anterior pelo Método Electrolítico de Gruntz. Torna-se na primeira pessoa a receber dois Prémios Nobel e em campos diferentes.
Em 1918, Curie tornou-se directora do Instituto de Rádio de Paris. Aos 52 anos, com a ajuda de uma jornalista americana, fez um circuito de palestras e viagens pelos Estados Unidos, com a intenção de arrecadar fundos para aquele Instituto. O circuito não seria completado em virtude da sua saúde.
Em 1922, Marie Curie, pioneira na pesquisa da Radioactividade e primeira mulher cientista a ter fama mundial, foi eleita para a Academia Francesa de Medicina.
Sua filha mais velha, Irène Joliot-Curie, recebeu também o Prémio Nobel de Química, em 1935, um ano depois da morte de sua mãe.

domingo, 2 de julho de 2006

E o humor brasileiro já está aí!!
Parreira e os seus jogadores no regresso a casa...
EFEMÉRIDE - Ernest Hemingway, romancista americano, suicidou-se em Ketchum no dia 2 de Julho 1961. Nascera em Oak Park, nos arredores de Chicago, em 21 de Julho 1899.
Foi voluntário para combater na Europa em 1917 e correspondente de guerra durante a Guerra Civil Espanhola. Esta última experiência inspirou uma das suas principais obras - Por quem os sinos dobram. No fim da Segunda Guerra Mundial instalou-se em Cuba.
Levou uma vida bastante aventureira, tendo-se casado quatro vezes.
O livro O Velho e o Mar, publicado em 1952, é considerado como a sua obra-prima. Hemingway recebeu o Prémio Nobel de Literatura em 1954. Muitos dos seus livros retratam as suas experiências de vida.
Estando a ficar cego, sofrendo de «depressão bipolar», tendo complexos de inferioridade e sentindo-se à beira da loucura, decidiu acabar com a vida, ele que sempre tinha criticado seu pai por ter feito o mesmo, considerando mesmo o suicídio como um acto de cobardia...



sábado, 1 de julho de 2006

ESTAMOS NAS MEIAS-FINAIS
Cristiano Ronaldo desta vez não chorou!
EFEMÉRIDE - Amália Rodrigues, considerada a maior intérprete do fado, nasceu em Lisboa no dia 1 de Julho de 1920, tendo morrido, também em Lisboa, no dia 6 de Outubro de 1999.
Aos 15 anos começou a tornar-se notada devido ao timbre da sua voz. Mais tarde alcançou grande êxito no Retiro da Severa e torna-se vedeta do fado com uma rapidez notável. Passa a actuar também no Solar da Alegria e no Café Luso.
Estreia-se no teatro de revista em 1940, como atracção da peça "Ora Vai Tu", no Teatro Maria Vitória. Actua pela primeira vez no estrangeiro, em Madrid.
Cantou em numerosas salas de espectáculo estrangeiras e foi convidada para vários programas de televisão pelo mundo fora. Cantava não só fados e outras canções populares portuguesas, mas também canções de outros países, sobretudo espanholas.
Em Setembro de 1944, foi ao Rio de Janeiro para actuar no Casino Copacabana. A recepção foi de tal forma entusiástica que o seu contrato de quatro semanas prolongou-se por quatro meses.
Em 1947 estreou-se no cinema, com Capas Negras, um filme que ficou 22 semanas em exibição o que era um recorde para a época.
Amália foi pela primeira vez cantar a Paris no Chez Carrère e a Londres no Ritz. A internacionalização de Amália aumenta, com a participação, em 1950, nos espectáculos do Plano Marshall, o plano de apoio dos EUA à Europa do pós-guerra, em que participaram os mais importantes artistas de cada país. O êxito repete-se em Trieste, Berna, Roma, Paris e Dublin, onde canta a canção Coimbra, que seria popularizada em todo o mundo como Avril au Portugal.
E Amália nunca mais parou, percorrendo praticamente todo o Mundo.
Em 1997 é editado o seu último disco. No mesmo ano dá-se o falecimento do segundo marido de Amália, César Seabra, com quem era casada havia 36 anos. Amália publica ainda um livro de poemas e é-lhe feita uma grande homenagem nacional na Exposição Mundial de Lisboa (Expo 98).
Amália Rodrigues morre com 79 anos. Sepultada no Cemitério dos Prazeres, o seu corpo foi posteriormente trasladado para o Panteão Nacional, em Lisboa, onde repousam as personalidades mais ilustres de Portugal.
Impossível contabilizar o número de discos de Amália mas, de fonte segura, contam-se pelo menos cerca de quarenta entre 1945 e 1997. Entre eles, Amália no Olympia (1957), Amália Canta Luís de Camões, o que era uma novidade, quase atrevimento e escândalo, para a época (1965), Amália e Vinícius (1970), Amália no Japão (1971), Amália no Canecão (1976) e Amália na Broadway (1984).


Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...