terça-feira, 31 de outubro de 2006

EFEMÉRIDE - Harry Houdini, nome artístico de Ehrich Weiss, um dos mais famosos mágicos dos Estados Unidos, morreu em Detroit, no Michigan, em 31 de Outubro de 1926, o dia das bruxas. Nascera no dia 24 de Março de 1874 em Budapeste, de onde a família emigrou para os Estados Unidos quando ele tinha apenas duas semanas de vida.
Teve uma infância muito pobre, o que o obrigou a trabalhar desde bastante cedo. Foi fotógrafo, contorcionista, trapezista e também ferreiro, ofício em que aprendeu truques que mais tarde o transformariam no maior ilusionista do mundo.
Começou a sua carreira como mágico, actuando em feiras. Tinha frequentemente o cuidado de, embora guardando os seus segredos, demonstrar que tudo não passava de ilusões e não eram de forma alguma poderes sobrenaturais.
Fazia números em que se libertava de algemas, de correntes e de cadeados, dentro de caixas, dentro de tanques fechados, dentro e fora de água. Teve um sucesso enorme e ninguém até hoje conseguiu desvendar os seus truques por completo, mesmo depois dele ter escrito boa parte dos segredos em livro.
Houdini tinha habilidades impressionantes. Era capaz, por exemplo, de ficar vários minutos dentro de água sem respirar. Depois, costumava pedir a alguém do público para o socar na barriga, para provar que era invencível. E foi por causa de uma destas demonstrações que ele morreu. Após apresentar o número para uma plateia de estudantes em Montreal, no Canadá, um dos estudantes, boxeur amador, invadiu o palco e sem dar tempo a Houdini para preparar os músculos, golpeou-lhe o abdómen com dois socos. Os violentos golpes provocaram-lhe a ruptura do apêndice e seis dias depois morreu.

segunda-feira, 30 de outubro de 2006

SÓ MESMO SENDO GINECOLOGISTA...

Fim de tarde, um ginecologista aguarda a sua última paciente que não chega.
Depois de 45 minutos de espera, ele supõe que ela não virá mais e resolve tomar um gim tónico para relaxar antes de voltar para casa.
Instala-se confortavelmente numa poltrona e começa a ler o jornal do dia, quando toca a campainha.
É a paciente que chega e, com os olhos cheios de lágrimas, pede desculpas pelo atraso.
- "Não tem importância, imagine..." - responde o médico.
- "Olhe, eu estava tomando um gim tónico enquanto esperava. Quer um também antes do exame?"
- "Aceito com prazer."
- responde a paciente, aliviada.
Ele serve-lhe um copo, senta-se na sua frente e começam a bater um papo.
De repente ouve-se um barulho de chave na porta do consultório.
O médico tem um sobressalto, levanta-se bruscamente e diz:
- "É a minha mulher! Rápido, tire a roupa e abra as pernas!"
SE GOSTAM DE BOAS CANÇÕES…
 
Oiçam e vejam. Ela é branca, mas canta como uma negra. Ela é uma menina (11 anos de idade), mas canta como uma mulher. Ela chama-se Bianca Ryan e está a deixar o Mundo musical em delírio. Fixem o nome. Sigam o link porque vale a pena ver como nasce uma estrela:
http://www.pistolwimp.com/media/48046

Para quem gosta de Dulce Pontes e/ou de Andrea Bochelli:
http://dulcepontes.net/downloads/stats.php?id=238
Que mauzinhos...

EFEMÉRIDE - Paul Valéry, escritor, poeta e filósofo francês, inserido no movimento simbolista, nasceu em Sète no dia 30 de Outubro de 1871. Morreu em Paris em 20 de Julho de 1945.
Começou a estudar Direito em 1889, ano em que publicou os seus primeiros versos.
Em 1894 instalou-se em Paris, onde trabalhou no Ministério da Guerra, tendo-se dedicado inteiramente à literatura após a Primeira Guerra Mundial. Em 1925, foi eleito membro da Academia Francesa.
Sob a ocupação francesa, porque se recusou a colaborar com os alemães, perdeu o lugar que então ocupava de administrador do Centro Universitário de Nice. Morreu algumas semanas depois do fim da Segunda Guerra, tendo tido funerais nacionais a pedido de Charles de Gaulle.
Alguns dos seus pensamentos:
- «Deus criou o homem e, não o considerando suficientemente só, deu-lhe uma companheira para que ele pudesse sentir melhor a solidão»
- «Há duas coisas que ameaçam o Mundo: a ordem e a desordem»
- «O homem moderno é escravo da modernidade: não há progresso que não se transforme na mais completa servidão. O conforto acorrenta-nos».

domingo, 29 de outubro de 2006

Diálogo no Egipto:
- Name?
- Abdullah al-Assay.
- Sex?
- Four times a week.
- No, no! Male or female...
- Male, female, sometimes camel...

Mudou a Hora em Portugal.
No site seguinte, pode verificar a hora local em todos os países do Mundo:

http://www.timeticker.com/
EFEMÉRIDE - Georges Brassens, poeta, compositor e cantor francês, morreu em Saint-Gély-du-Fesc, perto de Montpellier , em 29 de Outubro de 1981. Nascera em Sète no dia 22 de Outubro de 1921.
Os pais eram bastante diferentes : a mãe, de origem napolitana, era uma católica de grande devoção; o pai, um homem calmo, generoso, livre-pensador, era anticlerical e dotado de grande independência de espírito. Uma coisa no entanto os unia: o gosto pelas canções.
Brassens começou por gostar de música e de canções graças ao ambiente familiar, mas em breve veio a sonhar tornar-se poeta em virtude da influência de um professor.
Durante a guerra, Brassens mudou-se para Paris, onde foi morar com uma tia que tinha um piano. Fez a sua aprendizagem, tocando sozinho.
Trabalhou na Renault, cuja fábrica foi bombardeada pelos alemães que tinham invadindo o país. Regressou a Sète, mas sentiu que o seu futuro não estava ali e, em breve, voltou a Paris e ao piano da sua tia Antonieta. Estudou os poetas famosos e começou a escrever canções.
Adquiriu uma guitarra usada e trabalhou este instrumento de modo obstinado, fazendo progressos extraordinários. A sua personalidade tinha já as características definitivas: cachimbo, bigode, culto dos amigos mas necessidade de solidão, grande cultura literária, fundo libertário, antimilitarismo visceral, ateísmo profundo e total desprezo pelo conforto e pelo dinheiro.
Depois de alguns fracassos em salas parisienses, encontrou-se em 1952 com a cantora Patachou, que ficou entusiasmada com as suas canções e o convidou para actuar no seu cabaret. Pela primeira vez Brassens conseguiu atrair a atenção do público e, meses mais tarde, era cabeça de cartaz no célebre Bobino. Sucesso fulgurante, primeira tournée e primeiro disco. Em breve Brassens percorria toda a França, a Suiça e a Bélgica. Era a sua consagração e o sucesso das suas canções.
Obteve o Grande Prémio de Poesia da Academia Francesa em 1967.
Em Novembro de 1980, doente, foi operado a um cancro. Durante o Verão de 1981, sentindo-se pior, regressou à terra natal, morrendo no fim de Outubro.
Vendeu cerca de vinte milhões de álbuns, o que constituía um recorde para a época. Compôs mais de 250 canções, das quais foram gravadas apenas 200, as restantes tendo ficado inacabadas.

sábado, 28 de outubro de 2006

EFEMÉRIDE - Manuel dos Santos, Mané Garrincha ou simplesmente Garrincha, futebolista brasileiro, nasceu em Magé no dia 28 de Outubro de 1933. Morreu no Rio de Janeiro em 20 de Janeiro de 1983, portanto com menos de cinquenta anos. É considerado um dos maiores jogadores da história do futebol.
Garrincha foi um dos heróis do Mundial de 1958 e, principalmente, da Copa do Mundo de 1962 quando, após a lesão de Pelé, se tornou o principal jogador do ataque brasileiro.
Uma das características marcantes que envolvem a figura de Garrincha relaciona-se com as suas pernas tortas. Uns dizem que já teria nascido assim, outros que foram sequelas de uma poliomielite.
Na maior parte da sua carreira, defendeu o Botafogo (1953-65) e a Selecção Brasileira (1955-66). Jogou ainda no Sport Club Corinthians Paulista (1966), na Portuguesa de Desportos (1967), na Colômbia em 1968, no Flamengo (1968/69) e no Olaria em 1971/72.
Garrincha praticou muitos excessos tanto no amor como no álcool. Teve várias mulheres e foi pai inúmeras vezes. Reconheceu a maioria dos filhos dos quais teve conhecimento.
Jogou sessenta partidas pelo Brasil entre 1955 e 1966. Venceu todos os jogos em que participou, tendo perdido apenas com a Hungria na Copa de 66. A única verdadeira derrota que terá conhecido foi face ao alcoolismo, mas não há, nunca houve, homens perfeitos!

sexta-feira, 27 de outubro de 2006

EFEMÉRIDE - Graciliano Ramos de Oliveira, um dos maiores escritores brasileiros do século XX, nasceu em Quebrangulo, Alagoas, em 27 de Outubro de 1892, tendo falecido no Rio de Janeiro em 20 de Março de 1953.
Viveu os primeiros anos em diversas cidades do Nordeste brasileiro e terminou o segundo grau em Maceió, seguindo depois para o Rio de Janeiro, onde trabalhou como jornalista. Voltou para o Nordeste em 1915.
Aos 14 anos já publicava sonetos na revista carioca «O Malho». Durante muito tempo escreveu sob variadíssimos pseudónimos.
Foi prefeito de uma cidade do interior em 1927/1928.
Foi preso, por razões políticas, no tempo de Getúlio Vargas. Um seu livro, publicado postumamente - Memórias do Cárcere - espelha esta sua dolorosa experiência.
Publicou o seu primeiro livro em 1933. Ele reflectia já o pessimismo que viria a emanar de quase toda a sua obra. Dominando perfeitamente as línguas francesa e inglesa, traduziu também alguns livros destes idiomas.
Em 1945 filiou-se no Partido Comunista do Brasil (PCB), do qual era então secretário-geral o célebre Luís Carlos Prestes.
Foi presidente da Associação Brasileira de Escritores em 1951, tendo sido reeleito no ano seguinte. Em Abril de 1952, visitou a Checoslováquia, a União Soviética, França e Portugal.
Publicou romances, contos, memórias, crónicas e impressões de viagens. Vários dos seus livros só foram publicados depois da sua morte.
Adoeceu gravemente em 1952, tendo sido internado num hospital do Rio de Janeiro em 1953. Acabaria por falecer, aos 60 anos, vítima de cancro (câncer) do pulmão.

quinta-feira, 26 de outubro de 2006

EFEMÉRIDE - José Augusto Neves Cardoso Pires, escritor português, morreu em Lisboa no dia 26 de Outubro de 1998. Nascera em 2 de Outubro de 1925, em São João do Peso, Vila de Rei.
Passou grande parte da sua infância e adolescência na capital, onde frequentou o Liceu Camões tendo sido aluno de Rómulo de Carvalho (poeta António Gedeão). Mais tarde ingressou no curso de Matemáticas Superiores da Faculdade de Ciências de Lisboa, que não chegou a concluir.
A sua experiência da vida boémia, da rua e da noite, resultou num conhecimento que transpôs magistralmente para alguns dos seus livros. Foi oficial da Marinha Mercante (embora por pouco tempo), professor de Literatura Portuguesa e Brasileira em Londres e realizou esporadicamente trabalhos como publicitário até se dedicar definitivamente à escrita. Foi colaborador de várias publicações entre as quais "Almanaque", «O Globo», «Eva», "Diário de Lisboa", "Gazeta Musical e de Todas as Artes" e "Afinidades".
Esteve exilado algum tempo em Paris e no Brasil. A sua carreira desenvolveu-se ao longo de quase cinquenta anos, sendo considerado um dos mais importantes escritores da segunda metade do século XX. Teve várias das suas obras adaptadas ao cinema e ao teatro e traduzidas no estrangeiro. Recebeu muitos prémios em Portugal, no Brasil e em Itália.
A sua última obra mais importante foi De profundis, Valsa Lenta (1997), relato do acidente vascular cerebral que o atingiu em 1995 e que é apresentado pelo autor como uma viagem à desmemória. É a única narrativa da sua obra que pode ser considerada autobiográfica.

quarta-feira, 25 de outubro de 2006

EFEMÉRIDE - Pablo Diego Jose Francisco de Paula Juan Nepomuceno Crispin Crispiniano de la Santisima Trinidad Ruiz Blasco Picasso y Lopez, ou simplesmente Picasso, um dos mestres da Arte no século XX, nasceu em Málaga, Espanha, em 25 de Outubro de 1881. Morreu em Mougins, França, em 8 de Abril de 1973.
Os desenhos de infância de Picasso representavam cenas de touradas. A sua primeira obra, ainda guardada hoje, era um óleo sobre madeira, pintado com a idade de oito anos e chamado O Toureiro.
Aos 15 anos, então a viver em Barcelona, Picasso já tinha o seu próprio atelier. Em 1900, viajou pela primeira vez para Paris, onde morou com Max Jacob (jornalista e poeta), que o ajudou com a língua francesa. Foi um período de extrema pobreza, frio e desespero. Muitos de seus desenhos tiveram que ser utilizados como material combustível para aquecimento do quarto.
Na fase azul (1901 a 1905), Picasso pintou a pobreza, a cegueira, a alienação e o desespero.
Quando se apaixonou por Fernande Olivier, as suas pinturas mudaram de azul para rosa, inaugurando a fase rosa (1905-1906). Nesta fase, abundam os tons rosa e vermelho, com a presença de acrobatas, dançarinos, arlequins e artistas de circo.
No verão de 1906, durante uma estada em Andorra, a sua obra entrou numa nova fase marcada pela influência das artes grega, ibérica e africana. Era o protocubismo, o antecedente do cubismo.
Depois da 2ª Guerra Mundial (1939-1945), dedicou-se também à escultura, gravação e cerâmica.
Em 1968, aos 87 anos, produziu em sete meses uma série de 347 gravuras recuperando os temas da juventude: o circo, as touradas, o teatro e as situações eróticas. Anos mais tarde, uma operação da próstata e da vesícula, além da visão deficiente, pôs fim às suas actividades.
Um dos quadros mais conhecidos de Picasso é Guernica, em exposição no Museu Nacional Centro de Arte Rainha Sofia, em Madrid. Retrata, de maneira muito peculiar, a cidade basca de Guernica, após bombardeamento pelos aviões nazis. Durante a Segunda Guerra Mundial, Picasso tinha continuado a viver em Paris. Tendo fama de simpatizante comunista, era alvo de controlos frequentes pelos alemães. Durante uma revista do seu apartamento parisiense, um oficial nazi observou uma fotografia do mural Guernica e, apontando para a imagem, perguntou-lhe: - Foi você que fez isto? Picasso respondeu, após um segundo de reflexão:
- Não, foram vocês!!...

terça-feira, 24 de outubro de 2006

Lição de natação...
«As aparências iludem»

CRITÉRIO É CRITÉRIO!

Chegaram 700 currículos à mesa do director.
Ele diz à secretária:
- Pegue nos 30 que estão no topo da pilha e chame-os para serem entrevistados e jogue os restantes na fragmentadora.
- O senhor está louco? São 670 pessoas! Talvez os melhores estejam lá!
Ele responde:
- Eu não preciso de gente sem sorte!
EFEMÉRIDE - José Duarte Ramalho Ortigão, escritor e famoso polemista, nasceu no Porto em 24 de Outubro de 1836. Morreu em Lisboa no dia 27 de Setembro de 1915.
Frequentou o curso de Direito, que não concluiu, e foi professor de francês, tendo tido como aluno Eça de Queiroz, de quem se tornou amigo e com quem escreveu O Mistério da Estrada de Sintra, que foi elaborado à medida que ia sendo publicado no Diário de Notícias em 1870.
Foi crítico literário e folhetinista no Jornal do Porto e colaborou na Revista Contemporânea e na Gazeta Literária. Pertenceu ao grupo conhecido como o os Vencidos da Vida.
É autor das Farpas, crónicas políticas, literárias e de costumes. Era também conhecido no meio mundano pela sua janotice.
Em 1870, tornou-se oficial da secretaria da Academia das Ciências, passando a viver em Lisboa e prosseguindo a sua carreira como jornalista e escritor. Em 1895, foi nomeado bibliotecário do Palácio da Ajuda.
Ramalho Ortigão distinguiu-se, sobretudo, como grande observador da realidade portuguesa, que retratou em estilo de reportagem jornalística em várias das suas obras.

segunda-feira, 23 de outubro de 2006

VELHA BICICLETA (humor negro)

Algures no Alentejo faleceu a avó do Zequinha. Ele vestiu-se, pegou na bicicleta e foi ao funeral.
Deixou a bicicleta junto à igreja e foi acompanhar o corpo da avó até à sepultura. Quando voltou, tinham roubado a bicicleta e o Zequinha pôs-se ali a chorar como um desalmado.
Juntou-se muita gente à sua volta e uma senhora disse-lhe:
- Deixa lá, ela já era muito velhinha!
- Era velha mas eu ainda a montava
- respondeu o Zequinha.
Teste gratuitamente a velocidade da sua ligação à Internet (download/upload):

http://www.abeltronica.com/velocimetro/pt/index.php?idioma=pt&newlang=pt
Clique para aumentar a imagem


EFEMÉRIDEEdson Arantes do Nascimento, conhecido por Pelé, um dos mais famosos jogadores do futebol brasileiro e mundial, nasceu em Três Corações no dia 23 de Outubro de 1940.
Pelé começou a sua carreira no Santos F. C. em 1956 e disputou a sua primeira partida internacional pela selecção brasileira dez meses depois.
Foi campeão do Mundo pelo Brasil em 1958/1962/1970. Depois do Mundial de 1962, vários clubes europeus propuseram somas importantes para o contratar, mas o governo brasileiro declarou-o «tesouro nacional oficial», o que impediu qualquer transferência.
Em 1970, as duas facções implicadas na guerra civil da Nigéria entenderam-se e respeitaram um cessar-fogo de 48 horas para que toda a gente pudesse ver jogar Pelé num jogo-exibição em Lagos.
Jogou no Santos de 1956 a 74 e no New York Cosmos de 1975 a 77.
Competiu em 1375 jogos, marcando 1281 golos. Jogou 115 vezes pela selecção do Brasil, marcando 95 golos.
Formou-se em 1974 como professor de Educação Física na Faculdade de Educação Física de Santos.
Recebeu o título de Atleta do Século de todos os Desportos em 1981, atribuído pelo jornal francês L'Équipe.
Foi Ministro dos Desportos do Brasil de 1995 a 1998.
No final de 1999, o Comité Olímpico Internacional, através de uma votação internacional entre todos os Comités Olímpicos Nacionais, também o elegeu Atleta do Século.
Em 2000, na eleição de Melhor Jogador do Século da FIFA, Pelé foi aclamado como o melhor de todos os tempos, à frente de Diego Maradona.
Embaixador da ONU e da UNESCO para a Educação, Ecologia e Ambiente.
«Todas as crianças do Mundo que jogam futebol querem ser como Pelé. Tenho portanto a pesada responsabilidade de lhes mostrar não somente como ser um futebolista, mas também como ser um Homem»

domingo, 22 de outubro de 2006

Cuidado!!...

Excepção...

Se for necessário, clique para aumentar imagem...
EFEMÉRIDE - Paul Cézanne, pintor francês, morreu em Aix-en-Provence, vítima de pneumonia, no dia 22 de Outubro de 1906. Nascera na mesma cidade em 19 de Janeiro de 1839.
Começou os estudos na sua terra, onde ficou amigo do escritor Émile Zola. Em 1861 foi estudar para Paris, onde conheceu os futuros impressionistas.
Em 1878 voltou à sua Provença natal e passou a desenvolver uma arte bastante original. Até 1895, data em que um mercador lhe organizou uma exposição, a sua obra não era no entanto reconhecida. Cultivava sobretudo a paisagem e a representação de naturezas mortas, mas pintou igualmente figuras humanas. Entre as suas representações de grupos humanos viriam a ser muito apreciadas as cinco versões de Os Jogadores de Cartas.
O seu quadro "Rideau, cruchon et compotier" (1893-1894), foi a obra que atingiu o maior valor de venda, tendo sido vendida por 60.502.500 dólares em 10 de Maio de 1999, em Nova Iorque, o que fez dele o sexto quadro mais caro do mundo.
Paul Cézanne disse um dia : «A aprovação pelos outros é um estimulante, mas devemos por vezes desconfiar».
Se gosta de poesia, oiça este poema lido pelo autor:

http://www.euclidescavaco.com/Recitas/O_Menino_Pobre/index.htm

sábado, 21 de outubro de 2006

EFEMÉRIDE - Alfred Bernhard Nobel, industrial e cientista, nasceu em Estocolmo no dia 21 de Outubro de 1833, tendo morrido em São Remo, Itália, no dia 10 de Dezembro de 1896.
Rapidamente foi notado o seu elevado interesse pela Literatura e pela Química. O pai, ao aperceber-se disso, enviou-o para o estrangeiro afim de ganhar experiência no campo da Engenharia Química. Visitou vários países tais como a França, a Alemanha e os Estados Unidos da América. Foi em Paris que conheceu o jovem químico italiano Ascanio Sobrero, que três anos antes tinha inventado a nitroglicerina. O invento fascinou Nobel, devido ao seu potencial na engenharia civil.
Em 1863, regressou à Suécia, com o objectivo de desenvolver a nitroglicerina como explosivo. Tentou então tornar a nitroglicerina num produto mais manipulável, juntando-lhe vários compostos, que a tornaram de facto numa pasta moldável, a dinamite. A sua invenção veio facilitar os trabalhos nas grandes construções, como túneis e canais.
Faleceu de hemorragia cerebral, na sua casa em São Remo (Itália). No testamento deixou a indicação do seu desejo de criar uma fundação que premiasse anualmente as pessoas que mais tivessem contribuído para o desenvolvimento da Humanidade. Em 1900 foi criada portanto a Fundação Nobel, com a finalidade principal de atribuir cinco prémios em áreas distintas: Química, Física, Medicina, Literatura (atribuídos por especialistas suecos) e Paz Mundial (atribuído por uma comissão do parlamento norueguês). Em 1969 criou-se um novo prémio na área da Economia (financiado pelo Banco da Suécia). Os vencedores recebem medalhas de ouro e diplomas, além de um prémio pecuniário. A sua importância varia segundo as receitas da Fundação obtidas nesse ano.

Prémios Nobel portugueses:

Egas Moniz (Prémio Nobel da Medicina em 1949)
José Saramago (Prémio Nobel da Literatura em 1998)

sexta-feira, 20 de outubro de 2006

EFEMÉRIDE - Jean Nicolas Arthur Rimbaud, poeta francês, nasceu em Charleville, nas Ardenas, em 20 de Outubro de 1854. Faleceu no dia 10 de Novembro de 1891, na cidade de Marselha.
Era um aluno excepcional e começou a escrever muito cedo, cerca dos dez anos. A sua relação com a mãe, com quem vivia, era péssima e, em 1871, Rimbaud recusou ir para o liceu, fugiu e começou a beber absinto. Foi para Paris, chamado pelo poeta Paul Verlaine, com quem se correspondia.
Durante uns tempos regressou a Charleville, para voltar a Paris no segundo semestre de 1972. Voltou a deixar Paris mas, desta vez, em companhia de Verlaine com quem iniciou uma ligação homossexual e uma vida agitada, primeiro em Londres e depois em Bruxelas. Esta relação tumultuosa terminou em 1973 quando Verlaine, perdido de bêbado, disparou sobre Rimbaud ferindo-o ligeiramente e sendo preso.
Rimbaud deixou de escrever aos 21 anos. Passou a limpo o manuscrito de Illuminations, que entregou a Paul Verlaine em Estugarda, e abandonou assim o mundo da literatura, para viver a aventura e atravessar parte da Europa. Quando duma das passagens na Bélgica, tornou-se mercenário para ir combater uma rebelião na ilha de Sumatra, nas Índias holandesas, actual Indonésia. Depois de receber o soldo equivalente a um ano de salário, desertou três dias depois de chegar a Jacarta e voltou à Europa.
Recomeçou o seu périplo pelo Mundo, a partir de 1880, visitando países de sonho como o Egipto, Iémen, Etiópia e Eritreia. Para ele, porém, aqueles eram apenas locais de comércio e de trabalho e meras etapas para o fim. Numa carta escrita à família, nessa época, dizia: «Aborreço-me muito, e sempre; nunca conheci ninguém, que se aborrecesse tanto como eu!».
Em 1891 é repatriado para França, com um tumor num joelho que levaria à amputação da perna. Utiliza uma prótese de madeira, mas a gangrena não tinha sido vencida e acaba por morrer em Marselha aos 37 anos. Ficaria no entanto, para a posteridade, como um dos maiores poetas franceses. Uma carreira literária que decorreu apenas entre os seus dez e vinte e um anos de idade!

quinta-feira, 19 de outubro de 2006

EFEMÉRIDE - Auguste Marie Louis Nicholas Lumière, engenheiro, inventor e divulgador - juntamente com o seu irmão Louis Jean - do projector cinematográfico e considerado, por muitos, como o pai do cinema, nasceu em Besançon, França, em 19 de Outubro de 1862, tendo morrido em 10 de Abril de 1954.
Foi a partir do projector cinematográfico, que tinha sido inventado por Léon Bouly em 1892, que se desenvolveu a Sétima Arte.
A primeira projecção pública dos Irmãos Lumière ocorreu em 1895. Fizeram depois uma digressão com o cinematógrafo, em 1896, visitando Mumbai, Londres e Nova Iorque. Desenvolveram igualmente o primeiro procedimento industrial para fotografia a cores (auto cromo)
Os Irmãos Lumière faziam um pouco de tudo… Inventaram ainda a placa fotográfica seca, o altifalante e o Tulle-gras (para tratar queimaduras), assim como a foto-estéreo-síntese (procedimento para fotografia em relevo) em 1920.
O seu castelo em Lyon, situado perto da fábrica onde desenvolveram as suas actividades, é hoje um museu do cinema.

quarta-feira, 18 de outubro de 2006

EFEMÉRIDE - Manuel Teixeira Gomes, sétimo Presidente da República Portuguesa e escritor, morreu em Bougie, na Argélia, em 18 de Outubro de 1941. Nascera em Vila Nova de Portimão, no dia 27 de Maio de 1862.
Estudou Medicina em Coimbra, mas perdeu-se na boémia. O pai convenceu-se então que era melhor continuar a dar-lhe a mesada e deixá-lo viver a sua vida de rapaz, já com forte tendência para as artes: literatura, pintura e escultura. Seguiu a literatura, mas não deixou de admirar as outras artes, tornando-se amigo de grandes mestres, como Columbano.
Depois da implantação da República, exerceu o cargo de Ministro dos Estrangeiros em Londres, tendo em 11 de Outubro de 1911 apresentado as suas credenciais ao rei Jorge V.
Eleito Presidente, em 6 de Agosto de 1923, o seu mandato será marcado por grande instabilidade política e social, o que o fará resignar em 11 de Dezembro de 1925. Seis dias mais tarde, embarcou no paquete grego "Zeus", nunca mais regressando a Portugal.
Entre as suas obras literárias, salienta-se Cartas sem Moral Nenhuma (1904), Agosto Azul (1904), Desenhos e Anedotas de João de Deus (1907), Gente Singular (1909), Cartas a Columbano (1932), Novelas Eróticas (1935), Regressos (1935), Miscelânea (1937), Mana Adelaide (1938) e Carnaval Literário (1938).

terça-feira, 17 de outubro de 2006

no comments...

GRIPE AVIÁRIA

Uma loira, com medo da gripe aviária, dizia para uma amiga que, daquele dia em diante, não comeria mais carne de frango.
A amiga alertou para o facto do perigo só existir na Ásia.
A loira, indignada, respondeu:
— Mas essa é justamente a parte que eu mais gosto...
Sem comentários... (cliquar sobre a imagem para a ampliar)
in Casa Das Letras E Das Artes (Silvana)
EFEMÉRIDE - Frédéric Chopin, um dos maiores compositores para piano e o mais conhecido compositor polaco, morreu em Paris no dia 17 de Outubro de 1849, vítima de tuberculose, doença que o afligia desde a infância . Nascera em Zelazowa Wola, na Polónia, em 1 de Março de 1810, tendo falecido portanto extremamente novo.
Começou a ter aulas de piano aos seis anos e aos sete compôs a sua primeira Polonaise. O primeiro concerto público teve lugar no ano de 1818.
Mais tarde, 1826-29, estudou música no Conservatório de Varsóvia. Durante este período, tornou-se activo participante na vida musical de Varsóvia. A sua obra é quase toda influenciada pelo folclore polaco. Várias obras têm os nomes de danças populares, como é o caso das mazurcas e das polonaises. Nutras obras, encontram-se temas de cantigas populares do povo da Polónia. Este facto não era compatível com o ambiente político na Polónia de então, que estava sob o jugo do czar russo. Deixou a Polónia no dia 2 de Novembro de 1830 e seguiu para Paris com vinte e um anos de idade, nunca mais regressando ao país natal.
Chopin dedicou quase toda a sua obra ao piano, com poucas excepções, sendo considerado por muitos pianistas como o maior compositor de piano da história da música.
Viveu durante nove anos com a escritora e feminista francesa George Sand, de quem se separou dois anos antes de morrer. Está sepultado no célebre cemitério Père Lachaise em Paris. O seu coração está dentro de um dos pilares da igreja de Santa Cruz em Varsóvia.
Entre os monumentos erguidos no mundo em sua honra, há uma estátua sua, com 2 m 50 de altura, em frente do Teatro Municipal do Rio de Janeiro.

segunda-feira, 16 de outubro de 2006

Graças ao nosso Governo, o choque tecnológico já chegou ao Alentejo.
Como se pode ver, a média é de um PC portátil por cada quatro habitantes...


EFEMÉRIDE - Günter Grass, intelectual e escritor alemão, nasceu em Dantzig, hoje Gdansk, na Polónia, em 16 de Outubro de 1927. Alterna a sua actividade literária com a escultura, participando também activamente na vida pública do seu país. Ganhou o Prémio Nobel de Literatura em 1999. É reconhecido igualmente como um dos principais representantes do Teatro do Absurdo na Alemanha.
Tem uma obra que contesta, desde o início, as ideias nazis que, no entanto, o terão atraído na juventude. Foi feito prisioneiro pelos americanos no fim da guerra. Libertado em 1946, estudou depois artes plásticas.
Bastante jovem, já escrevia poemas, mas só depois de se mudar para Paris, em 1956, passou a dedicar-se mais à literatura e publicou o seu primeiro êxito como escritor, o romance de crítica social O tambor. Seguiram-se outros romances, poesias e peças de teatro.
De 1983 até 1986 presidiu à Academia das Artes de Berlim.
Só em Agosto deste ano, Günter Grass revelou a sua adesão às Waffen-SS em Outubro de 1944. Antes, tinha sempre dito que tinha servido unicamente na defesa anti aérea alemã. Ele explicou que aquela adesão tinha sido apenas uma forma de fugir do mau ambiente familiar e que não sabia, na época, o que representavam as Waffen SS. Esta divulgação tardia, feita alguns dias antes do lançamento do seu último livro, suscitou mal-estar e incompreensão na Europa. Esteve na origem, aliás, de uma controvérsia entre intelectuais europeus, uns considerando que esta confissão lhe tirava toda a sua autoridade moral, outros pelo contrário pensando que esta sinceridade, mesmo muito tardia, não fazia mais do que reforçar a sua legitimidade.

domingo, 15 de outubro de 2006

Finalmente, tenho uma correspondente no Afeganistão!
Se gosta de Fado, vá a este link:

http://www.euclidescavaco.com/Fados_E_Musicas/Lencois_de_Fado/index.htm
EFEMÉRIDEManuel da Fonseca, escritor (romancista e poeta) português, nasceu em Santiago do Cacém no dia 15 de Outubro de 1911. Faleceu em 11 de Março de 1993, portanto com 81 anos de idade.
Desde muito jovem, por influência do pai, se interessou pela leitura e, na escola, cultivou a sua paixão pela escrita.
Depois da instrução primária veio estudar para Lisboa, onde ficou fascinado pela sua vida nocturna.
Trabalhou no comércio e na indústria e, apesar de muito ocupado, encontrou ainda tempo para o toureio e o desporto, tendo praticado futebol, espada, florete e boxe, tenho mesmo ganho um campeonato nesta última modalidade.
Em 1925, publicou num semanário de província os seus primeiros versos e narrativas.
Foi colaborador assíduo das revistas O Pensamento, Afinidades, Altitude, Árvore, Vértice, Sol Nascente e Seara Nova e dos jornais O Diabo, A Capital e O Diário. Fez parte do grupo «Novo Cancioneiro».
O seu Alentejo natal, o povo desta região e a miséria por ele sofrida, ficaram bem retratados na sua obra.
Contestatário e observador por natureza, a sua escrita era seguida de perto pela censura, nos tempos de Salazar.

sábado, 14 de outubro de 2006

EFEMÉRIDE Marcel Aymé, dramaturgo francês, também autor de romances, contos e novelas, morreu em Paris no dia 14 de Outubro de 1967. Nascera em Joigny, Yonne, em 29 de Março de 1902. Muitos filmes, telenovelas e bandas desenhadas foram tiradas das suas obras.
Depois dos estudos, iniciou-se no jornalismo e, em 1927, publicou o seu primeiro livro. Em 1929 obteve o Prémio Renaudot.
Tinha uma produção média de uma obra por ano e só em 1930 deixou de considerar a literatura como um passatempo.
Durante a ocupação alemã, trabalhou para o cinema, fazendo equipa com um realizador de extrema-esquerda. Ao mesmo tempo, não hesitava em escrever nos jornais do ocupante, se bem que não fossem textos de conotação política, o que o livrou de aparecer nas «listas negras» depois da Libertação.
Convidado para ir aos Estados Unidos, não gostou do estilo de vida americano que, aliás, lhe inspirou duas peças teatrais.
Os seus escritos são muito variados, indo do realismo até à sátira, passando pela fantasia e pelo fantástico. Marcel Aymé foi um observador e não um moralista: não pretendia dar lições nem deixar mensagens. Contava o que via, com um tom discreto, engraçado, terno e cáustico.
MACUMBA

Um sujeito procura um Pai-de-Santo para ver se consegue desfazer uma praga que lhe foi rogada há 30 anos...
O Pai-de-Santo diz:
- Olha meu filho, posso até de ajudar, mas eu preciso saber quais as palavras exactas que foram usadas na praga.
O sujeito responde, sem hesitar:
- Eu vos declaro marido e mulher!!

sexta-feira, 13 de outubro de 2006

A «bonita» e a feia...

O MENDIGO E A LOIRA

Um mendigo aproxima-se de uma loira cheia de sacos de compras e diz-lhe:
Madame, eu estou sem comer há 4 dias.
E a madame:
— Meu Deus! Como eu gostava de ter a sua força de vontade!
EFEMÉRIDE - Manuel Carneiro de Souza Bandeira Filho, poeta, escritor, crítico literário e de arte, professor de literatura e tradutor brasileiro, faleceu no Rio de Janeiro, em 13 de Outubro de 1968, com 82 anos. Nascera no Recife em 19 de Abril de 1886.
Abandonou cedo os seus estudos (1904) porque, segundo os médicos, tinha tuberculose e teria pouco tempo de vida. Passou muitos anos em sanatórios, até conseguir a cura. Em 1913 embarcou mesmo com destino à Europa para ser tratado no Sanatório de Clavadel, na Suíça. Neste sanatório conheceu Paul Éluard e Gala, que se casaria depois com Éluard e mais tarde com Salvador Dali.
Em virtude da eclosão da Primeira Guerra Mundial, em 1914, voltou ao Brasil.
Em 1916, publicou o seu primeiro livro A cinza das horas, numa edição de 200 exemplares custeada por si mesmo. Seguem-se várias obras. Em 1930 publica Libertinagem, em edição como sempre custeada pelo autor.
Grandes comemorações marcam os cinquenta anos do poeta, em 1936, entre as quais a publicação de Homenagem a Manuel Bandeira, livro com poemas, estudos críticos e comentários, de autoria dos principais escritores brasileiros.
Professor de literatura, foi eleito em 1940 para a Academia Brasileira de Letras.
É um dos poetas brasileiros mais admirados, com um estilo sóbrio, simples e directo de escrever.
Está incluído em muitas antologias de poesia brasileira e escreveu por vezes em co-autoria com Carlos Drummond de Andrade, Cecília Meireles, João Cabral de Melo Neto, etc.
Traduziu vários autores, entre os quais Shakespeare, Jean Cocteau, Fréderic Mistral, Bertold Brecht, Morris West e John Ford.
Seleccionou e organizou : Sonetos Completos e Poemas Escolhidos de Antero de Quental e Cartas a Manuel Bandeira, de Mário de Andrade.
Comemorou 80 anos, em 1966, recebendo muitas homenagens. A conhecida Editora José Olympio realizou na sua sede uma festa, em que participaram mais de mil pessoas, e lançou os volumes Estrela da Vida Inteira (poesias completas e traduções de poesia) e Andorinha Andorinha (selecção de textos em prosa, organizada por Carlos Drummond de Andrade). Comprou uma casa em Teresópolis, a única de sua propriedade ao longo da vida.
Morreu no Hospital Samaritano, em Botafogo, sendo sepultado no Mausoléu da Academia Brasileira de Letras, no Cemitério São João Batista.
RAPIDINHAS SOBRE HOMENS CASADOS...

Um homem colocou nos classificados:
- "Procura-se esposa".
No dia seguinte ele recebeu centenas de cartas. Todas diziam a mesma coisa:
- "Pode ficar com a minha".

O filho pergunta para o pai:
" Pai, quanto custa para casar?"
E o pai responde:
"Não sei, filho, ainda estou pagando".

O filho:
- "Pai, é verdade que em algumas partes da África o homem não conhece a sua esposa até casar com ela?".
O pai:
- "Aqui também é assim, filho".


Um casal estava discutindo sobre as finanças. O marido explodiu e falou:
- "Se não fosse pelo meu dinheiro, esta casa não estaria aqui."
A mulher respondeu
:
- "Querido, se não fosse pelo seu dinheiro, EU não estaria aqui"

- Não falo com a minha esposa há mais de um ano
- Porquê?
- Pergunta um amigo
- Porque não quis interrompê-la...

«A melhor forma de lembrar o aniversário da sua mulher para sempre é esquecer uma vez.»

quinta-feira, 12 de outubro de 2006

HUMOR NEGRO (cliquar para aumentar a imagem)

RAPIDINHAS


- Sabes querida, quando falas faz-me lembrar o mar...
- Ena, amor. Não sabia que te impressiono tanto.
- Não é que me impressiones. Enjoas-me.

- Querida, vamos ter que começar a economizar.
- Tudo bem... Mas como?
- Aprende a cozinhar e manda a empregada embora.
- Está bem... Então aprende a fazer amor e podes dispensar o motorista.

Adão e Eva passeavam pelo Paraíso. E a Eva pergunta:
- Adão, amas-me?
E o Adão, resmungando:
- E tenho outra escolha?

O homem pergunta à mulher:
- Querida, quando eu morrer, vais chorar muito?
- Claro, querido. Sabes que eu choro por tudo e por nada.

Um casal vinha por uma estrada do interior.Sem dizer uma palavra. Uma discussão anterior havia levado a uma briga, e nenhum dos dois queria dar o braço a torcer. Ao passarem por uma quinta em que havia mulas e porcos, o marido perguntou, sarcástico:
- Parentes teus?
- Sim, respondeu ela. Cunhados e sogra.
EFEMÉRIDE - Jacques Anatole François Thibault, mais conhecido como Anatole France, escritor francês , morreu em Saint-Cyr-sur-Loire no dia 12 de Outubro de 1924. Nascera em Paris em 16 de Abril de 1844.
Foi bibliotecário do Senado francês e, em 1896, foi eleito para a Academia Francesa.
Participou na fundação da Liga dos Direitos do Homem e, em 1921, foi laureado com o Prémio Nobel de Literatura pelo conjunto da sua obra.
Lutou pela separação da Igreja e do Estado e pelos direitos sindicais. Foi candidato a deputado em 1914 e colaborou no Humanité, órgão do P. C. Francês.
Escreveu poesias, inúmeros romances, novelas e fez crítica literária.
A sua obra é mais conservadora do que se poderia supor, atendendo à sua prática política e humanista.

quarta-feira, 11 de outubro de 2006

EFEMÉRIDE - Angenor de Oliveira, mais conhecido por Cartola, compositor, cantor, poeta e sambista brasileiro, nasceu no Rio de Janeiro em 11 de Outubro de 1908, tendo morrido em 30 de Novembro de 1980, também no Rio.
Aos 8 anos de idade já participava em festas carnavalescas de rua, tendo ido morar no morro da Mangueira aos onze anos.
Era um dos sambistas que compunham a velha-guarda da Escola de Samba Estação Primeira de Mangueira, sendo considerado o responsável tanto pela escolha do nome, como pelas cores adoptadas (verde e rosa).
Cartola compôs, sozinho ou com parceiros, mais de quinhentas canções. Apesar da beleza das suas poesias e da quantidade que produziu, Cartola apenas tinha a instrução primária. Nunca conseguiu integrar-se no mercado de trabalho e passou a vida a fazer biscates. Foi pedreiro, pintor de paredes, lavador de carros, vigia de prédio e contínuo de repartição pública.
Foi dos seus tempos de pedreiro que lhe veio o apelido "Cartola". Quando trabalhava com cimento estava sempre a sujar os cabelos, o que o aborrecia bastante pois era muito vaidoso. Passou então a usar um chapéu para protecção e os seus amigos começaram a chamá-lo de Cartola.
Foi na década de 1920 que os blocos de Carnaval resolveram organizar-se em sociedades permanentes. Em 28 de Abril de 1928, Cartola e mais seis amigos reuniram os blocos carnavalescos do morro e fundaram a Escola de Samba Estação Primeira de Mangueira. No primeiro desfile, com o samba enredo "Chega de Demanda" de Cartola, a Mangueira ganhou o seu primeiro prémio de Carnaval.
E assim continuou vida fora, entre sambas, empregos precários e doenças. Só em 1964, aos 65 anos, é que gravou o seu primeiro disco. Apesar do grande sucesso dos seus sambas, Cartola morreu pobre. As grandes homenagens vieram depois da sua morte pelas vozes de, entre outros, Alcione, Chico Buarque, Gal Costa e Marisa Monte.
AMÁLIA… A VOZ DO FADO

Leia e ouça o poema em:


http://www.euclidescavaco.com/Recitas/Amalia_a_Voz_do_Fado/index.htm

terça-feira, 10 de outubro de 2006

EFEMÉRIDE - Harold Pinter, escritor e dramaturgo inglês, nasceu em Londres no dia 10 de Outubro de 1930. Os seus pais eram judeus, de origem russa segundo uns, de origem portuguesa segundo outros. O seu apelido seria a anglicização de «Pinto» ou «Pinta».
Curiosamente a sua primeira obra foi um fracasso na estreia, tornando-se no entanto um êxito após transmissão na televisão.
Escreveu para teatro, rádio, televisão e cinema. Muito jovem, escreveu poesia e foi também actor teatral.
As suas primeiras obras foram marcadas pela influência de Samuel Beckett de quem, mais tarde, se tornaria amigo.
As peças mais recentes tendem a ser bastante mais curtas e engajadas politicamente, levando ao conhecimento do público todas as violações dos Direitos do Homem.
Em 1999, criticou abertamente o bombardeamento do Kosovo pela Otan e, mais tarde, tomou posição contra o embargo dos Estados Unidos a Cuba e opôs-se às invasões do Afeganistão e do Iraque pelos americanos.
Há cerca de um ano a Academia Sueca atribuiu-lhe o Prémio Nobel da Literatura. Gravou a sua declaração, mais política do que literária, para a cerimónia da entrega daquele prémio, porque não se pôde deslocar a Estocolmo em virtude da doença que o atormenta. Nela se podia ler: «A invasão do Iraque foi um acto de banditismo e de terrorismo de Estado, a prova de um desprezo total pelo direito internacional. Quantas pessoas será necessário massacrar para se ser considerado criminoso de guerra? Cem mil? As bombas, os assassinatos, a miséria, a degradação e a morte do povo iraquiano foram os meios utilizados para levar a liberdade e a democracia ao Próximo Oriente…».
Em 2005, anunciou que não escreveria mais nenhuma peça de teatro e que se dedicaria unicamente à política.
Pinter é comendador da Ordem do Império Britânico.

segunda-feira, 9 de outubro de 2006

«Pérolas» do nosso Jornalismo...

EFEMÉRIDE - João Cabral de Melo Neto, poeta e diplomata brasileiro, morreu no Rio de Janeiro em 9 de Outubro de 1999, tendo nascido no Recife em 9 de Janeiro de 1920. Era primo do poeta Manuel Bandeira e do sociólogo Gilberto Freyre.
Estudou no Colégio Marista no Recife e foi campeão juvenil de futebol em 1935. Teve o seu primeiro emprego em 1937 e, no ano seguinte, com dezoito anos, já frequentava uma tertúlia literária.
Em 1940, mudou-se para o Rio, onde iria conhecer Murilo Mendes e Carlos Drummond de Andrade. No ano seguinte, participou no Congresso de Poesia do Recife e, em 1942, publicou o seu primeiro livro Pedra do Sono.
Fez concurso para a carreira diplomática, para a qual foi nomeado. Foi depois colocado em Barcelona, onde se tornou amigo do pintor Juan Miró. Em 1952, quando estava em Londres, foi chamado ao Brasil acusado de subversão. Continuou a escrever, mas foi colocado na disponibilidade sem salário. Para sobreviver, enquanto durava o inquérito policial, trabalhou no jornal A Vanguarda. O inquérito foi finalmente arquivado e tempos mais tarde foi colocado no Departamento Cultural do Itamaraty, retomando depois a sua carreira diplomática e política, na Europa, América Latina e África. Esteve em Portugal, como cônsul-geral no Porto.
Conhecida pelo rigor estético dos seus versos, a obra poética de João Cabral foi laureada com vários prémios notáveis: Prémio Camões (o mais importante da literatura em língua portuguesa) em 1990, o Neustadt International Prize for Literature em 1992 e o Prémio Rainha Sofia de Poesia Ibero-Americana em 1994. Recebeu muitos outros prémios e também inúmeras honrarias e condecorações.
Segundo um estudo feito à sua obra, há palavras que são muito recorrentes nos seus poemas, tais como: cana, pedra, osso, esqueleto, dente, gume, navalha, faca, foice, lâmina, cortar, esfolado, baía, relógio, seco, mineral, deserto, asséptico, vazio e fome.
É autor de Morte e Vida Severina, poema musicado por Chico Buarque e encenado no Brasil, em Portugal, na França e na Bélgica, sempre com muito êxito. João Cabral foi membro da Academia Brasileira de Letras.

domingo, 8 de outubro de 2006

EFEMÉRIDE - Evaristo Ferreira da Veiga e Barros, poeta, jornalista, político e livreiro brasileiro, autor da letra do "Hino à Independência", cuja música se deve a D. Pedro I (IV de Portugal), nasceu no Rio de Janeiro em 8 de Outubro de 1799. Morreu em 12 de Maio de 1837 na mesma cidade.
Filho de um português casado com uma brasileira, Evaristo foi um óptimo estudante, tendo aprendido francês, latim, inglês e filosofia. Frequentou igualmente aulas de retórica e poética.
Quando concluiu os estudos, o pai já tinha aberto uma livraria e os livros que trazia da Europa tinham em Evaristo o primeiro e o mais curioso dos leitores. O seu projecto frustrado de ir estudar para a Universidade de Coimbra encontrou compensação na livraria do pai.
1821 foi o «o ano do constitucionalismo português». Ninguém podia ficar indiferente. Os conservadores, receosos de desordens, alimentavam a esperança de que a chegada das novas instituições não significaria a ruptura com Portugal, pois haveria uma monarquia dual, servindo a coroa como união. Era o pensamento de Evaristo da Veiga, ilusão de que participaram muitos brasileiros. Não tardaram os constitucionalistas de Portugal a demonstrar a sua incompreensão pelas coisas do Brasil e foram aparecendo as resoluções das Cortes que tinham como propósito estabelecer a antiga submissão colonial, embora de outra forma. Foi então que despertou o seu patriotismo: um soneto em 17 de Outubro de 1821 foi intitulado O Brasil. Outro, de Fevereiro de 1822, já estigmatizava «a perfídia de Portugal».
Em 16 de Agosto de 1822, escreveu o Hino Constitucional Brasiliense, tendo composto no total sete hinos, que foram entoados por milhares de pessoas.
Abriu uma livraria com o dinheiro da herança materna. Era um negócio lucrativo pois o país estava-se europeizando e os livros e jornais eram os principais agentes dessa europeização.
Fundou o jornal A Aurora Fluminense, em 1827, do qual era também o seu redactor principal e por fim o único.
Em 1830 foi eleito deputado por Minas Gerais, tendo sido reeleito até morrer. Era um nome conhecido no Brasil inteiro.

sábado, 7 de outubro de 2006

EFEMÉRIDE - Edgar Allan Poe, poeta, romancista, novelista, crítico literário e editor americano, morreu em Baltimore, Maryland, no dia 7 de Outubro de 1849. Nascera em Boston, Massachusetts, em 19 de Janeiro de 1809.
Filho adoptivo de um rico comerciante, pois ficara órfão com a idade de dois anos, recebeu esmerada educação clássica na Escócia e em Inglaterra. Depois, voltou à América para frequentar a Universidade da Virgínia, iniciando-se por essa ocasião nos vícios do jogo e do álcool.
Cortou relações com o pai adoptivo e publicou os seus primeiros livros de poesia. Sendo expulso da Academia Militar de West Point, onde entretanto ingressara, decidiu dedicar-se inteiramente à literatura, começando a publicar contos nalgumas revistas.
Em 1933, recebeu o primeiro prémio em dinheiro e tornou-se editor literário. Quando tinha 26 anos, casou-se com uma prima de treze . Mudou-se para Nova Iorque e iniciou um período de febril criação literária.
Poe é considerado, juntamente com Júlio Verne, um dos precursores da literatura de ficção científica e fantástica, conhecido em todo o mundo pelos seus livros de mistério e terror. Algumas das suas novelas figuram entre as primeiras obras reconhecidas também como policiais.
A aura de escândalos que o acompanhava impediu, porém, que a sua popularidade se consolidasse em vida. Era reconhecido sobretudo como jornalista, tendo trabalhado em variadíssimos jornais e revistas.
O falecimento de sua mulher, em 1847, aumentou ainda mais a sua dependência do álcool. Edgar Allan Poe só duraria mais dois anos.


sexta-feira, 6 de outubro de 2006

EFEMÉRIDE - Bette Davis, actriz de cinema e de televisão norte-americana, morreu em Neuilly, França, no dia 6 de Outubro de 1989. Nascera em Lowell, Massachussets, em 5 de Abril de 1908. O seu nome verdadeiro era Ruth Elizabeth Davis.
Dona de uma personalidade forte e de grande talento, a sua carreira durou sessenta anos, entrando em mais de uma centena de filmes. A maioria dos seus grandes sucessos cinematográficos deu-se nos estúdios da Warner Brothers.
Mais tarde, apertada por dívidas, colocou na revista cinematográfica "Variety" o famoso anúncio que dizia: "Artista procura emprego. Americana, divorciada, mãe de três filhos (15, 11 e 10 anos), trinta anos de experiência como actriz de cinema, ainda em condições de se movimentar e mais afável do que dizem os boatos, deseja emprego em Hollywood (fartou-se da Broadway). Resposta para: Bette Davis".
Teve onze nomeações para os Óscares, vencendo por duas vezes (1935 e 1938). O seu último filme data de 1989, ano da sua morte.
Foi conhecida como «Rainha de Hollywood», «Rainha dos estúdios Warner» e «Primeira-dama do Grande Ecrã».

quinta-feira, 5 de outubro de 2006

EFEMÉRIDE A Revolução de 5 de Outubro de 1910 depôs a Monarquia e implantou a República em Portugal.
O acto revolucionário foi o corolário de uma acção política e doutrinária que se vinha a desenvolver desde a criação do Partido Republicano em 1876. A propaganda republicana conseguiu tirar partido de várias manifestações e do descontentamento popular. As comemorações do 3º centenário da morte de Camões, em 1880, foram motivo para cortejos cívicos que percorreram as ruas de Lisboa no meio de grande entusiasmo e contestação, o mesmo acontecendo quando da transladação dos restos mortais de Camões e Vasco da Gama para o Panteão.
Durante o breve reinado de D. Manuel II — que ascendeu ao trono logo após o atentado que vitimou D. Carlos e o seu filho herdeiro Luís Filipe, a pressão republicana acentuou-se, chegando mesmo a ridicularizar a monarquia.
A 3 de Outubro de 1910 começou a revolta que já se adivinhava. O Governo foi incapaz de reunir tropas que dominassem os cerca de duzentos revolucionários armados. Comandava as forças monárquicas, em Lisboa, o General Gorjão Henriques, que se viu impotente para impedir a progressão das forças comandadas por Machado dos Santos.
Em 5 de Outubro, com a adesão de alguns navios de guerra, o Governo rendeu-se, foi proclamada a República e D. Manuel II partiu para o exílio.

quarta-feira, 4 de outubro de 2006

Amigo da onça...

EFEMÉRIDE - Alfredo Cristiano Keil, músico, pintor, escritor, poeta, fotógrafo, arqueólogo, coleccionador de obras de arte e autor do hino nacional português, morreu em Hamburgo no dia 4 de Outubro de 1907. Nascera em Lisboa, em 3 de Julho de 1850.
Era filho de pais alemães radicados em Portugal e estudou música e desenho em Nuremberga. Escreveu a sua primeira peça musical, dedicada a sua mãe, aos 12 anos de idade.
Em 1870, devido à guerra Franco-Prussiana, regressou a Portugal e, em 1890, o ultimato inglês a Portugal para que as tropas portuguesas abandonassem as suas posições em África, proporcionou-lhe a inspiração para compor o canto patriótico "A Portuguesa", com versos de Henrique Lopes de Mendonça. A canção tornou-se popular em todo o país e seria mais tarde considerada Hino Nacional de Portugal. Foi também autor de inúmeras óperas que obtiveram muito êxito tanto em Portugal como no estrangeiro.
Na pintura, Alfredo Keil foi um artista de características românticas, mostrando predilecção por paisagens melancólicas e recantos solitários. Deixou mais de 2000 obras, entre telas e desenhos.
Como coleccionador de arte, adquiriu telas de pintores de renome e cerca de 500 instrumentos musicais antigos, que se encontram actualmente no Museu da Música em Lisboa.
Foi autor igualmente de várias : contos, romances e estudos.
Foi galardoado com vários prémios, de entre os quais o mais importante foi a medalha de ouro recebida em 1879 na Exposição Artística do Rio de Janeiro.


terça-feira, 3 de outubro de 2006

EFEMÉRIDELouis Aragon, poeta, ensaísta e romancista francês, nasceu em Paris no dia 3 de Outubro de 1897. Morreu, na mesma cidade na véspera do Natal de 1982. Depois de ter participado no «Dadaismo», foi um dos criadores do Movimento Surrealista, juntamente com André Breton e Philippe Soupault. Com outros membros do grupo surrealista, filiou-se no Partido Comunista Francês ao qual se manteve fiel até ao fim da vida, tendo sido jornalista no seu órgão oficial L’Humanité. Isso não o impedia de criticar certos aspectos da vida política na URSS.
Parte da sua poesia é largamente inspirada, principalmente a partir dos anos quarenta, pelo amor que tinha a sua esposa, Elsa Triolet, igualmente poeta e cunhada do poeta russo Maïakovski.
Louis Aragon foi um fervoroso apoiante da resistência ao nazismo, juntamente com Robert Desnos, Paul Éluard, Jean Prévost, Jean-Pierre Rosnay e outros intelectuais, durante a Segunda Guerra Mundial.
Foi laureado com o Prémio Lenine para a Paz em 1956. Depois da morte de Elsa Triolet, prosseguiu as suas actividades políticas e recebeu uma condecoração das mãos do presidente François Miterrand.
Foi também director do semanário literário Les Lettres françaises.

segunda-feira, 2 de outubro de 2006

EFEMÉRIDE - Mohandas Karamchand Gandhi, um dos idealizadores e fundadores do moderno estado indiano e um influente defensor do Satyagraha (princípio da não-agressão, forma não-violenta de protesto) como meio de revolução, nasceu em Porbandar, estado de Gujarat, em 2 de Outubro de 1869, tendo morrido em Nova Deli no dia 30 de Janeiro de 1948.
Gandhi ajudou a libertar a Índia do governo britânico, inspirando outros povos coloniais a lutar pelas suas próprias independências. O princípio do satyagraha, frequentemente traduzido como "o caminho da verdade" ou "a busca da verdade", também inspirou gerações de activistas democráticos e anti-racistas, incluindo Martin Luther King e Nelson Mandela.
Estudou Direito em Londres e foi advogado na África do Sul. Foi preso pela primeira vez em 6 de Novembro de 1913 quando liderava uma marcha de mineiros indianos que trabalhavam na África do Sul.
Durante a I Guerra Mundial, Gandhi voltou à Índia e, após a guerra, ganhou notoriedade internacional pela sua política de desobediência civil e pelo uso do jejum como forma de protesto. Outra estratégia eficiente de Gandhi pela independência foi a política do swadeshi - o boicote a todos os produtos importados, especialmente os produzidos na Inglaterra. Aliada a isto estava a sua proposta de que todos os indianos deveriam vestir o khadi - vestimenta caseira – para não comprarem os produtos têxteis britânicos. Gandhi declarava que todas as mulheres indianas deveriam gastar parte do seu dia fabricando os khadis em apoio ao movimento de independência. Esta era uma estratégia para incluir as mulheres no movimento, num período em que se pensava que tais actividades não eram apropriadas ao sexo feminino.
Gandhi posicionou-se veementemente contra qualquer plano que dividisse a Índia em dois estados, o que no entanto veio a acontecer, ao serem criados a Índia - predominantemente hindu - e o Paquistão - predominantemente muçulmano.
Em 30 de Janeiro de 1948, Gandhi foi assassinado a tiro, em Nova Deli, por Nathuram Godse, que foi depois julgado, condenado e enforcado, a despeito do último pedido de Gandhi ter sido justamente a não-punição de seu assassino. O corpo do Mahatma foi cremado e as suas cinzas atiradas ao rio Ganges.
Entre várias frases célebres, cita-se esta: «Devemos viver como se fossemos morrer amanhã e aprender como se fossemos viver para sempre».

domingo, 1 de outubro de 2006

HUMOR - Uma das razões porque os estádios estão vazios...

EFEMÉRIDE - Domenikos Theotokópoulos, pintor e escultor grego, conhecido por El Greco, nasceu em Heraklion, ilha de Creta, na Grécia, em 1 de Outubro de 1541. Morreu em Toledo, Espanha, onde desenvolveu a maior parte da sua carreira, no dia 7 de Abril de 1614.
Trabalhou em Veneza, a cuja República pertencia então a ilha de Creta, no atelier do famoso Ticiano e conheceu aí Tintoretto que o influenciou na composição de figuras e na utilização dos espaços. Uma das suas maiores obras de então, A cura do cego, sofreu claramente a influência de Ticiano.
Em 1570 viajou para Roma, onde contactou com vários pintores, entre eles Miguel Ângelo, facto que marcaria profundamente a sua carreira. Na Itália, passou a ser conhecido como Il Greco (o Grego), nome por que passou à posteridade. Entre as principais obras do seu período romano, conta-se A Piedade, com influência significativa de Miguel Ângelo.
El Greco estabeleceu-se em Toledo, em 1577, onde permaneceu até à sua morte, realizando então as obras mais maduras.
Depois do seu desaparecimento, as suas obras caíram no esquecimento e, somente no princípio do século XX, outros artistas e a crítica se começaram a interessar verdadeiramente pela sua expressão muito pessoal. Seria então a sua vez de inspirar outros pintores, como Pablo Picasso e Jackson Pollock.
Hoje, muitos dos quadros de El Greco encontram-se expostos no famoso Museu do Prado, em Madrid.

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...