quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

28 DE FEVEREIRO - JAIME GRAÇA

EFEMÉRIDE Jaime da Silva Graça, futebolista português, morreu em Lisboa no dia 28 de Fevereiro de 2012. Nascera em Setúbal, em 10 de Janeiro de 1942.
Iniciou-se nos juniores do Palmelense, actuando depois no Vitória de Setúbal até 1966. Em representação dos sadinos, ganhou uma Taça de Portugal. Foi contratado depois pelo SL e Benfica, onde jogou de 1966 a 1975, regressando em seguida ao Vitória de Setúbal (1975/77).
Conquistou os seus maiores êxitos ao serviço do Benfica, vencendo os Campeonatos Nacionais de 1966/67, 1967/68, 1968/69, 1970/71, 1971/72, 1972/73 e 1974/75, e as Taças de Portugal de 1968/69, 1969/70 e 1971/72. Em representação do Benfica, jogou a final da Taça dos Campeões Europeus de 1968, frente ao Manchester United, encontro que terminou empatado no tempo regulamentar, mercê de um golo marcado justamente por Jaime Graça. No prolongamento, o Benfica perderia por 1-4.
Foi 36 vezes internacional (1965/1972). Na sua estreia, um Portugal-Turquia, primeiro jogo da campanha que levaria Portugal à fase final do Mundial de 1966 em Inglaterra, ficou confirmada a sua grande classe. Integrou depois o lote de 22 jogadores que representou Portugal na Grã-Bretanha, tendo sido um dos totalistas. Portugal classificou-se em 3º lugar, a sua melhor classificação de sempre.
Depois de abandonar os relvados, ainda esteve ligado ao futebol como técnico, trabalhando no departamento de futebol juvenil do Benfica e também como adjunto do treinador José Torres na Selecção Nacional que disputou os Mundiais de 1986 no México. 

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

27 DE FEVEREIRO - KOSTÍS PALAMÁS

EFEMÉRIDEKostís Palamás, poeta grego, considerado o mais importante da sua época, morreu em Atenas no dia 27 de Fevereiro de 1943. Nascera em Patras, em 13 de Janeiro de 1859. A letra do “Hino Olímpico”, escrita em 1896 quando dos primeiros Jogos Olímpicos da Era Moderna, é de sua autoria, com música de Spýros Samáras. Foi um dos candidatos ao Prémio Nobel da Literatura em 1939.   
Órfão de pai e de mãe aos seis anos de idade, foi confiado a um tio, indo morar em Missolonghi. No fim dos estudos secundários, inscreveu-se na Faculdade de Direito de Atenas, mas todo o seu interesse estava virado para o debate de ideias e para a literatura, a poesia em particular.
Tornou-se jornalista e foi redactor das revistas e jornais mais notáveis do seu tempo. Em 1886, publicou a sua primeira recolha poética, “Cantos da minha Pátria”. Em 1887, casou-se com Maria Apostolou Valvi com quem teve três filhos. Um deles morreu aos 4 anos, vítima de meningite. Esta morte mergulhou-o numa profunda depressão, que ele porém conseguiu transformar numa fonte de inspiração, sublimada na elegia intitulada “Túmulo”, publicada em 1898. Um ano antes, tinha-se tornado secretário-geral da Universidade de Atenas, função que manteve durante trinta anos.
Em Abril de 1926, recitou – para uma multidão aglomerada no Jardim dos Heróis – o longo poema “A Glória de Missolonghi”. A sua reputação ultrapassou fronteiras, tendo sido homenageado em Paris, com recitação de muitos dos seus poemas. Ainda no mesmo ano, foi admitido na Academia de Atenas, da qual se tornaria presidente em 1930.
Uma outra homenagem excepcional foi-lhe prestada pela Universidade de Atenas em 1928, quando se reformou de secretário-geral. Em 1936 e 1937, numerosas manifestações foram organizadas, na Grécia e no estrangeiro, para comemorar o cinquentenário da publicação do seu primeiro livro.
Em 1937, foi feito Cavaleiro da Legião de Honra Francesa. Os últimos anos da sua vida foram marcados pela solidão e por doenças. Só recebia visitas de amigos, que o acompanharam até à hora da morte. O seu funeral foi pretexto para comoventes apelos à resistência, face à ocupação alemã, feitos pelo poeta Ángelos Sikelianós, pelo arcebispo de Atenas e pelo povo, que cantou em uníssono o hino nacional grego. Palamás, que foi também romancista, dramaturgo e crítico, deixou uma vasta e variada obra literária.  

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

26 DE FEVEREIRO - PEPE

EFEMÉRIDEPepe, de seu verdadeiro nome Képler Laveran Lima Ferreira, futebolista luso-brasileiro, nasceu em Maceió no dia 26 de Fevereiro de 1983. Duro no seu modo de jogar, com grande força física e não fugindo ao contacto corporal com os adversários, torna-se uma muralha quase intransponível.
Iniciado nas escolas do Corinthians Alagoano Club, Pepe ficou pouco tempo no Brasil, vindo para Portugal ainda muito jovem. Jogou no CS Marítimo, onde se destacou com boas actuações. Na pré-temporada 2003/04, chegou a treinar durante duas semanas no Sporting CP, mas a transferência não se consumou. No Verão de 2004, foi contratado pelo FC do Porto.
Naturalizou-se português e passou a jogar pela Selecção de Portugal desde 2007, ano em que o Real Madrid o contratou por 30 milhões de euros. Em 2011, renovou o contrato até 2015, mediante o pagamento de 4 milhões de euros por cada época.
Do seu palmarés fazem parte: a Taça Intercontinental de 2004; o Campeonato de Portugal em 2006 e 2007; a Super Taça de Portugal em 2004 e 2006; e a Taça de Portugal em 2006, tudo em representação do Porto. Pelo Real Madrid, foi Campeão Espanhol em 2008 e 2012; venceu a Taça do Rei em 2011; conquistou o Troféu Santiago Bernabéu de 2007, 2008, 2009, 2010 e 2011; e a Super Taça de Espanha em 2008 e 2012. Ao longo da sua carreira, tem tido várias lesões graves e alguns castigos. 

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

PATINADORA ISRAELITA - FINAL EMPOLGANTE

video

25 DE FEVEREIRO - CARLOS SALEIRO

EFEMÉRIDECarlos Miguel Mondim Saleiro, futebolista português que representa actualmente o Servette FC, nasceu em Lisboa no dia 25 de Fevereiro de 1986.
Representou a Selecção Nacional nos seus vários escalões, por diversas vezes, num total de cerca de 40 partidas.
Formado no Sporting CP (2002/05), foi emprestado, para adquirir experiência, ao CD Olivais e Moscavide (2005/07), onde iniciou a sua carreira profissional. Passou depois pelo CD de Fátima (2007/08), pelo Vitória de Setúbal (2008/09) e pela Académica de Coimbra (2009). Durante o Versão de 2009, regressou ao Sporting, tendo jogado durante duas épocas. Em 2011, foi contratado pelo clube suíço Servette FC.
Antes de se tornar popular como jogador de futebol, já era conhecido por ter sido o primeiro bebé-proveta nascido em Portugal.

domingo, 24 de fevereiro de 2013

24 DE FEVEREIRO - ROBERT FULTON

EFEMÉRIDERobert Fulton, engenheiro e inventor norte-americano, morreu em Nova Iorque no dia 24 de Fevereiro de 1815. Nascera em Little Britain, em 14 de Novembro de 1765. Destacou-se em projectos de submarinos e torpedos e no desenvolvimento da primeira embarcação a vapor, em 1803.
O pai emigrara de Kilkenny, na Irlanda, no início do século XVIII, tendo-se fixado na povoação de Little Britain. Aos treze anos de idade, Fulton construiu uma “caixa de pás”, que instalou com sucesso num barco de pesca. Com o seu talento, conseguiria mais tarde tornar operacional um procedimento já conhecido mas não concretizado, como provam as experiências de Denis Papin na Alemanha (1707), de Claude François em França (1774), de John Fitch na América (1787) e de Symington na Inglaterra (1788/1801).
O pai de Fulton faleceu quando ele tinha apenas três anos de idade. Para dar asas ao seu gosto pela pintura, partiu aos 17 anos para Filadélfia, onde pintou retratos e miniaturas. Em 1786, emigrou para a Grã-Bretanha a fim de estudar pintura. A pouco e pouco, virou-se para o desenho industrial. Foi o criador do barco “Fitch”, propulsionado por uma hélice (1796/97).
Partiu para França, onde propôs ao Directório, então em guerra contra a Inglaterra, um submarino baptizado “Nautilus”, setenta anos antes de Júlio Verne escrever as “Vinte mil léguas Submarinas”. Depois de uma primeira imersão no Sena, em Rouen (Julho de 1800), os ensaios prosseguiram mas, apesar dos testes conclusivos, Fulton não conseguiu convencer as autoridades políticas. Napoleão Bonaparte não acreditou tão pouco nos barcos a vapor de Fulton, que lhe teriam talvez permitido invadir a Grã-Bretanha.
Prosseguiu os seus estudos sobre a propulsão a vapor, com o apoio de Robert Livingston, embaixador americano em Paris, que conhecera em 1800. No princípio de 1803, testou um protótipo de barco a vapor. Foi um fracasso, pois o barco afundou-se, não aguentando o peso da maquinaria. Sem perda de tempo, retomou o trabalho e construiu um novo protótipo reforçado, repartindo a carga da maquinaria sobre o conjunto do comprimento do navio. Em Agosto, conseguiu finalmente fazer funcionar no Sena o primeiro barco a vapor, o “Clermont”, na presença de vários membros do Instituto Volney. Regressou aos Estados Unidos.
Em Agosto de 1807, abriu nos USA a primeira linha comercial regular a vapor, entre Nova Iorque e Albany, sobre o Hudson. Construiu seguidamente outros barcos e desenhou o primeiro navio de guerra a vapor, ao qual foi dado o seu nome. Fulton morreu antes de completar 50 anos de idade.

sábado, 23 de fevereiro de 2013

23 DE FEVEREIRO - PETER FONDA

EFEMÉRIDEPeter Henry Fonda, actor, realizador, cenarista e produtor de cinema norte-americano, nasceu em Nova Iorque no dia 23 de Fevereiro de 1940. É considerado um ícone da contra-cultura, que se desenvolveu durante os anos 1960.  
Filho de Henry Fonda, irmão de Jane Fonda e pai de Bridget Fonda, todos também actores, tem ascendentes holandeses por parte do pai. É casado com Portia Crockett, desde 1975.
Ficou mundialmente famoso pela sua actuação em “Easy Rider”, o melhor filme da sua carreira. Foi também um dos produtores e o cenarista desta película.
Foi nomeado para o Oscar de Melhor Actor em 1997, pela sua interpretação em “O Oiro da Vida” de Victor Nuñez. Protagonizou até agora mais de sessenta filmes e realizou três longas-metragens nos anos 1970.
Em 2000, o seu nome foi acrescentado no Motorcycle Hall of Fame da American Motorcyclist Association. Peter Fonda emprestou também a sua voz ao personagem The Truth do jogo de vídeo GTA San Andreas

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

PAGANINI muito expressivo

CANTO NOVÍSSIMO...

BRECHT E OS TUBARÕES...


UM HOMEM SÉRIO...


22 DE FEVEREIRO - HEINRICH HERTZ

EFEMÉRIDEHeinrich Rudolf Hertz, engenheiro e físico alemão, nasceu em Hamburgo no dia 22 de Fevereiro de 1857. Morreu na cidade de Bona, em 1 de Janeiro de 1894. Demonstrou a existência da radiação electromagnética, criando aparelhos emissores e detectores de ondas de rádio.
Hertz pôs em evidência em 1888, as ondas electromagnéticas imaginadas por James Maxwell em 1873, que viriam a ter o seu nome (ondas hertzianas). Interessou-se desde muito cedo pela construção de mecanismos, tema que sempre o atraiu, mesmo quando trabalhava na área da física. Levado por essa sua apetência, frequentou uma faculdade de engenharia durante dois anos. No entanto, a sua vontade de levar a cabo investigação científica fê-lo optar pela física, tendo ingressado na Universidade Humboldt de Berlim em 1878.
Dada a pesquisa original que efectuara, obteve em 1880 um resultado excepcional num trabalho proposto pelo seu professor Hermann von Helmholtz, no Instituto de Física de Berlim, intitulado “Sobre a Energia Cinética da Electricidade”. Passou a ser, nesse mesmo ano, assistente de von Helmholtz, ocupação durante a qual estudou a elasticidade dos gases e a propagação de descargas eléctricas através deles.
Três anos mais tarde, foi professor na Universidade de Kiel, onde iniciou investigações sobre a electrodinâmica de Maxwell, a qual se opunha à electrodinâmica mecanicista e a anteriores teorias sobre a natureza da acção à distância.
Mudou-se em 1885 para Karlsruhe, onde leccionou na Escola Politécnica. Desde 1883, ano em que esteve em Kiel e onde foi também mestre de conferências na Universidade, descobriu a produção e propagação das ondas electromagnéticas, bem como as formas de controlar a frequência das ondas produzidas. Todas essas experiências permitiram-lhe demonstrar a existência da radiação electromagnética, tal como previsto teoricamente por Maxwell.
A respeito das propriedades das ondas electromagnéticas, que Hertz passou a estudar, descobriu que a sua velocidade de propagação era igual à velocidade da luz no vácuo, que tinham comportamento semelhante ao da luz e que oscilavam num plano que continha a direcção de propagação. Demonstrou também a refracção, a reflexão e a polarização das ondas. Em 1887, criou um oscilador. No ano seguinte, apresentou os resultados das suas experiências à comunidade científica, obtendo grande sucesso.
A partir de 1889, foi professor e pesquisador em Bona. Em 1890, foi galardoado com a Medalha Rumford. Três anos mais tarde, no início de 1893, adoeceu e foi operado a um tumor na orelha. No final desse ano, adoeceu de novo e veio a falecer no primeiro dia de 1894, antes de completar 37 anos de idade, vítima de doença bacteriana.
Depois da sua morte, em 1895, o físico italiano Guglielmo Marconi retomou os trabalhos de Hertz, melhorou a telegrafia e fabricou o primeiro telégrafo sem fios. Este processo foi constantemente melhorado até chegarmos aos telemóveis de hoje e a todas os sistemas actuais de teletransmissões sem fios. Para a posteridade, as ondas de rádio ficaram a ser denominadas de hertzianas e a unidade de medida das suas frequências é o “hertz” (símbolo Hz). 

A TERRA (quadras)

Montagem de Fátima Saldanha (Bahia)

GAMAR COM STYLE

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

21 DE FEVEREIRO - CAPUCHO

EFEMÉRIDECapucho, de seu verdadeiro nome Nuno Fernando Gonçalves da Rocha, ex-jogador de futebol português e actual treinador, nasceu em Barcelos no dia 21 de Fevereiro de 1972.
Ficou conhecido pela sua capacidade de drible, pela sua técnica e por marcar golos espectaculares. Brilhou especialmente no FC do Porto, o que lhe valeu a chamada regular à Selecção Portuguesa e a conquista de 3 Campeonatos de Portugal (1998/1999/2003) e da Taça UEFA de 2003.
Durante a sua carreira, jogou em vários clubes: Gil Vicente FC (1990/92), Sporting CP (1992/95), Vitória de Guimarães (1995/97), FC do Porto (1997/2003), Glasgow Rangers (2003/04) e Celta de Vigo (2004/05), clube onde deu for finda a sua carreira. É actualmente treinador assistente da equipa de sub-19, juniores, do Porto.
Conquistou ainda 5 Taças (1995, 1998, 2000, 2001, 2003) e 3 Super Taças de Portugal (1999/2000/2002). Fez parte da equipa de Portugal, Campeã Mundial de Sub-20 em 1991. Foi internacional 34 vezes pela Selecção Nacional, entre 1996 e 2002, tendo participado nos Europeus de 2000 e nos Mundiais de 2002

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

20 DE FEVEREIRO - CINDY CRAWFORD

EFEMÉRIDECindy Crawford, de seu verdadeiro nome Cynthia Ann Crawford, supermodelo e actriz norte-americana, nasceu em DeKalb, Illinois, no dia 20 de Fevereiro de 1966.
Em 1982, quando estava a laborar na agricultura, num pequeno trabalho de Verão, um repórter fotográfico reparou na sua beleza e resolveu fotografá-la. Como resultado da sessão, ficou patente a sua fotogenia, o que foi suficiente para que ela apostasse de imediato na carreira de modelo. Nesse Verão e no seguinte, trabalhou como modelo para a Elite Model de Chicago mas, depois, acabaria por se dedicar em exclusivo aos estudos, ingressando na Universidade de Northwestern, na área de engenharia química. Pelo caminho, deixou a sua participação no concurso Elite Look of the Year de 1982, onde era uma das mais fortes candidatas à vitória. Posteriormente, viria no entanto a interromper os estudos, optando definitivamente pelo mundo da moda.
No início da sua carreira, recomendaram-lhe que retirasse o sinal que tem junto da boca por ser considerado inestético. Recusou a sugestão e, hoje em dia, o sinal faz parte da sua imagem de marca.
Trabalhou em Chicago, até que o sucesso a levou a mudar-se para Nova Iorque, onde residiu até 1996, altura em que se instalou em Los Angeles. Bastaram-lhe dois anos para começar a desfilar roupas dos mais conceituados costureiros e a ocupar as capas das mais importantes revistas de moda. Até hoje, já fez mais de 400 capas de magazines em todo o mundo. Uma das mais famosas foi a da “Vanity Fair”, que saiu em 1993 e onde apareceu com a cantora lésbica KD Lang, numa pose que chocou os mais conservadores. O sucesso alcançado até então permitiu-lhe integrar o primeiro grupo de supermodelos, um escalão acima das top models, ao lado de Naomi Campbell, Stephanie Seymour, Claudia Schiffer e Linda Evangelista.
Em 1988, foi a primeira supermodelo a aceitar posar nua para a revista masculina “Playboy”. A experiência, que repetiria dez anos depois, foi muito bem aceite pelo público e valeu-lhe um contrato, que se prolongou por seis anos, para se tornar a apresentadora do programa da moda “House of Style” do canal musical MTV.
Para além de uma muito bem sucedida carreira como manequim e de se ter revelado uma excelente estudante, Cindy Crawford também mostrou ter propensão para os negócios. Aproveitando a sua imagem, lançou uma série de calendários em fato-de-banho, videocassetes de fitness e um livro sobre maquilhagem. Através da sua empresa, a Crawdaddy, conseguiu contratos milionários com multinacionais como a Pepsi, a Revlon, a Citroën e a Omega. Quando as suas companheiras de passerelle lançaram o Fashion Café, preferiu a co-presidência da cadeia internacional de restaurantes Planet Hollywood.
Tudo isto ajudou a que, em 1995, fosse considerada pela revista norte-americana “Forbes” como a modelo mais bem paga do mundo. Nesse mesmo ano, estreou-se no cinema na película “Presa Fácil”. Entrou em vários filmes de televisão e em cerca de dez longas-metragens.
Cindy Crawford tem dedicado também muito do seu tempo a acções de beneficência, especialmente as relacionadas com a leucemia, que lhe roubou um irmão, quando ambos ainda eram crianças. Metade dos lucros dos calendários por si lançados é destinada a programas de combate àquela doença.
Casou-se em 1991, com o actor Richard Gere, em Las Vegas. Divorciou-se três anos mais tarde. Vive actualmente em Beverly Hills, em companhia do seu novo marido, Rande Gerber, e dos dois filhos do casal. O seu rendimento anual está calculado em dez milhões de dólares. O cantor Prince escreveu uma canção sobre ela, intitulada “Cindy C.”. 

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

19 DE FEVEREIRO - ALAIN MANOUKIAN

EFEMÉRIDE Alain Manoukian, homem de negócios francês, nasceu em Marselha no dia 19 de Fevereiro de 1946. Os pais tinham-se instalado naquela localidade, após terem escapado ao genocídio arménio.  
Estudou Direito e Ciências Económicas na Faculdade de Grenoble, tendo-se licenciado em Estudos Contabilísticos Superiores. Começou a sua carreira na empresa familiar dos pais, especializada na indústria do calçado.
Em 1973, deixou aquela actividade para criar uma empresa própria e abrir a sua primeira boutique de pronto-a-vestir. Nos primeiros tempos, vendia sobretudo vestuário feminino importado de Itália, mas em breve se apercebeu que eram as suas criações que obtinham maior sucesso. Em 1979, decidiu criar a sua própria marca e lançou a primeira loja de franchising em Colmar. 
No princípio dos anos 1980, a marca Manoukian tornou-se um símbolo de sucesso, através de uma rede de clientes franchisados, clientes multi-marcas e pequenas lojas nos grandes armazéns. Foi nessa época que Alain Manoukian foi condecorado com o grau de Oficial da Ordem Nacional do Mérito.
Em 1981, decidiu intensificar a vertente internacional, criando filiais no estrangeiro. A partir de 1984, a sua sociedade foi cotada na Bolsa. A filha, Séda Manoukian, juntou-se ao grupo empresarial alguns anos depois, desenvolvendo a sua própria linha destinada a Raparigas e encarregando-se também de uma linha para Homem.
Em 1996, Manoukian alcandorou a sua marca a nº 1 francês do pronto-a-vestir, acrescentando à sua actividade de grossista a de distribuidor e integrando o conjunto das etapas anteriores ao processo de distribuição, como a criação das colecções e a logística, tudo apoiado por uma rede integrada de mais de 200 armazéns.
Em 2000, o grupo familiar contava já com mais de 1 000 trabalhadores e estava implantado em toda a Europa. Nesse mesmo ano, recebeu em Paris o Emblema de Ouro do Sucesso, atribuído pelo magazine “La Correspondance de l’Enseigne” e destinado a recompensar a empresa com melhores performances nos últimos 20 anos, no sector da distribuição.
Em 2001, sob o impulso do seu filho David, que se juntou ao grupo como director-geral, foi a primeira marca de pronto-a-vestir na Europa a lançar as vendas pela Internet. Foram abertos igualmente novos pontos de venda no Médio-Oriente e na China.
Em 2005, Alain Manoukian começou a reflectir sobre a estratégia a adoptar para os anos seguintes, prevendo – face à evolução que se operava no mercado mundial dos têxteis e da roupa – uma aliança com um sócio de dimensão internacional, com a finalidade de desenvolver a marca a nível mundial e em particular nos Estados Unidos, tarefa que deixou ao seu filho David.  
Em 2006, retirou-se do grupo para procurar novos caminhos. No ano seguinte, passou a desenvolver projectos imobiliários comerciais urbanos e residenciais de grande luxo. 
Em 14 de Julho de 2011, foi agraciado com o grau de Cavaleiro da Legião de Honra, condecoração recebida das mãos de Christine Lagarde, então ministra francesa da Economia, das Finanças e da Indústria. 

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

18 DE FEVEREIRO - HANS ASPERGER

EFEMÉRIDEHans Friedrich Asperger, médico e cientista austríaco, que deu o seu nome ao Síndrome de Asperger, nasceu em Hausbrunn no dia 18 de Fevereiro de 1906. Morreu em Viena, em 21 de Outubro de 1980.
Nascido nos arredores da capital austríaca, mostrou desde cedo talentos especiais para a linguagem e, nos primeiros anos de escola, era conhecido por recitar poemas de Franz Grillparzer, apesar da falta de interesse da maioria dos seus colegas. Tinha dificuldade em fazer amigos e era considerado como alguém que estava sempre distante. Formou-se em Medicina em 1931 e, no ano seguinte, assumiu a direcção do departamento de ludo-pedagogia na clínica infantil da Universidade de Viena. Desde 1934, colaborou com uma clínica psiquiátrica, em Leipzig.
Asperger tinha especial interesse por crianças “fisicamente anormais”. Em 1943, submeteu o artigo “A psicopatia autista na infância” à revista científica “Archiv fur psychiatrie und Nervenkrankheiten”, que o publicou no ano seguinte. O seu trabalho baseava-se em estudos que tinham envolvido mais de 400 crianças. Este artigo só seria traduzido para inglês em 1991 e para francês em 1998. Asperger observou que o padrão de comportamento e as faculdades que descreveu ocorriam preferencialmente em meninos, denominando-o de psicopatia autista, uma desordem da personalidade que incluía: falta de empatia, baixa capacidade para granjear amizades, conversação unidireccional, intenso foco num assunto de seu interesse especial e movimentos descoordenados. Asperger chamava “pequenos professores” às crianças que estudou, devido a sua facilidade em discorrer detalhadamente sobre diversos assuntos.
Como viajava pouco e todas as suas publicações eram escritas em alemão, só na década de 1980 o seu nome foi reconhecido como um dos pioneiros no estudo do autismo. Além disso, o seu principal trabalho foi publicado durante a Guerra.
No final da II Guerra Mundial, Asperger serviu como médico na Croácia. Foi depois contratado como professor pela Universidade de Viena e tornou-se director da sua clínica infantil em 1946. Foi nomeado professor da clínica pediátrica da Universitäts-Kinderklinik de Innsbruck em 1957 e, a partir de 1962, ocupou a mesma posição em Viena. Em 1964, liderou o posto médico das Aldeias SOS Infantis em Hinterbrühl. Em Maio de 1971, foi escolhido para vice-presidente da Sociedade Austríaca de Alergologia e Imunologia, que acabava de ser criada. Tornou-se professor jubilado em 1977. Trabalhou até ao fim da sua vida, dando ainda aulas 6 dias antes de falecer.
Publicou 359 trabalhos, a maioria dos quais sobre Psicopatia Autista. Asperger estava convencido que muitos dos autistas iriam utilizar mais tarde todos os seus talentos. Seguiu mesmo uma criança – Fritz V. – até à idade adulta. Fritz veio a ser professor de astronomia. Ironicamente, tudo aponta também para o facto de Hans Asperger ter apresentado, na infância, alguns dos sintomas do síndrome que viria a ter o seu nome. 

domingo, 17 de fevereiro de 2013

17 DE FEVEREIRO - CONCHITA CINTRÓN

EFEMÉRIDE Conchita Cintrón, de seu verdadeiro nome Concepción Cintrón Verril, cavaleira tauromáquica peruana, morreu em Lisboa no dia 17 de Fevereiro de 2009. Nascera em Antofagasta, no norte do Chile, em 9 de Agosto de 1922. É ainda hoje considerada como a mais famosa toureira da história da tauromaquia. Nas arenas, Conchita mostrava uma especial graça, estilo e ousadia.
O pai era porto-riquenho de origem espanhola e a mãe norte-americana de origem irlandesa. Tinha menos de 3 anos, quando a família se mudou para Lima, no Peru, onde passou a sua infância e juventude e se iniciou nas artes tauromáquicas. Aos 11 anos, ingressou na escola de equitação do cavaleiro português Ruy Zarco da Câmara, que estava nessa época radicado no Peru e se tornou assim o seu professor de equitação.
Estreou-se em público na Praça de Touros de Acho, em Lima, numa festa de beneficência, em Janeiro de 1936, portanto com catorze anos, actuando como toureira. Em Julho de 1938, começou a sua carreira profissional, também na capital do Peru. Após uma visita a Portugal, foi convidada para actuar no México, o que veio a acontecer na Praça de Touros de El Toreo em Agosto de 1938, tendo impressionado os espectadores e os críticos taurinos.
Em 1940, na Cidade do México, foi colhida e desmaiou. Levada para a enfermaria, ao voltar a si, recusou ser operada e voltou à arena onde matou o touro com uma única estocada, tendo seguidamente voltado a desmaiar. Conchita passou a ser cabeça de cartaz no México, em Portugal, em França, na Venezuela e na Colômbia. Só no México, actuou em mais de 200 corridas entre 1939 e 1943.
Em Espanha, onde existia uma lei que proibia as mulheres de tourear a pé, «por receio de que uma cornada as pudesse desnudar em plena praça», Conchita enfrentou enormes dificuldades para actuar. No entanto, a popularidade já alcançada permitiu que ela se apresentasse ao público espanhol na Praça da Real Maestranza de Sevilha, em Abril de 1945.
Conchita pretendia que a última corrida da temporada de 1945, em Jaén, fosse também a última da sua carreira. Nessa corrida, alternou com os matadores Manolo Vázques e António Ordoñez. Após lidar o touro a cavalo, solicitou autorização ao director de corrida para desmontar e lidar o touro a pé, autorização que lhe foi negada, tendo o director ordenado a sua saída da arena e mandado um novilheiro matar o touro. Conchita desmontou então do cavalo, agarrou numa espada e numa muleta e avançou para o touro, lidando-o e entrando a matar, tendo no entanto apenas simulado a estocada e feito uma festa ao touro com a mão. Os espectadores entraram em delírio, lançando-lhe os seus chapéus e muitas flores. Conchita saiu da arena, tendo sido imediatamente detida pelas autoridades por violação da lei. Devido aos enormes protestos dos espectadores e temendo uma rebelião popular, o Governador da província de Jaén, emitiu um perdão e mandou libertá-la.
Actuou ainda uma última vez em Outubro de 1950, em Bordéus, pondo fim a uma carreira de catorze anos. Casou com Francisco de Castelo Branco, sobrinho do seu mestre Ruy Zarco da Câmara, naturalizou-se portuguesa e radicou-se em Portugal na Quinta do Índio, próximo de Setúbal. Dedicou-se a escrever as suas memórias, ao jornalismo como correspondente de jornais latino-americanos e à criação de cães perdigueiros. No início dos anos 1960, o sucesso dos cães da Quinta do Índio chamou a atenção de Vasco Bensaúde, grande comerciante, armador e criador de cães, que – trinta anos antes – tinha começado, no seu canil Algarbiorum, a salvar a raça do cão de água português, que estava em vias de extinção. Não tendo herdeiros interessados no seu canil, Bensaúde legou-o a Conchita, que se dedicou assim, a partir de 1967, à criação desta raça rara, tendo registado o canil com o nome Al-Gharb. Conchita, aproveitando os seus inúmeros contactos, bem relacionados nos meios da alta sociedade norte-americana, divulgou a raça naquele país com grande sucesso.
Conchita continuou a ser uma referência para as mulheres que tentavam singrar no mundo taurino. Apesar de já não poder actuar, foi madrinha da alternativa de Marie Sara, em Nîmes. Tinha então 70 anos. Em Agosto de 1995, o governo português atribuiu-lhe a Medalha de Mérito Cultural

SUGESTÃO PARA GASPAR Y SUS MUCHACHOS


sábado, 16 de fevereiro de 2013

16 DE FEVEREIRO - ANTÓNIO MASCARENHAS MONTEIRO

EFEMÉRIDEAntónio Manuel Mascarenhas Gomes Monteiro, político cabo-verdiano e primeiro presidente de Cabo Verde eleito através de eleições multipartidárias (1991/2001), nasceu em Santa Catarina (Santiago) no dia 16 de Fevereiro de 1944. Depois da sua escolaridade normal, partiu para a Bélgica a fim de estudar Direito na Universidade Católica de Lovaina.
Após a independência, foi secretário-geral da Assembleia Nacional entre 1977 e 1980. Em 1980, foi nomeado presidente do Supremo Tribunal de Cavo Verde.
Depois da adopção do multipartidarismo em 1990, anunciou a sua candidatura à presidência da República, tendo ganho as eleições em 1991, apoiado pelo Movimento para a Democracia. Depois de dois mandatos, deixou a presidência para Pedro Pires, ficando a servir Cabo Verde como ministro dos Negócios Estrangeiros.
Foi agraciado com o Grande Colar da Ordem da Liberdade (Portugal) em 1991 e com o Grande Colar da Ordem do Infante D. Henrique, igualmente de Portugal, em 2000. Em Setembro de 2006, aceitou a sua nomeação como enviado excepcional a Timor Oriental, proposta pelo secretário-geral da ONU, Kofi Annan. Acabaria por renunciar a este cargo, argumentando que «certos partidos locais duvidavam da sua integridade moral». 

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

ILUSIONISMO "5 ESTRELAS"

video

15 DE FEVEREIRO - RAUL DE CARVALHO

EFEMÉRIDERaul de Carvalho Soares, actor português, nasceu em Salvaterra do Extremo, Idanha-a-Nova, em 15 de Fevereiro de 1901. Morreu em Lisboa no dia 11 de Agosto de 1984.
Completou o curso liceal em Castelo Branco, ingressando posteriormente no Colégio Militar. Acabaria por trocar a profissão de oficial de engenharia pela de actor de teatro e cinema, nunca tendo passado pelo teatro amador. 
A sua estreia no teatro, no ano em que completou 20 anos, esteve ligada à Companhia de Rey Colaço-Robles Monteiro, à qual esteve ligado durante quase toda a carreira. Entrou em centenas de peças de teatro, chegando a ser também empresário. Despediu-se dos palcos em 1966, no Teatro São Luiz, interpretando “O Ciclone” de Somerset Maugham.
Entre 1922 e 1960, protagonizou também mais de vinte filmes, tendo sido dirigido por vários realizadores, entre os quais: António Lopes Ribeiro, Leitão de Barros, Perdigão Queiroga, Alberto Cavalcanti, Ladislao Vajda, Arthur Duarte, Henrique Campos e Augusto Fraga.
Recebeu várias condecorações, de que se salienta a de Oficial da Ordem Militar de Santiago da Espada (1947), a de Oficial da Ordem Militar de Cristo (1966) e a Medalha de Mérito da Câmara Municipal de Lisboa.

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

14 DE FEVEREIRO - VICTOR MENDES

EFEMÉRIDEVictor Manuel Valentim Mendes, toureiro português, nasceu em Marinhais no dia 14 de Fevereiro de 1959.
Tendo-se iniciado em novilhadas no mês de Julho de 1978, apresentou-se em Madrid no dia 12 de Maio de 1980, ao lado de Ramón Fernández Martín “Sacromonte” e Manuel Rodríguez “El Mangui”, com novilhos do ganadeiro português Branco Núncio.
Tomou a sua alternativa em Barcelona em Setembro de 1981, tendo como padrinho o mítico Palomo Linares e como testemunha “Manzanares”. A alternativa foi confirmada em Maio de 1982, em Madrid, e em Abril de 1986, no México.
Victor Mendes é considerado um dos melhores toureiros portugueses de todos os tempos, devido à sua coragem, ao seu pundonor e à sua capacidade de enfrentar qualquer touro. Durante a década de 1980 e princípios dos anos 1990, foi um dos toureiros mais apreciados, tanto em França (Nîmes) como em Espanha e na América Latina. Além disso, foi um dos melhores bandarilheiros da sua época.
Desde 1998, as suas actuações começaram a ser mais raras, apresentando-se unicamente em festivais taurinos. A pior colhida que sofreu, ocorreu justamente em 2002, quando um touro lhe perfurou uma perna, tendo sido necessários 50 pontos para fechar a ferida.

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

13 DE FEVEREIRO - ARTUR JORGE

EFEMÉRIDEArtur Jorge Braga de Melo Teixeira, treinador e ex-futebolista português, nasceu no Porto em 13 de Fevereiro de 1946. Como jogador, representou o FC do Porto (1964/65), a Académica de Coimbra (1965/68), o SL e Benfica (1968/75) e o CF os Belenenses (1975/78), despedindo-se dos relvados em 1977.
Foi depois para Leipzig, na então República Democrática Alemã (RDA), para estudar futebol e métodos de treino, formando-se como técnico. Como treinador, venceu a Liga dos Campeões Europeus na época de 1986/87 pelo Porto, em Viena, frente ao Bayern de Munique, no jogo do célebre golo de calcanhar de Madjer. Passou a ser conhecido pelo “Rei Artur”.
Como jogador, foi Campeão de Portugal em 1969, 1971, 1972 e 1973 e vencedor da Taça de Portugal em 1969/1970/1972, sendo o Melhor Marcador do Campeonato em 1971 e 1972, tudo em representação do Benfica. Foi internacional pela Selecção de Portugal por 16 vezes (1967/77).
Treinou diversos clubes: Vitória de Guimarães (1980/81); Belenenses (1981); Portimonense SC (1981/83); Porto (1984/87); Paris Saint-Germain (1987/89); novamente o Porto (1989/91), tendo ganho três Campeonatos em 1985, 1986 e 1990 e a Taça de Portugal de 1991; regresso ao PSG (1991/94), onde ganhou a Taça de França de 1993 e foi Campeão de França em 1994; SL e Benfica (1994/95); CD Tenerife (1997/98); o Vitesse Arnhem da Holanda (1998); de novo o PSG (1998/99); o Al-Nasr Riyad (1999/2000); o Al-Hilal Riyad (2000/02), com quem ganhou o Campeonato da Arábia Saudita de 2002; a Académica de Coimbra (2002/03); o CSKA de Moscovo (2003/04), conquistando a Super Taça da Rússia de 2004; e o US Créteil-Lusitanos (2006/07).
Treinou igualmente as Selecções da Suíça (1995/96), de Portugal (1996/97) e dos Camarões (2004/06). No ano em que estava a treinar o Benfica (1994/95) foi submetido a uma intervenção cirúrgica a um tumor na cabeça. Para além do futebol, dedica-se igualmente à poesia, tendo publicado o livro “Vértice da água”. 

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

12 DE FEVEREIRO - MARTINHO DA VILA

EFEMÉRIDEMartinho da Vila, de seu verdadeiro nome Martinho José Ferreira, cantor, compositor e músico brasileiro, nasceu em Duas Barras no dia 12 de Fevereiro de 1938.
Filho de lavradores da Fazenda do Cedro Grande, mudou-se para o Rio de Janeiro com apenas quatro anos de idade. Quando se tornou conhecido, voltou à sua terra natal para ser homenageado pela prefeitura e descobriu que a fazenda onde tinha nascido estava à venda. Não hesitou em comprá-la e hoje é o lugar a que ele chama «o meu off-Rio».
Criado na Serra dos Pretos-Forros, a sua primeira profissão foi auxiliar de químico industrial, função aprendida num curso intensivo. Mais tarde, enquanto esteve no exército como sargento, cursou a Escola de Instrução Especializada, tornando-se escrivão e contabilista, profissões que abandonou em 1970, quando se tornou definitivamente cantor profissional.
A sua carreira artística surgiu para o grande público no III Festival da Record, em 1967, quando concorreu com a música “Menina Moça”. O sucesso viria no ano seguinte, na quarta edição do mesmo festival, ao lançar a canção “Casa de Bamba”, um dos seus clássicos. O seu primeiro álbum, lançado em 1969, intitulado “Martinho da Vila”, já demonstrava a extensão de seu talento como compositor e músico. Tornou-se um dos mais reputados artistas brasileiros e um dos maiores vendedores de discos no Brasil, sendo o segundo sambista a ultrapassar a marca de um milhão de cópias, com o CD “Tá Delícia, Tá Gostoso”, editado em 1995.
Entre as honrarias que recebeu, salientam-se os títulos de Cidadão Carioca e Benemérito do Estado do Rio de Janeiro, a Comenda da República com o grau de Oficial, a Ordem de Mérito Cultural e a Medalha Tiradentes.
A sua dedicação à escola de samba Unidos de Vila Isabel, iniciou-se em 1965. A história desta escola confunde-se com a de Martinho da Vila, que tem assinado vários “sambas-enredo”.
Embora conhecido internacionalmente como sambista, com várias composições gravadas no estrangeiro, Martinho da Vila é um legítimo representante da Música Popular Brasileira (MPB) e um compositor eclético, tendo trabalhado com o folclore e criado músicas dos mais variados ritmos brasileiros, tais como ciranda, frevo, samba de roda, capoeira, bossa nova, calango, samba-enredo, toada, e também sambas africanos. Pesquisador incansável, viaja desde 1989, ano em que lançou o disco “O Canto das Lavadeiras”, baseado no folclore brasileiro, até ao mais recente trabalho, “Lusofonia”, lançado no início de 2000 e que reúne canções de todos os países de língua portuguesa.
Abriu um bar, chamado Butiquim do Martinho, no Shopping Iguatemi, no bairro de Vila Isabel, onde se podia ouvir música brasileira, acompanhada de cerveja e petiscos. Esteve aberto ao público durante nove anos. Martinho da Vila torce pelo Vasco da Gama e compôs duas músicas em homenagem ao clube do seu coração. Filiou-se no Partido Comunista do Brasil em 2005.
Em 2009, foi lançado o documentário “O Pequeno Burguês – Filosofia de Vida”, que conta um pouco da sua vida artística e particular. Além de cantor e compositor, Martinho da Vila é igualmente escritor, tendo já publicado nove livros – alguns romances, livros infantis e uma autobiografia, intitulada “Kizombas, andanças e festanças”.

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

11 DE FEVEREIRO - RICARDO

EFEMÉRIDERicardo Alexandre Martins Soares Pereira, jogador de futebol português, nasceu no Montijo em 11 de Fevereiro de 1976. Foi 79 vezes guarda-redes titular da Selecção Portuguesa.
Em 1994/95, iniciou a carreira no clube da sua terra, o Montijo, que se encontrava na II divisão B. Curiosamente, começou a jogar como ponta de lança, tendo mais tarde, nesse mesmo clube, ocupado a posição de guarda-redes. Foi depois transferido para o Boavista. Neste clube, ganhou o seu primeiro título, ao conquistar a Taça de Portugal (1996/97). Venceu seguidamente a Super Taça. Sempre muito acarinhado pelos adeptos, foi determinante na conquista do primeiro campeonato boavisteiro (em 2000/01) e na caminhada europeia que, em 2003, levou o Boavista às meias-finais da Taça UEFA.
Na época 2003/04, transferiu-se para o Sporting, sendo capitão de equipa entre 2005 e 2007. Foi finalista da Taça UEFA em 2004/05 e conquistou a Taça de Portugal em 2006/07.
Transferiu-se para o Betis de Sevilha (2007/10), mas foi pouco utilizado. Como consequência, mudou-se em 2010/11, no mercado de Inverno, para o Leicester da segunda divisão inglesa, onde alinhou somente em oito jogos.
Em Agosto de 2011, regressou a Portugal, assinando contrato com o Vitória de Setúbal. Desde 2012, defende as cores do Olhanense.
Ricardo ficou célebre por ter defendido uma grande penalidade, sem luvas, no desempate dos quartos de final do Euro 2004, realizado em Portugal, onde a equipa da casa defrontava a Inglaterra. Foi posteriormente o marcador da última grande penalidade, que qualificou a selecção portuguesa para as meias-finais da prova. Foi finalista destes Europeus, perdendo o título para a Grécia.
Nos Mundiais de 2006, defendeu três grandes penalidades, novamente contra a Inglaterra, colocando a Selecção Portuguesa entre as quatro melhores equipas do Mundo. Nestes Mundiais, foi o segundo guardião com mais defesas efectuadas, sendo apenas ultrapassado pelo italiano Gianluigi Buffon.
Com a saída do treinador Luiz Felipe Scolari e a chegada de Carlos Queiroz, Ricardo perdeu a titularidade na Selecção Portuguesa. Em 2008, anunciou o seu adeus definitivo à Selecção Nacional 

domingo, 10 de fevereiro de 2013

10 DE FEVEREIRO - RADAMEL FALCAO

EFEMÉRIDERadamel Falcao García Zárate, futebolista colombiano, nasceu em Santa Marta no dia 10 de Fevereiro de 1986. Joga actualmente no Atlético de Madrid. É casado com a cantora argentina Lorelei Tarón.
Começou a praticar a modalidade no Fair Play, uma escola de futebol colombiana, indo em seguida para o centro de formação dos Millonarios de Bogotá. Esteve durante 5 anos neste clube colombiano, rumando depois para o River Plate da Argentina, onde jogou nos sub-20 até aos dezanove anos. Antes de assinar como profissional em 2005, começou a estudar jornalismo na Universidade de Palermo em Buenos Aires. Os adeptos argentinos deram-lhe a alcunha de “El Tigre”, em virtude da sua rapidez, agilidade e habilidade. Falcao remata bem com os dois pés e com a cabeça, sendo um jogador muito completo.
Em Julho de 2009, assinou contrato pelo FC Porto por 5 épocas, mediante o pagamento de 5 milhões e meio de euros por 60% do passe. No dia 28 de Abril de 2011, marcou quatro golos (póquer) ao Villareal CF numa espantosa reviravolta do Porto na Liga Europa (5-1, após 0-1 ao intervalo), tornando-se o melhor marcador de sempre do Porto nas competições europeias.
Depois de muitas especulações, o Porto decidiu o futuro de Falcao, anunciando – em Agosto de 2011 – que aceitara a proposta de 40 milhões de euros do Atlético de Madrid. A contratação de Falcao foi feita pelo clube madrileno para colmatar a saída de Agüero, que se transferira para o Manchester City.
Na final da Liga Europa, em Maio de 2012, contra o Athletic Bilbao, marcou dois dos três golos da vitória por 3-0. Na época 2012/13, fez 3 golos na final da Super Taça da Europa contra o Chelsea, que o Atlético de Madrid venceu por 4 a 1. Em Dezembro de 2012, na Liga Espanhola, o Atlético de Madrid goleou o Deportivo La Coruña por 6 a 0, tendo Falcao marcado nada menos de 5 golos.
Tem chamado a atenção de vários clubes importantes como o Chelsea e o Paris Saint-Germain. Radamel Falcao conta já com mais de 40 internacionalizações pela Selecção da Colômbia

sábado, 9 de fevereiro de 2013

9 DE FEVEREIRO - MARCO CANEIRA

EFEMÉRIDEMarco António Simões Caneira, jogador de futebol português, nasceu em Sintra no dia 9 de Fevereiro de 1979. Foi formado no Sporting Clube de Portugal, mas saiu do clube em 1997, quando ainda era júnior.
Após representar o SC Lourinhanense (1997), o SC Salgueiros (1998), o SC Beira-Mar (1998/1999), o FC Alverca (1999/2000), todos por empréstimo, foi transferido para o Inter de Milão, em 2000. Foi de novo emprestado à Reggina Cálcio (2000/01),  ao SL e Benfica (2001/02) e ao Bordéus (2002/04). Devido ao seu bom desempenho neste clube francês, assinou um contrato por 4 anos. No entanto, em 2004/2005, foi emprestado ao Valência CF de Espanha, que o contratou na época seguinte. Na 2ª metade da época, foi de novo emprestado ao Sporting (2005/07).
No início da época 2007/08, foi chamado de volta ao plantel principal do Valência, conquistando a Taça de Espanha. Em Junho de 2008, assinou pelo Sporting, pela soma de três milhões e meio de euros. Em 2011, com a chegada de um novo treinador, foi dispensado, ingressando no Videoton FC da Hungria.
Foi seleccionado pela primeira vez para a equipa de Portugal em 2002, totalizando 25 internacionalizações. Do seu palmarés, fazem parte: a Taça de Portugal de 2007, a Super Taça de Portugal de 2008 e a Taça Carlsberg de 2009, todos estes troféus em representação do Sporting.

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

8 DE FEVEREIRO - JÚLIO DE CASTILHO

EFEMÉRIDE Júlio de Castilho, segundo visconde de Castilho, jornalista, poeta, escritor e político português, morreu em Lisboa no dia 8 de Fevereiro de 1919. Nascera, igualmente em Lisboa, em 30 de Abril de 1840. Distinguiu-se como “olisipógrafo”, publicando numerosas obras sobre a cidade de Lisboa e juntando uma importante colecção pessoal de documentos sobre o tema, hoje depositados na Biblioteca Nacional de Lisboa.
Filho do escritor António Feliciano de Castilho e irmão do militar e político Augusto de Castilho, concluiu o Curso Superior de Letras na Universidade de Coimbra, enveredando bastante cedo pela vida literária e pelo jornalismo, publicando poesias e diversas obras de carácter histórico e bio-bibliográfico.
Foi primeiro-oficial da Biblioteca Nacional de Lisboa, onde desenvolveu diversos trabalhos de investigação na área da bibliografia e da biografia. Foi também correspondente literário em Lisboa do “Diário Oficial do Rio de Janeiro”. As suas cartas eram publicadas aos domingos, tornando-se notáveis pela variedade e escolha dos assuntos científicos e literários, e pela elegância e elevação do seu estilo.
As suas actividades como jornalista levaram-no a fazer uma passagem pela política, sendo nomeado governador civil da Horta em Outubro de 1877. Exerceu estas funções até Fevereiro de 1878, sendo exonerado devido à mudança de partido no Governo em Lisboa. Posteriormente, ainda em 1878, foi nomeado para o mesmo cargo, no distrito de Ponta Delgada, mas não aceitou. Desempenhou as funções de professor do Infante D. Luís e representou Portugal em Zanzibar.
Foi sócio efectivo da Associação dos Arquitectos e Arqueólogos Portugueses e sócio correspondente da Academia das Ciências de Lisboa, do Instituto de Coimbra, do Gabinete Português de Leitura de Pernambuco, do Instituto Vasco da Gama de Nova Goa e da Associação Literária Internacional de Paris. Durante a sua passagem pelo Governo Civil da Horta, foi feito sócio honorário do Grémio Literário Faialense e do Grémio Literário Artista da Horta.

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

CALA-TE ! (Ulrich)

Cliquar para aumentar imagem, se necessário...

7 DE FEVEREIRO - RAMÓN MERCADER

EFEMÉRIDE – Jaime Ramón Mercader del Río Hernández, de nacionalidade espanhola, agente do NKVD da URSS na era de Estaline, autor do assassinato de Trotsky, nasceu em Barcelona no dia 7 de Fevereiro de 1913. Morreu em Havana, em 18 de Outubro de 1978.
Ainda jovem, abraçou o comunismo, apoiando várias organizações espanholas durante os anos 1930. Esteve preso durante algum tempo devido às suas actividades, mas foi libertado quando a Frente Popular ganhou as eleições em 1936 e assumiu o governo de Espanha. Por esta época, a mãe, uma aristocrata espanhola de origem cubana, que se separara do marido, tornou-se uma agente soviética. Ramón passava com ela longos períodos em França.
Pouco tempo antes da Guerra Civil Espanhola, Ramón viajou para Moscovo, a fim de receber treino para sabotagens, luta de guerrilhas e atentados. Foi-lhe dado o nome código “Gnome”. No princípio da Guerra Civil, ingressou nas forças republicanas espanholas, chegando ao posto de tenente e, mais tarde, ao de comissário de batalhão.  
Na Primavera de 1939, Estaline afirmou: «O trotskismo é agora um cúmplice do fascismo. Devemos desferir-lhe um golpe profundo, decapitando-o». Em Outubro, Mercader chegou ao México, onde Trotsky se encontrava exilado. Era detentor de um passaporte falso, que o identificava como “Jacques Mornard”, um homem de negócios canadiano.
No dia 24 de Maio de 1940, falhou um atentado a Trotsky, planeado por Mercader e outro agente do NKVD no México. Um segundo plano começou então a ser engendrado. Desta vez, “Jacques Mornard” conseguiu travar conhecimento e amizade com a secretária de Trotsky, a norte-americana Sylvia Agelof. Assim, conseguiu infiltrar-se facilmente na casa de Trotsky. Encontrou-se duas vezes com ele, sob o pretexto de desejar ser patrocinador das suas ideias. Na segunda vez, em 20 de Agosto, Mercader feriu-o mortalmente na cabeça com uma pequena picareta de alpinismo. Segundo alguns relatos, os seguranças iam matá-lo, mas Trotsky ainda conseguiu impedi-los, gritando «Não o matem! Este homem tem certamente uma história para contar.».
Mercader foi detido pelas autoridades mexicanas, a quem se recusou a revelar a real identidade. Foi condenado por assassinato e sentenciado a 20 anos de cadeia, a pena máxima na época. Só em Agosto de 1953, a sua verdadeira identidade foi descoberta, mas as suas conexões com o NKVD não foram conhecidas até à dissolução da União Soviética e à abertura dos arquivos das polícias secretas.
Mercader, durante o julgamento, descreveu como tinha agido: «Coloquei o meu casaco sobre uma mesa, de forma que fosse fácil puxar a picareta que estava num dos bolsos. No momento em que Trotsky começou a ler um artigo meu, decidi que era a “hora”. Retirei a picareta do bolso e, com os olhos fechados, dei-lhe um forte golpe na cabeça. Trotsky deu um grito que eu jamais esquecerei. Um longo “aaaahhhh”, que ainda hoje ecoa no meu cérebro. Ainda se agarrou a mim e mordeu a minha mão. Podem ver-se aqui as marcas dos seus dentes. Eu empurrei-o e ele caiu no chão.».
Mesmo sendo torturado pela polícia mexicana, Mercader nunca revelou a sua identidade nem as suas ligações com o NKVD. Após cumprir a pena, em 1960, foi libertado do presídio Lecumberri, na Cidade do México, e fixou-se em Havana. Em 1961, viajou para a URSS, onde foi condecorado com a Medalha de Herói da União Soviética. Passou a dividir-se a partir daí e até ao fim dos seus dias, entre Cuba e a URSS. Veio a falecer na capital cubana em 1978, sendo sepultado em Moscovo sob o nome de Ramón Ivanovitch López.

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...