sexta-feira, 30 de novembro de 2012

EFEMÉRIDE Abel Luís da Silva Costa Xavier, ex-futebolista português, nasceu em Nampula, Moçambique, no dia 30 de Novembro de 1972.
Começou a jogar em 1990, estreando-se na primeira divisão do campeonato português, ao serviço do Estrela da Amadora. Transferiu-se para o Sport Lisboa e Benfica em 1993. Após a conquista do campeonato em 1994, alinhou mais uma temporada pelo Benfica, saindo depois para o AS Bari, da Serie A italiana.
Após a saída do Bari, jogou por diversos clubes europeus. Em 1996, alinhou pelo Real Oviedo, sendo contratado pelo PSV Eindhoven duas épocas depois. Posteriormente, foi para o Everton de Inglaterra, onde permaneceu três anos. Contratado seguidamente pelo Liverpool FC, ali jogou duas épocas, transferindo-se seguidamente para o Galatasaray (2002/2003), Hannover 96 (2003/2004) e AS Roma (2004/2005).
Abel Xavier ganhou o Campeonato do Mundo de Sub-20 (1991), sendo – juntamente com Luís Figo e Rui Costa – uma das estrelas da equipa portuguesa. Pela Selecção Principal, teve 20 internacionalizações. A sua participação na selecção é recordada por ter sido uma das figuras mais conhecidas do Euro 2000, pelo seu visual e porque numa atribulada meia-final contra a França, a bola lhe bateu numa mão, quando estava em desequilíbrio, durante um remate de Sylvain Wiltord. Zinedine Zidane converteu a consequente penalidade e afastou Portugal da final. Depois de grande confusão gerada pelos jogadores portugueses junto ao fiscal de linha, Abel Xavier foi suspenso das competições durante nove meses, posteriormente reduzidos para seis. Foi ainda convocado para o Mundial de 2002, mas apenas alinhou num jogo.
Na época de 2005/2006, assinou pelo Middlesbrough. Após um empate com o Skoda Xanthi da Grécia, a contar para a Taça UEFA, Abel Xavier acusou positivo no controlo anti-doping, sendo em Novembro de 2005 considerado culpado do uso de um esteróide anabolizante, algo que sempre negou. Condenado a um afastamento de 18 meses dos relvados, a pena foi depois reduzida para um ano, juntando-se à preparação da época do Middlesbrough no Verão de 2006.
Em Maio de 2007, o clube norte-americano Los Angeles Galaxy anunciou a sua contratação. Estreou-se em 17 de Junho, com uma vitória sobre o Real Salt Lake e uma actuação bastante elogiada. Em Julho de 2008, porém, após várias discussões com o treinador Ruud Gullit, decidiu sair da equipa.
No final de 2009, foi anunciado na imprensa que se tinha convertido à religião Islâmica, adoptando o nome de Faisal. Disse também adeus aos relvados. Do seu palmarés, faz ainda parte a Super Taça Holandesa de 1998/99, em representação do Eindhoven.

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

EFEMÉRIDEManuel de Brito, um dos primeiros e grandes galeristas e livreiros portugueses do século XX, morreu em Lisboa no dia 29 de Novembro 2005. Nascera no Rio de Janeiro em 1928.
Foi gerente da Livraria Escolar Editora (1945/1960), a mais completa na área de literatura científica em Portugal. Nela se iniciou como editor. Fundou em 1960, uma livraria no Campo Grande, junto da Cidade Universitária. Desde logo se tornou um centro de atenções, não só como fornecedor actualizado de obras especializadas e de interesse cultural, mas também como personalidade solidária com o movimento estudantil dos anos 1960. A sua livraria tornou-se um ponto de encontro para estudantes, artistas e intelectuais. Bateu-se contra as proibições e apreensão de livros que a Censura do regime de Salazar ordenava. Editou vários livros de arte e de poesia e apoiou estudantes universitários, na execução das suas teses de mestrado e doutoramento.
Iniciou em 1964 a sua actividade profissional no mundo da arte, com a abertura da Galeria 111 em Lisboa. Começou a expor jovens artistas, alguns pela primeira vez, que seriam depois reconhecidos como dos mais importantes da arte portuguesa de então. Em 1971, abriu uma sucursal no Porto, a Galeria Zen. Ao longo da vida, reuniu cerca de 2 000 obras de arte, desenho, pintura e escultura, uma das maiores e mais importantes colecções do país.
Aprofundou os seus conhecimentos com um relacionamento regular com Almada Negreiros, Eduardo Viana, Abel Manta e Carlos Botelho, entre outros. Colaborou em exposições de arte portuguesa com a Fundação Calouste Gulbenkian, a Sociedade Nacional de Belas Artes, a Secretaria de Estado da Cultura, o Ministério dos Negócios Estrangeiros, o Centro Cultural de Belém, a Presidência da República, a Fundação de Serralves e diversas Casas de Cultura e Câmaras Municipais. Colaborou também com o Museu do Louvre de Paris e o Museu Picasso de Barcelona.
Fez visitas de estudo aos principais Museus da Alemanha, Áustria, Bélgica, Brasil, China, Dinamarca, Egipto, Espanha, Estados Unidos da América, França, Grécia, Holanda, Itália, Inglaterra, Irlanda, Jugoslávia, Marrocos, Noruega, Rússia e Suíça. Visitou regularmente a Bienal de São Paulo, a Bienal de Veneza e a Documenta de Kassel. Participou em feiras de arte portuguesas e internacionais.
Foi comissário de exposições internacionais na Universidade Hispano-Americana Santa Maria de La Rabida em Huelva, no Museu da Cidade de Madrid, na Cidade Proibida e no Museu de Arte Moderna de Pequim, no Museu de Arte Moderna de São Paulo (várias vezes) e no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Também em Macau, no Leal Senado, na Fundação Oriente e no Museu Camões (cerca de duas dezenas de vezes, sendo a última já a convite do Governo Chinês, em 2002).
Em 1985, dirigiu o sector de exposições da Direcção Geral da Comunicação Social no Palácio Foz, em Lisboa. Sob a sua orientação foram recuperadas as salas de exposições que estavam degradadas. Em 1994, apresentou a sua colecção pessoal no Museu do Chiado, no âmbito da “Lisboa 94 – Capital Europeia da Cultura”. Esta exposição foi posteriormente apresentada em Macau, São Paulo e Rio de Janeiro. Foi consultor do programa “Acontece” de Carlos Pinto Coelho (RTP) de 1995 a 2003 (data em que terminou).
Um ano após o falecimento de Manuel de Brito, o seu património ficou exposto no renovado Palácio dos Anjos, em Algés, fruto de um protocolo celebrado entre a família do galerista e a Câmara Municipal de Oeiras.
Manuel de Brito assumiu em Portugal um papel preponderante como agente cultural, sobretudo após a Revolução dos Cravos e a queda da ditadura. Entre as condecorações recebidas, salientam-se as de Comendador da Ordem da Liberdade em 1985, Comendador da Ordem do Infante D. Henrique em 1994, Mérito Cultural atribuída pelo Governo Português no mesmo ano e Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique em 2005.

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

EFEMÉRIDEEduardo Afonso Viana, pintor português, nasceu em Lisboa no dia 28 de Novembro de 1881. Faleceu na mesma cidade em 21 de Fevereiro de 1967. É consensualmente reconhecido como «um dos maiores pintores da primeira geração do modernismo nacional».
Estudou na Academia de Belas Artes de Lisboa, onde foi aluno de Columbano Bordalo Pinheiro. Interrompeu o curso de pintura em 1905, ano em que partiu para Paris a fim de frequentar as Academias Livres. Viajou até Inglaterra, Holanda e Bélgica. Entre 1911 e 1915, enviou trabalhos para o Salão Oficial da SNBA, sendo-lhe atribuída uma menção honrosa (1911) e um 2º lugar (1915).
Regressou a Portugal depois da eclosão da Primeira Guerra Mundial. Entre 1915 e 1916, residiu em Vila do Conde mantendo uma relação de grande proximidade com o casal de pintores Robert Delaunay e Sonia Delaunay, que se tinham fixado naquela localidade. Contactou também com Amadeo de Souza-Cardoso, então a residir em Manhufe, perto de Amarante.
Em 1919, participou na III Exposição dos Modernistas no Porto; em 1920 e 1921, realizou duas exposições individuais (no Porto e em Lisboa); em 1923, foi convidado, com Amadeo e Almada, a participar na exposição Os Cinco Independentes (Lisboa).
Em 1925, organizou o 1º Salão de Outono (SNBA), que reuniu – entre os trinta nomes apresentados – o mais interessante de toda uma geração. Neste mesmo ano regressou a Paris, mudando-se para a Bélgica cinco anos mais tarde. Voltou definitivamente para Portugal em 1940, devido à intensificação da 2ª Guerra Mundial.
Trabalhando de forma lenta e reflectida, Eduardo Viana detinha-se sobre cada tema, «explorando-o como um gozo sensual isento de sentimentalismo». A parte final da sua carreira correspondeu a um tempo de consagração. A partir de 1935, participou em seis Exposições de Arte Moderna do S.P.N./S.N.I., vencendo o Prémio Columbano em 1941 e 1948. Em 1957, ganhou o Grande Prémio de Pintura na I Exposição de Artes Plásticas da Fundação Calouste Gulbenkian. Em 1965, foi-lhe atribuído o Prémio Nacional de Arte.
O Museu de Arte Contemporânea adquiriu nove dos seus trabalhos mais notáveis. De temperamento recolhido, supersticioso, austero, exigente e obstinado, nunca consentiu que alguém tomasse a iniciativa de dar a conhecer a sua obra de forma extensiva. Só postumamente, em 1968, foi possível realizar uma grande exposição retrospectiva dos seus trabalhos.

terça-feira, 27 de novembro de 2012

EFEMÉRIDEFernando Baeta Cardoso do Valle, médico e político português, republicano, membro da Maçonaria e um dos fundadores do Partido Socialista Português, morreu em Coimbra no dia 27 de Novembro de 2004. Nascera em Arganil, Cerdeira, em 30 de Julho de 1900.
Nasceu numa família de médicos, onde já estavam enraizados os ideais republicanos e socialistas. Estudou e fez-se médico tal como os pais e, rapidamente, enveredou também pela política, destacando-se na oposição ao Estado Novo e ajudando a fundar, ainda na clandestinidade, o Partido Socialista (PS). Marcou presença nas campanhas de Norton de Matos e de Humberto Delgado à Presidência da República, tendo escondido várias vezes – em sua casa – pessoas que eram procuradas pela PIDE (polícia política de Salazar).
Veio a ter um papel discreto após a Revolução dos Cravos, sendo nomeado Governador Civil do distrito de Coimbra. Voltou depois a Arganil, onde continuou a exercer a profissão de médico e onde deixou trabalho feito na área do associativismo local.
Após a morte de Tito de Morais, veio a ser Presidente Honorário do partido que ajudou a fundar, demonstrando em algumas ocasiões a sua desconfiança e incómodo com a liderança do PS, então nas mãos do engenheiro José Sócrates. Apoiou Manuel Alegre na corrida às Presidenciais em que este participou. Morreu como quase todos gostaríamos de morrer – a dormir. Tinha 104 anos.

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

EFEMÉRIDEDeborah Fialho Secco, actriz brasileira, nasceu no Rio de Janeiro em 26 de Novembro de 1979.
Aos 8 anos de idade, estreou-se na televisão fazendo publicidade. Aos dez, entrou no seu primeiro espectáculo, “Brincando de Era uma Vez”. No ano seguinte, actuou na sua primeira telenovela, “Mico Preto” da Rede Globo. Dedicou-se depois ao teatro, com participações especiais em séries e mini-séries da Globo.
Ao mesmo tempo que actuava em peças teatrais, como “Sapatinhos Vermelhos”, que lhe valeu a nomeação para o Prémio Coca Cola de Teatro, na categoria de Melhor Actriz Revelação, participou na televisão nos episódios “Tabu” e “Mamãe Coragem”, do programa Você Decide, e no especial infantil da Escolinha do Professor Raimundo, em comemoração ao Dia da Criança, ambos em 1992. Seguidamente, fez uma participação especial na mini-série “Contos de Verão”. Em 1994, transferiu-se para a TV Cultura, onde protagonizou a série “Confissões de Adolescente”, trabalho que a catapultou para a fama e pelo qual recebeu o Prémio da APCA na categoria de Actriz Revelação.
Em 1995, voltou à Globo, onde permanece até hoje, com um contrato exclusivo de artista do primeiro escalão e onde entrou na sua primeira telenovela de horário nobre, “A Próxima Vítima”. Em 1996, encarnou a espevitada Bárbara da novela “Vira-Lata” em que, durante boa parte do enredo, protagonizou um rapaz chamado Tatu. Posteriormente, fez a novela “Zazá” contracenando com Fernanda Montenegro. Em 1999, participou na telenovela “Suave Veneno” e, em Agosto deste mesmo ano, posou pela primeira vez para a edição brasileira da revista “Playboy”.
Continuou a fazer novelas e, em 2002, foi eleita a Personagem de Novelas Mais Apreciada pelos Telespectadores. Devido à sua grande sensualidade e aos seus desempenhos, foi capa da “Playboy” na edição comemorativa do 27º aniversário desta revista.
Em 2006, participou em “Dança no Gelo”, no programa Domingão do Faustão. No meio desta actuação, fracturou duas vértebras. Em 2007, fez uma participação especial na novela “Paraíso Tropical”. Em 2008, protagonizou a telenovela “A Favorita”. Depois de ter sido muito criticada nas suas últimas actuações em novelas, foi bastante elogiada por este seu trabalho.
Em 2010, fez a peça “Mais Uma Vez Amor” e participou nas filmagens da curta-metragem “Assim Como Ela”. No final do ano, voltou na série “As Cariocas”, no episódio “A Suicida da Lapa”.
Em 2011, foi estrela do filme sobre a vida de Bruna Surfistinha, uma ex-prostituta: “O Doce Veneno do Escorpião”. Ainda neste ano, interpretou uma das protagonistas da novela “Insensato Coração”. A personagem caiu no gosto do público e foi elogiada até pela Presidente Dilma Roussef.
Foi eleita a Mulher Mais Sexy do Mundo em 2011, pelos leitores da revista “VIP”, e a Mulher do Ano, pela revista “Alfa”. Em Dezembro, recebeu mais um prémio, o de Personalidade do Ano na Dramaturgia, evento promovido pela editora Três, que contou com a presença de Dilma Roussef. De acordo com um artigo da revista “Veja”, «Deborah Secco foi a celebridade brasileira mais citada pela imprensa no ano de 2011».
Em 2012, foi eleita como uma das 100 Personalidades Mais Influentes do Ano pela revista “Isto É”. No mesmo ano, foi incentivada por Steven Spielberg para trabalhar em Hollywood, onde representou o Brasil no 40º AFI Life Achievement Awards, prémio que homenageou a actriz Shirley MacLaine.
Em 1997, conheceu o realizador Rogério Gomes, com quem se casou, mas divorciaram-se em 2001. Teve vários namoros mais ou menos longos, mas sem chegar a novo casamento. Em 2007, Deborah começou a namorar com o jogador de futebol Roger Flores e foram morar juntos. Dois anos depois, casaram-se numa cerimónia discreta. Separam-se em Março de 2010, mas reataram a relação alguns meses depois. 

domingo, 25 de novembro de 2012

EFEMÉRIDENuno Assis Lopes de Almeida, jogador de futebol português, nasceu na Lousã em 25 de Novembro de 1977. Tornou-se conhecido pelas suas boas exibições no Vitória de Guimarães, que lhe valeram a convocatória para a Selecção Nacional e uma transferência para o Sport Lisboa e Benfica em Janeiro de 2005.
Foi formado no Sporting Clube de Portugal (1992/1996), tendo sido depois emprestado ao SC Lourinhanense (1996/1999), ao FC Alverca (1999/2000) e ao Gil Vicente FC (2000/2001), de onde transitou para o Guimarães.
Campeão Nacional em 2004/2005, Nuno Assis foi um jogador bastante utilizado nessa época pelo treinador do Benfica, Giovanni Trapattoni. No jogo de estreia a titular, marcou justamente dois golos ao seu antigo clube, tendo o Benfica ganho ao Guimarães por 2-1. Na mesma época, Nuno Assis ganhou igualmente a Super Taça de Portugal.
Em Agosto de 2008, foi dispensado pelo Benfica, regressando ao Vitória de Guimarães. Em Julho de 2010, foi transferido para o Al-Ittihad Djedda da Arábia Saudita por 800 000 euros. Voltou um ano depois ao Guimarães, assinando um contrato por duas épocas. 

sábado, 24 de novembro de 2012

BROA DE AVINTES
2012 (quadras)

1
As Padeiras de Avintes,
Com ancas a dar que dar,
Tinham graça e requintes
Para as Broas transportar.

2
Barqueira que vais no Douro,
Tão segura a navegar,
Levas contigo um tesouro:
- A Broa de encantar.

3
Escurinha e sab’rosa,
Não há outra igual.
Broa de Avintes gostosa,
A melhor de Portugal.

4
Cereais, água pura,
Feita com muitos requintes,
Preces, rezas, levedura…
…Isto é a Broa de Avintes!


Gabriel de Sousa
EFEMÉRIDECarlo Collodi, de seu verdadeiro nome Carlo Lorenzini, jornalista e escritor italiano, famoso por ser o autor das “Aventuras de Pinóquio”, nasceu em Florença no dia 24 de Novembro de 1826. Morreu na mesma cidade, em 26 de Outubro de 1890.
Membro da maçonaria, iniciou a sua carreira colaborando na feitura do catálogo de uma livraria florentina. Tornou-se depois um jornalista de sucesso, escrevendo sobretudo em jornais humorísticos de toda a Itália. Fundou um periódico, que foi fechado pela censura em 1848.
Voluntário na Guerra de Independência Italiana entre 1848 e 1860, antes tinha sido comediante. Em 1856, adoptou o pseudónimo “Carlo Collodi”, nome porque ficou conhecido, em homenagem a sua mãe que nascera numa aldeia toscana com aquele nome.
Publicou as obras “Gli amici di casa” e “Un romanzo in vapore. Da Firenze a Livorno. Guida storico-hgumoristica”, por volta de 1856. O seu primeiro livro infantil foi editado em 1876 e intitulava-se “Racconti delle fate”, uma adaptação de francês para italiano dos “Contos” de Charles Perrault. No ano seguinte, escreveu “Giannettino” e, em 1878, “Minuzzolo”.
Em 1881, iniciou a publicação do “Giornale per i bambini”, primeiro periódico italiano destinado ao público infantil. Foi ali que, em curtos capítulos, publicou “Storia di un burattino”, primeiro título das “Aventuras de Pinóquio”, a sua obra-prima. Escreveu ainda outros contos, como “Storie allegre” em 1887, mas nenhum deles alcançou o mesmo êxito.
Pinóquio é um personagem que quase eclipsou o seu criador. Com efeito, se bem que o “narigudo” seja um dos mais famosos personagens da literatura infantil, conhecido em todo o mundo, tendo entrado mesmo na linguagem comum como símbolo dos mentirosos, poucos são os que conhecem o nome do autor das suas aventuras.

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

EFEMÉRIDECarlinhos Brown, de seu verdadeiro nome António Carlos Santos de Freitas, cantor, percussionista, compositor, produtor e animador cultural brasileiro, nasceu em Salvador da Bahia no dia 23 de Novembro de 1962.
Os seus primeiros instrumentos, que marcariam toda a sua carreira e estilo musical, foram os de percussão, com aprendizagem e desenvolvimento dos ritmos provenientes dos terreiros de candomblé.
Em 1979, tocou na banda de rock Mar Revolto, onde fez a sua primeira gravação profissional. Tornou-se um dos instrumentistas mais requisitados da Bahia no início da década de 1980. Em 1984, tocou na banda Acordes Verdes. Em 1985, Luiz Caldas gravou “Visão de Ciclope”, primeira composição de Carlinhos Brown e um dos sucessos mais tocados nas estações de rádio de Salvador.
Foi um dos criadores do samba-reggae e, em 1989, fez parte da banda de Caetano Veloso no disco “Estrangeiro”. Nesta participação, a sua composição “Meia Lua Inteira” teve um enorme êxito.
 Remexer”, “O Coco” e “É Difícil” foram composições interpretadas por outros artistas e que lhe renderam o Troféu Caymmi. Participou em tournées mundiais com João Gilberto e Djavan, entre outros cantores.
Na década de 1990, projectou-se nacional e internacionalmente como líder do grupo Timbalada. Este grupo reuniu mais de cem percussionistas e cantores, chamados “timbaleiros”, a maioria deles jovens pobres do bairro do Candeal, onde ele nasceu. Actualmente, já não toca regularmente com esta banda, mas continuou a ser o mentor e produtor do grupo, nos catorze álbuns que a banda lançou.
Após o sucesso no Timbalada, começou sua carreira oficial a solo em 1996, com o lançamento do disco “Alfagamabetizado”, que entrou para a lista dos “1001 discos para ouvir antes de morrer”, que reúne as opiniões de noventa críticos reconhecidos internacionalmente.
Com Marisa Monte e Arnaldo Antunes, lançou em 2002 o projecto Tribalistas. Gravaram CD e DVD, arrebataram prémios e alcançaram a marca de mais de um milhão de discos vendidos.
Actualmente, divide-se entre a carreira internacional, que tem uma base sólida principalmente na Europa, e as suas obras sociais no bairro do Candeal Pequeno, em Salvador, além dos projectos culturais, shows, produção de discos e faixas para espectáculos de dança, filmes e outras produções. Lançou o singleEarth Mother Water”, um apelo para a preservação do planeta.
Em 2008, foi consagrado como compositor, sendo considerado o segundo maior recebedor de direitos autorais, atrás apenas de Chico Buarque.
Extremamente ligado à cultura afro-brasileira e ao carnaval da Bahia, é um dos grandes fornecedores de canções para estes eventos. Diversas músicas suas foram campeãs do carnaval de Salvador, com destaque para “Rapunzel”, gravada por Daniela Mercury e “Cadê Dalila” interpretada por Ivete Sangalo.
A obra de Brown encantou diversos artistas da Música Popular Brasileira, que gravaram nos seus álbuns diversas das suas canções. Dentre eles, estão alguns dos maiores nomes da MPB: Maria Bethânia, Gal Costa, Caetano Veloso, Marisa Monte e a banda de heavy metal Sepultura.
Carlos Brown é casado com Helena Buarque, filha de Chico Buarque e de Marieta Severo, e tem quatro filhos.
Tem sido responsável pela criação de vários grupos musicais e de outros projectos e empreendimentos na área cultural. Dentre eles, destaca-se o Museu do Ritmo. Em 2007, arrendou o casarão do antigo Mercado do Ouro, no bairro do Comércio, em Salvador, com o objectivo de o transformar num centro cultural e museu de artes. Hoje, o local abriga grandes eventos e já possui um acervo com importantes obras, inclusive telas do próprio Brown. Um dos eventos que acontece no Museu do Ritmo é o Sarau do Brown. Desde 2006, durante o Verão de Salvador, Brown reúne diversas formas de arte, como música, poesia, teatro e artes plásticas, além de organizar um desfile de moda, tudo acontecendo no mesmo local, trazendo assim um novo conceito para os ensaios de Verão, tradicionais na capital baiana. As noites do Sarau são encerradas sempre com um show de Brown e alguns convidados especiais. Em 2007, passaram pelo palco do Sarau, entre outros artistas, Caetano Veloso e os Tribalistas, com as presenças de Arnaldo Antunes e Marisa Monte.
No Candeal, seu bairro natal, Carlinhos implementou o projecto “Tá Rebocado”, de urbanização e saneamento, que recebeu o Certificado de Melhores Práticas do Programa de Assentamentos Humanos das Nações Unidas/UN-Habitat. Em 1994, foi fundada por Carlinhos Brown a Associação Pracatum Acção Social, que é um centro de referência em cursos de formação profissional nos domínios da moda, costura, reciclagem, línguas, oficinas de capoeira, dança e temáticas ligadas à cultura afro-brasileira, além de uma escola infantil. Os projectos têm como parceiros algumas instituições importantes, como os Ministérios da Educação e do Trabalho do Brasil e a UNESCO.
Pela sua dedicação a questões sociais, Carlinhos Brown já recebeu diversos prémios. Destaca-se o mais recente, recebido na Europa em 2008, ao ser agraciado com o “12 meses, 12 causas”, prémio promovido pela Telecinco, o mais importante canal da TV espanhola. É muito popular em Espanha, onde fez várias tournées através de todo o país e onde é igualmente conhecido por Carlitos Marrón. Também já actuou em Portugal. Carlinhos Brown tem sido ainda autor de muitas músicas para filmes, incluindo de desenhos animados.   

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Rádio Comercial | Mixórdia de Temáticas: "Vale e Azevedo volta a casa"

Cuidado com ele...
EFEMÉRIDEEndre Ady de Diósad, jornalista e poeta húngaro, muito controverso na sua época por escrever poemas que eram um misto de erotismo, profecia, teologia calvinista, patriotismo desesperado e política radical, nasceu em Érmindszent no dia 22 de Novembro de 1877. Morreu em Budapeste, em 27 de Janeiro de 1919. Foi o grande pioneiro da literatura húngara moderna e o porta-voz da renovação da poesia e do pensamento social na Hungria, no princípio do século XX.
Pertencia a uma família nobre, mas empobrecida. Fez os estudos de Direito em Debrecen, mas deixou a cidade – de que não gostava – para ir trabalhar como jornalista em Nagyvárad. Foi aqui que conheceu a sua futura amante, Adél Brüll, uma mulher casada a quem ele chamou Léda nos seus poemas. Foi depois para Paris, onde ela então vivia, e descobriu durante um ano as novas correntes da literatura europeia. De regresso à Hungria, começou a trabalhar no jornal “Budapesti Napló”, no qual publicou mais de 500 artigos e numerosos poemas. 
Começou a interessar-se pela política e tornou-se membro de um grupo radical chamado Huszadik Század. Com as experiências de Paris, construiu passo a passo um novo estilo e um patriotismo crítico. Através  da poesia, ele queria denunciar os problemas sociopolíticos da Hungria e induzir uma transformação política. As suas recolhas poéticas “Új versek” (1906) e “Vér és arany” (1907) fizeram sensação. Ady abandonou a sua actividade no “Budapesti Napló” e foi de novo para Paris, onde esteve sete vezes entre 1904 e 1911.
Em 1908, passou a escrever para a revista “Nyugat”, onde trabalhou o resto da vida, sendo seu editor a partir de 1912. Ainda em 1908, fundou em Nagyvárad o Círculo Literário “ A Holnap ”.
Ady foi violentamente atacado não somente pelas suas atitudes políticas, consideradas antipatrióticas, mas também pelos seus poemas eróticos. O seu modo de escrever foi muito influenciado pelo simbolismo francês, em particular por Baudelaire e Verlaine. A sua obra reflecte também um fim de século decadente e as injustiças sociais da monarquia húngara. A doença que o apoquentou (sífilis) fez diminuir a sua força criadora nos últimos anos da sua curta vida.

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

EFEMÉRIDEPaulinho Santos, de seu verdadeiro nome João Paulo Maio dos Santos, ex-futebolista português e actual treinador adjunto do Futebol Clube do Porto, nasceu em Caxinas, Vila do Conde, no dia 21 de Novembro de 1970.
Começou a jogar na sua terra natal, no Rio Ave, indo para o Porto em 1992. No FC Porto, ele e mais quatro companheiros tornaram-se os únicos jogadores na história do futebol português a ganhar cinco títulos consecutivos da Primeira Liga (1994/1999). Quando o Porto ganhou a Taça UEFA de 2003, Paulinho Santos já não era titular da equipa e cessaria a sua actividade no fim dessa época.
Considerado um jogador muito agressivo, eram frequentes as quezílias com João Pinto, quando este jogou no SL e Benfica e no Sporting CP. No entanto, antes do último jogo de Paulinho Santos, contra o Sporting, ambos trocaram as respectivas camisolas num gesto simbólico.
Jogou trinta vezes pela Selecção de Portugal, tendo participado no Euro 1996 em Inglaterra.
Em 2005, ingressou nos quadros técnicos do Porto, tendo auxiliado os vários treinadores que passaram pela equipa portista. Em Fevereiro de 2012, foi promovido a treinador adjunto dos seniores do Porto.
Foi Campeão Nacional sete vezes (1992/93, 1994/95, 1995/96, 1996/97, 1997/98, 1998/99 e 2002/03), venceu cinco  Taças de Portugal (1993/94, 1997/98, 1999/2000, 2000/01 e 2002/03), cinco Super Taças de Portugal (1993/94, 1994/95, 1998/99, 1999/2000 e 2001/02) e a Taça UEFA 2002/03.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

EFEMÉRIDEBo Derek, de seu verdadeiro nome Mary Cathleen Collins, actriz e produtora norte-americana, nasceu em Long Beach, Califórnia, no dia 20 de Novembro de 1956. Foi a última esposa do fotógrafo, actor e produtor de cinema John Derek, falecido em 1998.
Entrou no mundo da moda, ainda durante a adolescência, porque queria ter dinheiro para adquirir uma prancha de surf. Pousou para algumas sessões fotográficas e apareceu também na publicidade a um desodorizante. No entanto, porque ambicionava muito mais, contratou um agente para a ajudar a procurar castings para cinema. Foi no decorrer de uma dessas audições, que encontrou o cineasta John Derek. Apenas com 16 anos, apaixonou-se por ele, que era 30 anos mais velho.
John não ficou indiferente e decidiu divorciar-se da actriz Linda Evans, para viver livremente o seu novo idílio. Para evitar a prisão por “desvio de menor”, convenceu-a a fugir com ele para a Alemanha, só regressando aos Estados Unidos dois anos mais tarde. Casaram-se em 1976.
Bo Derek recusou fazer a principal personagem feminina da segunda versão de “King Kong”, em 1976, filme que acabaria por lançar Jessica Lange. No ano seguinte, começou finalmente a sua carreira de actriz, no filme de Michael Anderson, “Orca”. Em 1979, fez uma interpretação notável na película “Mulher Nota 10”, sendo nomeada para um Globo de Ouro. Este filme foi um grande sucesso, consagrando-a como o estereótipo da mulher fisicamente perfeita e um dos símbolos sexuais mais marcantes da sua geração. Em 1980, foi capa da “Playboy”, revista em que apareceria várias vezes durante a década.
Até agora, entrou em mais de vinte filmes, tendo igualmente produzido três. Em 2002, escreveu a sua autobiografia – “Riding Lessons”. Fã incondicional do hipismo, Bo Derek é porta-voz da associação Animal Welfare Institute.

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

STEREO VIDEO RE-EDIT of London 1968 Clip ~ CINDERELLA ROCKEFELLA by ESTH...

Velhos tempos...
EFEMÉRIDETed Turner, de seu verdadeiro nome Robert Edward Turner III, magnata da imprensa, actor, produtor e filantropo norte-americano, nasceu em Cincinnati no dia 19 de Novembro de 1938. Como homem de negócios, é conhecido sobretudo como fundador da CNN, o primeiro canal de televisão dedicado 24 horas por dia a noticiários.
O império de Turner começou a ser construído ao assumir, aos 24 anos, o negócio de outdoors do seu pai, que se tinha suicidado. Este negócio, Turner Outdoor Advertising, valia aproximadamente um milhão de dólares quando ele assumiu o controlo em 1963. A compra de um canal de televisão em Atlanta, em 1970, foi o começo da Turner Broadcasting System (TBS). Reconhecendo o potencial dos novos satélites de comunicações, trabalhou para transformar o pequeno mercado do canal num grande mercado que cobrisse todo o país. Quando os sistemas de televisão por cabo começaram a surgir nos Estados Unidos, muitos deles disponibilizaram gratuitamente o canal de Turner para complementar os seus “pacotes”, o que fez aumentar o número de telespectadores e os lucros com publicidade.
Turner criou a Cable News Network (CNN) em 1980, depois de perceber que a maioria das pessoas chegava a casa tarde demais para poder assistir aos telejornais convencionais. A CNN veio revolucionar o jornalismo, cobrindo o desastre da Challenger em 1986 e a Guerra do Golfo em 1991. Após uma tentativa fracassada para comprar a CBS, Turner adquiriu em 1986 o lendário estúdio da Hollywood MGM/UA.
Ted Turner casou-se e divorciou-se três vezes, uma delas com a actriz Jane Fonda (1991/2001). É o americano que detém a posse de maior quantidade de terras, possuindo uma área superior ao tamanho dos estados de Delaware e Rhode Island juntos. Através da Turner Enterprises, é dono de 14 ranchos no Dakota do Sul, Kansas, Montana, Nebraska, Novo México e Oklahoma. As suas terras são geridas de uma maneira económica e ecologicamente sustentável, conservando as espécies naturais. Em 1989, criou o Prémio Turner Tomorrow Fellowship, destinado a trabalhos que ofereçam soluções para os problemas globais.
Em 1992, a biblioteca da MGM, que incluía os desenhos “Looney Tunes” e “Merrie Melodies” da Warner Bros., tornou-se o núcleo do Cartoon Network, um novo canal criado por Turner e dedicado exclusivamente a desenhos animados. Em 1990, criou a Turner Foundation, cuja finalidade é fazer doações filantrópicas nas áreas do meio ambiente e das populações. Igualmente nesse ano, criou o personagem Capitão Planeta, um super-herói do meio ambiente. Turner produziu duas séries animadas com o personagem. Em 1993, apareceu no épico “Gettysburg”, por ele produzido, protagonizando o Coronel Waller T. Patton, um papel que repetiria em “Gods and Generals”, igualmente uma produção sua (2003).
Em Setembro de 2006, Turner falou sobre o conflito com o Irão e possíveis armas nucleares: «Eles são um Estado soberano. Nós temos 28 mil armas. Porque razão eles não podem ter 10? Nós não falamos nada sobre Israel – eles têm cerca de 100 – ou sobre a Índia ou sobre o Paquistão ou sobre a Rússia…». 

Our Story In 2 Minutes

História do nosso Mundo em dois minutos

domingo, 18 de novembro de 2012


 SANGUE E PÓ

 Assim que vêm ao Mundo,
ainda tão pequeninos,
tornam-se logo importantes
dando mais sentido às nossas vidas.
Conseguem transformar tristezas
em alegrias sem par
e rompem docemente os nossos silêncios
com a melodia do seu balbuciar.
Fazem esquecer as nossas solidões
e conseguem que a pureza
recupere espaço nos nossos corações.
Amam como só eles podem fazê-lo
e são amados com um Amor
diferente, quase reinventado.

Ser avô é ser feliz,
imensamente rico
e quase dono do Universo.
Ser avô é ignorar limites,
desejar viver eternamente
e tentar desacelerar os dias
para os saborear verdadeiramente.
Ser avô é sentir o nosso sangue
circular noutras artérias
e relembrar caminhos percorridos.

Ser avô é conseguir ser Tudo
num mundo em que somos quase Nada.
É transformar poeira em vida
antes dela em pó nos transformar... 

Gabriel de Sousa

NB – 1º Prémio(Poesia Lírica) nos XX Jogos Florais do Outono – 2012 – Monforte
EFEMÉRIDEGeorge Horace Gallup, jornalista, matemático, estatístico e sociólogo norte-americano, inventor do sistema Gallup, um método de pesquisa de amostras estatísticas para a medição da opinião pública, nasceu em Jefferson (Iowa) no dia 18 de Novembro de 1901. Morreu em Tschingel (Suíça), vítima de ataque cardíaco, em 26 de Julho de 1984. O seu nome tornou-se sinónimo de “sondagens de opinião”, de que foi o pioneiro.
Gallup ingressou na Universidade de Iowa em 1918 e obteve a licenciatura e doutoramento em Ciências Políticas. Trabalhou como editor do jornal estudantil “The Daily Iowan”. Foi depois professor e, em 1929, começou a dirigir a Escola de Jornalismo da Universidade de Drake. Em 1931, ensinou e fez investigação na Universidade Northwestern. Um ano mais tarde, a Young & Rubicam (Y&R) contratou-o para fazer sondagens de opinião destinadas aos seus clientes. Esteve nesta agência de publicidade durante 16 anos.
Fundou o American Institute of Public Opinion em 1935, para realizar sondagens eleitorais, conhecer os gostos das pessoas e fazer estudos de opinião.
O começo da sua celebridade começou em Novembro de 1936, quando previu a reeleição do presidente Franklin Roosevelt, auscultando a opinião de 5 000 pessoas, enquanto os jornais, apoiando-se em inquéritos junto dos leitores, tinham dado o favoritismo ao republicano Alfred Landon. O prestigiado “Digest” ouvira mesmo a opinião de dois milhões de pessoas.

The Archies - Sugar, Sugar (Original 1969 Music Video)

Para animar a malta...

sábado, 17 de novembro de 2012

EFEMÉRIDESoichiro Honda, engenheiro e industrial japonês, nasceu em Hamamatsu no dia 17 de Novembro de 1906. Morreu em Tóquio, de insuficiência hepática, em 5 de Agosto de 1991.
Filho de um ferreiro e de uma tecelã, era uma criança muito curiosa que, desde muito cedo, ficava a observar os motores, ouvindo os seus ruídos, sentindo os seus cheiros e tentando desvendar os seus segredos. Nunca foi um bom aluno, preferindo a prática à teoria dos livros. Aos oito anos, construiu a sua primeira bicicleta. Aos treze, já tinha uma série de pequenas “invenções” e, aos 16 anos, iniciou a sua trajectória profissional, como aprendiz numa oficina em Tóquio. Poucos anos mais tarde, voltou à terra natal e abriu a sua própria oficina.
Aos 30 anos, decidiu começar a fabricar peças em vez de as consertar. Juntou tudo o que tinha e investiu numa fábrica de anéis para pistões. Fabricar, porém, não era tão fácil como ele imaginara e passou por um período bastante duro. Os seus recursos quase acabaram. Queria propor um contrato à Toyota Corporation e, para isso, trabalhou dia e noite, dormindo mesmo na fábrica. Chegou a empenhar as jóias da mulher para prosseguir o negócio, mas quando finalmente terminou os anéis de pistão e os apresentou à Toyota, disseram-lhe que não correspondiam aos padrões da firma. Depois de muita pesquisa, descobriu (com a ajuda de um antigo professor) o que faltava na liga dos anéis – o silício. Dois anos mais tarde, a Toyota assinaria finalmente o contrato por que ele tanto ansiava. No final dos anos 1930, a Tokai Seiki Heavy Industries começou a fabricar em série anéis de qualidade.
Durante a guerra, a fábrica foi bombardeada duas vezes, com a destruição de grande parte das instalações. Honda porém nunca desistiu. Começou a produzir hélices para a Força Aérea Japonesa. Não teve sorte, pois a região onde estava instalado sofreu muitos bombardeamentos e, em Janeiro de 1945, um terramoto acabou por destruir o que restava.
A rendição do Japão ocorreu quando Honda já empreendia a reconstrução das suas máquinas e instalações. Começou a trabalhar, no final da década de 1940, utilizando motores do excedente do exército. Ao obter mais potência nas motos, com uma aceleração maior do que pensava ser possível, ele iria conquistar o mercado mundial. Daí passou para os carros. Apesar de ser o presidente da Honda, Soichiro trabalhava pessoalmente no sector de pesquisas, nunca visitando a sede em Tóquio nem comparecendo às reuniões da direcção, deixando os assuntos de gestão a cargo de um grupo de executivos jovens e bem preparados.
O Japão pós guerra estava caótico e os transportes eram um dos seus maiores problemas. Com o racionamento do combustível e os comboios superlotados, Honda pensou nas motocicletas… Comprou um lote de motores usados e, com a sua capacidade criativa, adaptou-os a bicicletas. Em breve estava a vender os primeiros ciclomotores. Começou então a projectar o seu próprio motor. Seria um motor de 50 cm3 com potência de 0,5 cavalo. O sucesso de vendas foi tal que, em Setembro de 1948, fundou a Honda Motor Company. Soichiro queria no entanto algo melhor e, após fazer vários protótipos, nasceu a primeira motocicleta Honda, com 98 cm3 e 3 cavalos, que seria chamada muito apropriadamente “Dream” (sonho).
Os primeiros automóveis produzidos pela Honda foram o desportivo S500 de dois lugares e a camioneta T360, seguidos do evoluído coupé S600 e da carrinha L700. Em 1967, o extraordinário e compacto motor do N360, a 4 tempos, dois cilindros e 354 cm3, acelerava até às 8.500 rpm e desenvolvia 31 cavalos. Em 1970, a apresentação do Z360 arrefecido a ar serviu de base para uma gama de veículos utilitários que terá conduzido ao Civic em 1972. Em 1971, a empresa começara a desenvolver o motor CVCC (Combustão Controlada por Vortex Composto) de carga estratificada, que representou mais um marco importante na história da Honda, universalmente reconhecida como estando alguns anos à frente em relação à concorrência.
A indústria automóvel sofreria um grande abalo em 1973, durante a crise mundial do petróleo, que trouxe a inflação e a recessão ao Japão. A Honda aumentou no entanto a produção de automóveis e manteve os seus preços. Simultaneamente lançou-se na expansão de outros produtos, como geradores, corta-relvas, motores fora de bordo e bombas de água.
Soichiro permaneceu na Presidência da Honda até à sua reforma em 1973 e, desde então, passou a ser o seu “conselheiro supremo”. 

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

EFEMÉRIDEShigeru Miyamoto, criador de jogos de vídeo japonês, nasceu em Sonobe no dia 16 de Novembro de 1952. Como um dos principais criadores da Nintendo, foi responsável pela criação de vários jogos mundialmente conhecidos, entre eles “Super Mario”, “Donkey Kong”, “The Legend of Zelda”, “Star Fox”, “F-Zero” e “Pikmin”.
Desde muito pequeno, começou a gostar de desenhos, música e marionetas e a explorar as áreas próximas da sua residência. Mais tarde, confessaria ter baseado grande parte do jogo “The Legend of Zelda” em explorações que empreendera na infância em cavernas da região.
Miyamoto inscreveu-se no Kanazawa Municipal Arts and Grafts College em 1970 e, mesmo afirmando que os estudos não estavam em primeiro lugar, formou-se cinco anos depois. Com o diploma nas mãos, conseguiu uma entrevista com um amigo do pai, Hiroshi Yamauchi, o presidente da Nintendo na época, que o contratou como artista e o colocou como aprendiz no departamento de planeamento. Foi designer em vários sectores, até começar a criar personagens, coisa que não pararia mais de fazer.
Em 1980, Yamauchi lançou o “Radar Scope Arcade” que foi desenhado por Miyamoto. A Nintendo Of America solicitou três mil unidades, mas o video-game foi um fracasso e ficaram duas mil unidades por vender. Yamauchi, não querendo ter mais prejuízos, decidiu manter as “cabinas”, optando por mudar o jogo. Deu ao novato Shigeru Miyamoto a tarefa de emendar a situação e criar um novo jogo, que pudesse levar a empresa ao sucesso.
Miyamoto afirmou então que o “Radar Scope” estava muito ultrapassado e logo viu a necessidade de pesquisar mais informações sobre programação, hardware e electrónica. Decidiu trabalhar num jogo novo, utilizando o personagem Popeye, mas teve problemas com direitos de autor e partiu para outra ideia, uma ideia que revolucionaria os video-games. Em substituição de Popeye, criou “Donkey Kong”, um jogo de plataforma onde JumpMan (nome provisório de Mario) tinha que salvar a sua namorada Pauline das mãos de Donkey Kong.
Com o sucesso obtido, Miyamoto foi escolhido para produzir as sequências “Donkey Kong Jr.” e “Donkey Kong 3” e a participar noutras produções como “Excitebike” e “Devil World”.
O grande jogo que se seguiu foi “Mario Bros.”, no qual utilizaria Jumpman, trocando o nome para Mario e dando-lhe um irmão chamado Luigi. Usou habilidades especiais para o personagem e a possibilidade de saltar de grandes alturas sem se ferir, o que levou a alterar alguns aspectos do jogo.
Mais tarde, produziu outro jogo do Mario, chamado “Super Mário”, e começou a trabalhar num novo, “The Legend of Zelda”. Foi também um grande sucesso, sendo o primeiro jogo da nova geração de consolas a vender mais de um milhão de unidades nos Estados Unidos. Os primeiros jogos da série foram lançados pela Nintendo e pela Game Boy.
Novos jogos foram sendo criados até que, em 1996, “Super Mário” apareceu totalmente em 3D, com um vasto mundo a ser explorado. Em 1998, surgiu o que é considerado por muitos como um dos 5 melhores jogos de sempre: “The Legend of Zelda: Ocarina of Time””. Nesta versão do jogo, Shigeru e os seus colaboradores conseguiram fazer uma transição de 2D para 3D.
Miyamoto foi o primeiro autor indicado no Hall da Fama da Academia de Artes e Ciências Interactivas, que premeia anualmente produtores de video-games revolucionários. Além disso, esteve entre as primeiras personalidades que tiveram, em 2004, a honra de receber uma estrela na “Calçada do Game” no San Francisco's Metreon Center, inspirada na Calçada da Fama de Hollywood. Em Novembro de 2006, Miyamoto foi indicado pela revista “Times”, na reportagem “60 Anos de Heróis Asiáticos”, juntamente com Mahatma Gandhi, Hayao Miyazaki, Madre Teresa, Bruce Lee e Dalai Lama. Recebeu em 2007, no Game Developers Choice Awards (uma espécie de Oscar dos criadores de jogos), o Life Achievement Award graças a uma carreira repleta de grandes realizações. Foi escolhido em 2007, como uma das 100 Personalidades mais Influentes do Ano pelo “Times Magazine”, tendo sido novamente indicado para integrar a lista de 2008 pelos leitores da revista, figurando na 1ª posição na votação aberta ao público. Em 2010, “Super Mario Galaxy 2” foi eleito o melhor jogo do ano pela Gamespot.
Foram vendidos até hoje muitos milhões dos seus video-games em todo o mundo. Shigeru Miyamoto é actualmente director geral da Nintendo.
Lembrando os que já partiram...

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

EFEMÉRIDERoberto Cavalli, estilista e costureiro italiano, nasceu em Florença no dia 15 de Novembro de 1940. Estudou no Instituto de Belas Artes, concentrando o seu interesse na impressão têxtil. Ainda estudante, produziu uma série de impressões florais sobre tecidos, que chamou a atenção de várias empresas italianas de confecção de collants.
No começo dos anos 1970, inventou e registou o brevet de uma técnica revolucionária de impressão sobre coiro, começando a criar patchworks de diferentes materiais. Fez uma apresentação em Paris, recebendo de imediato encomendas de casas de prestígio como Hermès e Cardin.
Aos 30 anos, apresentou a sua primeira colecção no Salão de Pronto-a-Vestir de Paris, repetindo a apresentação na Sala Branca do Palácio Pitti de Florença. Organizou seguidamente, em Milão, um desfile com uma colecção de jeans, coiros e impressões a imitar peles de animais. Abriu em 1972, a sua primeira boutique em Saint-Tropez. Em 1980, casou com Eva Düringer, que continua a ser até hoje sua companheira e associada.
Em 1994, em Milão, apresentou os primeiros jeans envelhecidos por projecção de areia a alta pressão (sand-blasted). No mesmo ano, abriu uma boutique em Saint Barthélemy, nas Antilhas francesas, seguida de outras em Veneza e Saint-Tropez.
Além da sua colecção principal, que é vendida em mais de cinquenta países através do mundo, Cavalli criou uma linha masculina (RC Menswear), assim como uma outra para adolescentes e jovens adultos (Just Cavalli), lançada em 1998 e que inclui pronto-a-vestir masculino e feminino, acessórios, óculos, relógios, perfumes, roupa interior e fatos de banho. Existe igualmente uma linha especialmente dedicada a crianças (Angels & Devils). 

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

EFEMÉRIDEZhāng Yìmóu, realizador de cinema chinês, nasceu em Xian no dia 14 de Novembro de 1951.
Quando da Revolução Cultural em 1966, foi obrigado a interromper os estudos e foi trabalhar durante três anos numa quinta. Seguidamente, passou sete anos num atelier de tecelagem. Durante estes períodos, ocupava os seus tempos livres a pintar e a tirar fotografias.
Na reabertura da Universidade de Cinema de Pequim em 1978, com 27 anos, tentou inscrever-se em Realização, mas já tinha ultrapassado a idade limite para admissão. Face à sua insistência, os serviços do ministério da Cultura aceitaram admiti-lo no sector de Filmagens. Diplomou-se em 1982, juntamente com Chen Kaige e Tian Zhuangzhuang (eles em Realização). Os três são considerados os líderes da “5ª geração”, grupo de cineastas chineses que estudou o cinema depois da Revolução Cultural. Influenciados pela Nouvelle Vague francesa, ousaram reivindicar mais liberdade nas suas criações e evocar a herança maoista, mas de um modo crítico. Como Director de Fotografia, trabalhou com Chen Kaige nos seus dois primeiros filmes: “Terra Amarela” e “A Grande Parada”.
Em 1987, realizou a sua primeira longa-metragem “Sorgo Vermelho”, que ganhou o Urso de Ouro no Festival de Berlim em 1988. A actriz Gong Li, que foi sua esposa até 1995, protagonizou os seus sete primeiros filmes, voltando a entrar depois na longa-metragem “Cidade Proibida” em 2006.
Zhāng Yìmóu realizou numerosos filmes importantes, quase todos eles marcados pela beleza das imagens e pela crítica subjacente aos modelos históricos chineses (o feudalismo imperial, a revolução cultural de Mao, a república de Deng Xiaoping, etc.). Alguns filmes tornaram-no conhecido no Ocidente e permitiram-lhe ganhar vários prémios em festivais internacionais. As suas obras caracterizam-se igualmente por uma estética exótica, própria para maravilhar os espectadores pela magnificência dos cenários e do guarda-roupa. Elas denotam também o cuidado extremo com que ele trata todos os detalhes.
Mais tarde, abandonou o chamado “cinema de autor”, para se dedicar aos grandes espectáculos com efeitos especiais. Acusaram-no então de deixar o cinema contestatário, para se tornar o realizador oficial da República Popular da China. Realizou igualmente, para a cidade de Yangshuo, um espectáculo “Som e Luz”, com 600 participantes, cantores e dançarinos, ao ar livre. O espectáculo, passagem obrigatória para todos os turistas desde 2003, valorizou as paisagens, as populações, particularmente os pescadores, os grupos femininos e o folclore local.
Foi escolhido para conceber o espectáculo da cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos de Pequim em 2008, substituindo Steven Spielberg que abandonara o projecto por razões políticas. 

terça-feira, 13 de novembro de 2012

O NATAL E A CRISE
(quadra com mote)

1
Natal do meu coração
Acalma a minha tristeza.
Há tanta gente sem pão,
Outros com tudo na mesa.

2
Sinto uma grande aflição,
Vejo o País a afundar,
Natal do meu coração:
- Não tenho prendas p’ra dar!


Gabriel de Sousa

«Enquanto houver União
Amizade fraternal
Dentro do meu coração
Haverá sempre Natal!»
Maria José Fraqueza

FESTEJAR O NATAL
(glosa)

Festejemos este dia,
Pedindo numa oração,
Amor, Paz e Alegria
Enquanto houver União.

Unidos, somos felizes
E enfrentamos o Mal.
Juntos, nós somos raízes,
Amizade fraternal.

Preciso de bons amigos
Quer estejam perto ou não.
Eles evitam os perigos
Dentro do meu coração.

É feliz quem os tiver,
Tê-los é fundamental…
Enquanto o Homem quiser
Haverá sempre Natal!


Gabriel de Sousa
EFEMÉRIDEJean Dorothy Seberg, actriz de cinema norte-americana, nasceu em Marshalltown, no Iowa, em 13 de Novembro de 1938. Morreu em Paris, cidade onde passou grande parte da sua carreira, em 8 de Setembro de 1979.
Filha de uma professora e de um farmacêutico, a família era de confissão luterana e de origem sueca. Depois de estudar na Universidade de Iowa, foi para Paris em 1957. Participou num casting para escolher a jovem que faria o papel principal de “Joana D'Arc” de Otto Preminger. Foi ela a escolhida entre mais de oito mil candidatas e, a partir daí, começou uma carreira fulgurante.
Desde o estado do Iowa natal até à cidade de Paris e ao movimento Nouvelle Vague, de que foi um ícone, Jean Seberg incarnou o ideal feminino de uma geração, tornando-se célebre pela sua beleza e espontaneidade.
Casou-se quatro vezes e confessou não ter sido feliz com nenhum dos maridos. O primeiro foi o cineasta François Moreuil (com quem foi viver em Paris); depois o escritor e diplomata Romain Gary (que fez dela uma figura da vida cultural dos anos 1960); seguiram-se o realizador Dennis Berry e o actor marroquino Ahmed Hasni.
Foi uma das primeiras actrizes a engajar-se politicamente, fazendo ouvir a voz dos negros americanos vítimas de opressão e chegando a estar sob vigilância do FBI.  
Os seus principais filmes foram “Bonjour Tristesse” de Preminger, “À bout de souffle” de Jean-Luc Godard, contracenando com Jean-Paul Belmondo, e “Lilith” de Robert Rossen.
Abusava de medicamentos e de bebidas alcoólicas, tendo tentado suicidar-se por várias vezes. Estava precisamente a passar por um momento de forte depressão, quando foi encontrada morta dentro do seu carro estacionado junto do rio Sena. Não havia notícias dela desde 30 de Agosto de 1979. O motivo oficial do óbito foi uma overdose maciça de barbitúricos e de álcool (8,2 g por litro de sangue…).

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

EFEMÉRIDE – Benedict (Benni) Saul McCarthy, futebolista sul-africano, nasceu em Cap Town no dia 12 de Novembro de 1977. 
Começou a destacar-se, ainda muito jovem mas já como profissional, no Seven Stars FC, sendo contratado em 1997 pelo Ajax Cape Town FC. O Ajax de Amesterdão, que possuía um partenariado com aquele clube, contratou-o em 1997/98, época em que conquistou o Campeonato Holandês. Em 1999/2000, foi cedido ao Celta de Vigo por seis milhões de euros, assumindo-se desde logo como titular, embora nas temporadas seguintes tenha perdido o seu lugar na equipa.
Em 2001, foi emprestado ao FC Porto, então treinado por José Mourinho. O atacante sul-africano estreou-se com a camisola portista em Fevereiro de 2002, num jogo em que o Porto venceu o Benfica por 3-2. No Porto, conseguiu a excelente marca de doze golos em onze jogos no Campeonato Português.
Depois de ter manifestado o desejo de sair do Porto, teve de voltar ao Celta de Vigo, onde jogou apenas catorze jogos, nos quais só marcou dois golos. Determinado a sair do Celta, o clube acabou por aceitar negociá-lo novamente para o Porto, desta vez a título definitivo.
Benni foi um jogador crucial numa das melhores temporadas da história do Porto, tendo conquistado a Primeira Liga e a Liga dos Campeões. Foi o melhor artilheiro da Primeira Liga com vinte golos e, na Liga dos Campeões, marcou por quatro vezes. Conquistou ainda uma Super Taça de Portugal.
Na época seguinte, o seu rendimento baixou e, no início de 2005/06, mostrou interesse em ir para Inglaterra, o que lhe foi negado. Contrariado, permaneceu no Porto, onde não conseguiu voltar ao nível anterior.
Benni McCarthy era convocado regularmente para defender a Selecção Sul-Africana apesar de, por diversas vezes, ter entrado em conflito com os treinadores. No início de 2006/07, transferiu-se para o Blackburn Rovers. Em Fevereiro de 2010, mudou mais uma vez de clube, assinando então pelo West Ham United.
Depois de uma lesão e da perda da sua forma física, enfrentou duras críticas por estar acima do peso, chegando a pesar 100 kg. Não fez parte da lista dos 23 convocados para os Mundiais de 2010, realizados precisamente na África do Sul.
Em Abril de 2011, rescindiu o contrato com o West Ham por mútuo acordo. Jogara apenas onze partidas e não marcara nenhum golo.
Em Agosto de 2011, após alguns meses sem clube, assinou pelo Orlando Pirates do seu país natal. Com 32 golos no activo, continua a ser o melhor marcador de todos os tempos da Selecção Sul-Africana. Em Novembro de 2011, pediu escusa definitiva da Selecção, declarando que «era tempo de dar lugar aos novos».  

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...