domingo, 31 de março de 2013

31 DE MARÇO - TERRI SCHIAVO

EFEMÉRIDETerri Schiavo, de seu verdadeiro nome Theresa Marie Schindler Schiavo, mulher americana que esteve no centro do “movimento do direito a morrer” nos Estados Unidos, tornando-se um ícone da eutanásia no início do século XXI, morreu em Pinellas Park no dia 31 de Março de 2005. Nascera em Filadélfia, em 3 de Dezembro de 1963.
Terri sofreu, aos 27 anos, em Fevereiro de 1990, um ataque cardíaco que teve como consequência a falta de oxigenação do cérebro e uma severa lesão cerebral irreversível. O ataque cardíaco, por sua vez, fora decorrente de anos de bulimia.
O seu marido, Michael Schiavo, declarou em 1998 que ela não queria estar ligada à vida unicamente através de um tubo de alimentação e fez o pedido legal para que Terri deixasse de ser alimentada. O Congresso dos Estados Unidos aprovou uma lei que permitiu aos pais de Terri Schiavo a apresentação do caso no Tribunal Federal. Após um longo processo no Tribunal de Atlanta e na Corte Suprema Americana, os pais desistiram de a manter artificialmente viva, como era seu desejo – apesar da opinião contrária dos médicos. Segundo estes, ela vivia desde 1991 num estado vegetativo permanente, se bem que por vezes fizesse certos movimentos de cabeça e algumas expressões faciais.
No dia 18 de Março de 2005, o tubo foi removido após longos testes que comprovaram não somente a ausência de consciência, mas também uma grave atrofia cerebral. Terri Schiavo morreria duas semanas depois.

sábado, 30 de março de 2013

JOE DASSIN - "ET SI TU N'EXISTAIS PAS"


30 DE MARÇO - RODERICK

EFEMÉRIDERoderick Jefferson Gonçalves Miranda, futebolista português, nasceu em Odivelas no dia 30 de Março de 1991. Joga actualmente no SL e Benfica.
Começou a praticar futebol no Odivelas FC, onde alinhava como avançado, sendo depois formado no Benfica. É defesa central, embora inicialmente tenha actuado como trinco, o que faz do internacional português de Sub-20 um jogador tecnicamente evoluído para a posição que ocupa.
Em 2009, apesar de ainda ser júnior, assinou o seu primeiro contrato profissional com o clube da Luz por cinco épocas. Estreou-se na equipa principal sob o comando de Jorge Jesus, acompanhando a equipa do Benfica na pré-época 2009/10. Recentemente, renovou o contrato e ficou vinculado ao Benfica até 2017, com uma cláusula de rescisão de 30 milhões de euros. Isto, depois dos “olheiros” de alguns dos clubes mais importantes da Europa o terem colocado na mira das contratações.
Na época de 2011/2012, foi emprestado ao clube suíço Servette FC, pois se permanecesse no Benfica iria ter poucos minutos de utilização. Em 2012/2013, foi de novo emprestado, então ao Deportivo de La Coruña. No primeiro dia de 2013, regressou do empréstimo ao clube espanhol e passou a integrar o elenco do Benfica.
Já conquistou os seguintes títulos: Taças da Liga (2009/10 e 2010/11) e Campeonato Português de 2009/10. Em representação de Portugal, foi finalista nos Mundiais de Sub-20 em 2011. 

sexta-feira, 29 de março de 2013

"AS PORTAS QUE ABRIL ABRIU" (Ary dos Santos)

29 DE MARÇO - SÉRGIO DE AZEVEDO

EFEMÉRIDESérgio da Silva Freire de Azevedo, empresário e produtor de teatro português, nasceu em Lisboa no dia 29 de Março de 1936. Morreu em Lisboa, em 5 de Março de 2006, vítima de cancro. Os seus projectos inovadores e dinâmicos levaram a crítica especializada a considerarem-no como o grande responsável pela renovação do teatro de Revista. Foi um dos maiores empresários teatrais de sempre em Portugal.
Em 1961, viajou para o Brasil, onde produziu e apresentou, durante dezoito meses, o programa “Canções de Tony Silva”. Regressou a Lisboa sete anos depois e decidiu entrar no teatro como empresário. Em 1971, começou a dirigir o Teatro ABC, então uma das principais salas de espectáculo do Parque Mayer.
Entre 1971 e 2005, produziu 32 espectáculos de vários géneros. Destacam-se “Põe-te na Bicha”, “Oh da Guarda”, “P'ra Trás Mija a Burra” e o musical “Annie”, que foi considerado nos EUA como a melhor produção mundial realizada no estrangeiro. Este espectáculo, que foi apresentado em 46 países, foi premiado com dez Tony Awards.
É o Fim da Macacada” foi um marco importantíssimo na renovação da revista à portuguesa que, em 1972, foi premiado como O Espectáculo do Ano pela Casa da Imprensa. “Tudo a Nu” foi considerado pela crítica o melhor espectáculo de revista dos anos de 1973/74.
Uma no Cravo outra na Ditadura” foi a revista que, entre os anos 1970 e 1990, apresentou o melhor elenco de cabeças de cartaz (Ivone Silva, Aida Baptista, Tonicha, Nicolau Breyner, José Morais e Castro, Fernando Tordo), assim como um grupo de conceituados autores (José Carlos Ary dos Santos, Bernardo Santareno, César de Oliveira, Rogério Bracinha, Thilo Krasmann e Nuno Nazareth Fernandes). “Põe-te na Bicha” foi um dos maiores sucessos financeiros da revista à portuguesa, com 900 mil espectadores. De realçar igualmente algumas peças de géneros Infantil, Vanguarda, Comédia e Farsa. Ressuscitou também a Opereta em Portugal, com a produção de “A Invasão”, levada à cena no Teatro da Trindade.
Em 1974, após a saída do Parque Mayer, idealizou e concretizou, no Campo Grande, o café concerto Frou-Frou, mais tarde considerado como a melhor sala nocturna da Península Ibérica. “Crazy Horse”, apresentado nesta sala, foi o melhor espectáculo de nu artístico apresentado em Portugal. Integraram-no bailarinas de dez nacionalidades.
Dzi Croquetes” foi o primeiro grupo de travestis apresentado em Portugal, após a abolição da censura. Um grandioso espectáculo composto por treze brasileiros, dos quais fazia parte Ney Matogrosso. Posteriormente, o grupo obteve um assinalável êxito em Paris.
Em 2003, publicou o primeiro volume do livro “Histórias de Teatro e Outras Paralelas”, o relato de uma parte da sua vida ligada ao teatro. Completou o segundo volume (ainda por editar), pouco antes de falecer.
Em 2005, produziu uma última peça, convidando dois amigos – Nicolau Breyner e Jô Soares – para interpretar e encenar, respectivamente, o monólogo satírico “Esta Noite Choveu Prata” de Pedro Bloch. A peça percorreu o país, sendo apresentada em 40 localidades.

quinta-feira, 28 de março de 2013

28 DE MARÇO - JIM THORPE

EFEMÉRIDE – Jacobus Franciscus “JimThorpe, um dos melhores atletas norte-americanos de todos os tempos, morreu em Lomita, na Califórnia, no dia 28 de Março de 1953. Nascera em Prague, território indígena situado no actual estado de Oklahoma, em 28 de Maio de 1888. O seu nome no dialecto materno era Wa-Tho-Huk (Caminho Iluminado), devido ao facto de, no momento do seu nascimento, um raio de sol ter iluminado o lugar em que ele se encontrava. O pai era descendente de uma índia e de um irlandês e a mãe de uma índia e de um francês.
Foi um dos atletas mais versáteis do século XX, tendo praticado atletismo, basquetebol, andebol, hóquei, arco e flecha, tiro, natação, canoagem, ténis, squash, hipismo, futebol americano e basebol.
Começou por estudar numa escola indígena. As mortes, primeiro do irmão gémeo e depois da mãe, deixaram-no em estado depressivo. Depois de inúmeros desentendimentos com o pai, abandonou o local onde morava e começou a trabalhar num rancho.
Em 1904, voltou a residir com o pai e retomou os estudos numa escola em Carlisle, no estado da Pensilvânia, onde começou também a praticar futebol americano. Nesse mesmo ano, devido à morte do pai, abandonou a escola e foi trabalhar numa granja.
De 1909 a 1910, recebeu cerca de 25 dólares semanais para disputar partidas de basebol como semiprofissional. Em 1911, passou a disputar campeonatos de futebol americano, onde conseguiu grande projecção ao vencer o Campeonato Nacional Colegial. Em 1912, ganhou também um Campeonato Universitário de Danças de Salão.
Foi Campeão Olímpico do Pentatlo e do Decatlo nos Jogos de Estocolmo em 1912, tendo sido recebido com grandes festejos no regresso à América. Desfilou num carro aberto pela Broadway. Entretanto, em virtude de ter recebido dinheiro para disputar jogos de basebol, foi considerado atleta profissional, algo proibido pelos regulamentos olímpicos, decisão que culminou com a perda das suas medalhas. Na sequência disto, Thorpe acabou por assinar um contrato de cinco mil dólares para se tornar a maior estrela do New York Giants.
Entre os anos de 1915 e 1920, consagrou-se como um dos melhores atletas do futebol americano, actuando pelo Canton Bulldogs, com o qual se sagrou Campeão Mundial em 1916, 1917 e 1919. Em 1920, quando ainda defendia as cores do Bulldogs, foi eleito como primeiro presidente da Associação de Profissionais de Futebol Americano dos EUA. Até 1928, defendeu vários clubes, decidindo-se finalmente pela reforma, quando actuava pelo Chicago Cardinals.
Chegou a protagonizar vários filmes e, em 1950, foi escolhido como O Maior Atleta da Primeira Metade do Século, pela Associated Press.
Em 1982, o Comité Olímpico Internacional reconsiderou a medida anterior e reabilitou-o como Campeão Olímpico. No início do ano seguinte, as medalhas foram devolvidas aos seus filhos.
Para confirmar a grande importância de Thorpe para o desporto, a sua vida foi adaptada ao cinema, em 1951, num filme da Warner Bros Pictures (“Jim Thorpe: All-American”). O actor escolhido para o interpretar foi Burt Lancaster, um dos nomes mais famosos da época. Existe uma localidade denominada Jim Thorpe, no estado da Pensilvânia, em sua homenagem.

quarta-feira, 27 de março de 2013

27 DE MARÇO - RUI JORGE

EFEMÉRIDERui Jorge de Sousa Dias Macedo de Oliveira, ex-futebolista português e actual treinador da Selecção de Sub-21 de Portugal, nasceu em Vila Nova de Gaia no dia 27 de Março de 1973.
Começou a praticar a modalidade aos nove anos, no FC do Porto, onde ficou até à época 1990/91. Foi depois emprestado ao Rio Ave FC (1991/92), voltando para o Porto no ano seguinte. Jogou pela equipa portista até ao final da temporada 1997/98. Foi contratado seguidamente pelo Sporting CP, tendo representado o clube leonino durante sete anos (até 2005). Terminou a sua carreira no CF Belenenses, na época 2005/2006.
Foi 44 vezes internacional pela Selecção Portuguesa, tendo participado na final do Euro 2000, no Mundial de 2002 e no Euro 2004. Pela Selecção de Sub-21, foi 17 vezes internacional, entre Janeiro de 1992 e Março de 1996. Também representou Portugal nos Jogos Olímpicos de Atlanta (1996).
Enveredou pela carreira de treinador à frente da equipa de Juniores A do Belenenses (2006/10). Em Maio de 2009, passou a ser treinador principal do Belenenses, cargo que ocupou até ao final da época. A partir de Novembro de 2010, foi escolhido para treinador da Selecção Portuguesa de Sub-21, onde ainda se mantém.
Do seu notável palmarés, como jogador, fazem parte: os títulos de Campeão de Portugal nas épocas 1992/93, 1994/95, 1995/96, 1996/97, 1997/98, 1999/2000 e 2001/02; as Super Taças Cândido de Oliveira de 1990/91, 1992/93, 1993/94, 1995/96, 1997/98, 1999/2000 e 2001/02; e as Taças de Portugal de 1990/91, 1993/94, 1997/98 e 2001/02.

terça-feira, 26 de março de 2013

26 DE MARÇO - JULIANA PAES

EFEMÉRIDEJuliana Couto Paes, actriz e modelo brasileira, nasceu em Rio Bonito, Estado do Rio de Janeiro, no dia 26 de Março de 1979. Diplomada em publicidade, ficou conhecida pelas suas actuações em telenovelas da Rede Globo e pela sua beleza e sensualidade. Foi capa da revista “Playboy” em Maio de 2004.
Em 2006, foi eleita como uma das 100 Personalidades mais Sensuais do Mundo, segundo a revista norte-americana “People”. Também em 2006 e 2007, foi eleita pelos leitores da revista masculina “VIP”, a Mulher mais Sexy do Mundo, distinção que se viria a repetir em 2012.
Tem entrado em várias prestigiosas campanhas publicitárias, tendo sido considerada, em 2009, uma das 100 Brasileiras mais Influentes do Ano pela revista “Época”.
Em Setembro de 2010, estreou o programa “Por um fio”, no canal GNT. Após o nascimento do seu primeiro filho, voltou à televisão, em Setembro de 2011, para uma participação no remake da telenovela “O Astro”. Em 2012, protagonizou um episódio da série “As Brasileiras” de Daniel Filho. Interpretou depois o papel de Gabriela, no remake da telenovela com o mesmo nome. Ao todo, entrou até agora em cerca de 20 séries, telenovelas e programas televisivos; 6 filmes; e uma peça de teatro.
Com ascendência árabe, negra e indígena, casou-se em Setembro de 2008 com o empresário Carlos Eduardo Baptista, tendo sido considerada a Noiva do Ano. No final de 2012, anunciou estar grávida do segundo filho. 

segunda-feira, 25 de março de 2013

25 DE MARÇO - EMANUEL

EFEMÉRIDEEmanuel, de seu verdadeiro nome Américo Pinto da Silva Monteiro, cantor português, nasceu em Covas do Douro no dia 25 de Março de 1957.
Aos dez anos, deixou a sua terra natal vindo para Lisboa onde, em 1973, aprendeu a tocar guitarra clássica. Mais tarde, seria professor deste instrumento. É um dos mais populares cantores da chamada música pimba, sendo aliás o autor do hitPimba Pimba” (1995), a partir do qual o termo passou a ser utilizado para rotular um género específico da música popular portuguesa.
Começou por lançar discos com o seu nome verdadeiro, Américo Monteiro, como o singleJuro Que Te Amo” em 1984. Dois anos depois, abriu o seu próprio estúdio de gravação, colaborando com a também cantora Cândida Branca Flor.
Adoptou depois o nome artístico porque ficaria conhecido. Os seus maiores êxitos começaram a surgir na década de 1990, com “Rapaziada Vamos Dançar” e “Pimba Pimba”. Em 2001, lançou o álbum “Saudades de Ti (saudades)” e compôs quatro canções para a telenovela “Anjo Selvagem”, incluindo o tema do genérico interpretado pelo grupo Máxi. No ano seguinte, foi lançado o álbum “Vem Ser Feliz Comigo”.
Juntamente com Tó Maria Vinhas, escreveu a canção com que Sabrina participou no Festival da Eurovisão em 2007. Em 2008, foi editado o disco “Meu Coração Faz Bum Bum” e, em 2010, foi lançado “Esperança”.
Em 2011, novo álbum com grande êxito, “Ritmo do Amor”, em que surgiu um tema com o estilo musical kuduro, uma dança de origem angolana mas que tem grande sucesso em Portugal. Emanuel tem dado inúmeros concertos em diversas localidades portuguesas, em França, na Suíça e na Alemanha.

domingo, 24 de março de 2013

24 DE MARÇO - CARLOS CRUZ

EFEMÉRIDECarlos Pereira Cruz, radialista e apresentador de televisão português, nasceu em Torres Novas no dia 24 de Março de 1942. Também exerceu as funções de director de informação, director de programas e director coordenador da RTP1.
Aos 4 anos de idade, foi para Angola com a família, ali ficando até aos dezassete. Começou a fazer rádio aos 14 anos. Foi relator desportivo e produtor de programas desportivos na Emissora Católica e no Rádio Clube de Angola. Em 1960, já em Lisboa, ingressou na Emissora Nacional e, em 1962, entrou para a televisão. Iniciou-se no “TV Motor”, passando logo a seguir para o “Tele Desporto”. Em 1966, apresentou na RTP, nas tardes de sábado, ao mesmo tempo que cumpria o serviço militar como oficial miliciano, o programa sobre actualidades musicais “Discorama”.
Em 1968, apresentou o programa PBX, transmitido pela Rádio Renascença. No ano seguinte, integrou um dos mais inovadores programas da televisão portuguesa, o “Zip-Zip”, juntamente com Raul Solnado e Fialho Gouveia. Na rádio, teve igualmente o programa “Tempo Zip” e, na Rádio Renascença, seria o fundador do Serviço de Noticiários em 1973.
Como director de programas da RTP1, negociou a compra para Portugal da telenovela “Gabriela, Cravo e Canela”, a primeira adaptação do romance homónimo de Jorge Amado.
Foi conselheiro de imprensa da missão portuguesa junto da Organização das Nações Unidas, entre 1975 e 1979.
Na década de 1980, de novo com Raul Solnado e Fialho Gouveia, apresentou o programa “E o Resto São Cantigas”. Na rádio, foi o apresentador do programa “Pão Com Manteiga”, dirigindo em 1982 a revista “Mais”. Apresentou ainda o programa “Duplex” na Rádio Comercial. Em 1984, foi o apresentador e grande responsável por trazer de Espanha o concurso “1, 2, 3 que foi um grande sucesso. Apareceu também no filme “Vidas” de António da Cunha Telles. Apresentou, em 1986, um formado inovador na RTP2, a “Quinta do Dois”, cujo cenário adoptava o ambiente da rádio. Neste programa, foi criado o personagem Zé da Viúva, desempenhado pelo actor Carlos Cunha. Outros dos intervenientes eram Cândido Mota e os Parodiantes de Lisboa. Produziu também o musical “Enfim Sós”, onde despontaram nomes como as cantoras Dulce Pontes e Dora.
Em 1990, fundou a CCA – Carlos Cruz Audiovisual, Lda., entre outras empresas, responsáveis pela produção de onze programas semanais para a RTP1, entre os quais: “A Roda da Sorte”, “O Preço Certo”, “Isto… só Vídeo” e “Marina, Marina”. Ficaria, desde então, conhecido como o Senhor Televisão. Apresentou ainda “Carlos Cruz Quarta-Feira” e “Zona+”.
Foi director de antena da TVI, em 1996. De 1999 a 2000, apresentou “Quem Quer Ser Milionário”, na RTP1. Em Junho de 2000, recebeu das mãos de Jorge Sampaio, o grau de Grande-Oficial da Ordem do Infante D. Henrique.
Mudou-se depois para a SIC, onde apresentou programas como “A Febre do Dinheiro”, “Noites Marcianas”, “A Linha da Sorte” e “Fora de Série”. Terminou a sua carreira na SIC com “Escândalos e Boatos”, só apresentando o primeiro dos programas, antes de rebentar o denominado Processo Casa Pia.
Foi ainda o rosto da campanha institucional para a introdução do Euro em Portugal e presidente da Comissão Executiva da Candidatura Portuguesa ao Campeonato Europeu de Futebol de 2004.
A sua vida profissional foi interrompida em 2003, após a acusação de ter desenvolvido actividades pedófilas, vendo-se envolvido no caso de abuso sexual contra alunos da Casa Pia de Lisboa. Em Fevereiro de 2003, foi detido no âmbito desse mesmo processo. Esteve preso até Maio de 2004, passando depois à situação de prisão domiciliária.
Na fase de julgamento, o Ministério Público acusou-o de quatro crimes. Em Setembro de 2010, foi considerado culpado de três crimes de abuso sexual de menores por um tribunal de primeira instância, tendo sido condenado a sete anos de prisão efectiva. Carlos Cruz declarou-se sempre inocente e diz «ter sido vítima de uma monstruosidade jurídica». Depois de vários recursos, aguarda-se a qualquer momento a sua detenção para cumprimento da pena. Escreveu entretanto, em 2004, um livro com a sua versão dos factos e a sua defesa: “Preso 374.  

sábado, 23 de março de 2013

23 DE MARÇO - JUAN GRIS

EFEMÉRIDEJuan Gris, de seu verdadeiro nome Juan José Victoriano Carmelo Carlos González-Pérez, famoso pintor cubista espanhol, nasceu em Madrid no dia 23 de Março de 1887. Morreu em Boulogne-Billancourt, em 11 de Maio de 1927. Apesar de ter falecido aos 40 anos de idade, representa o expoente máximo do cubismo sintético.
Iniciou a sua formação artística, ingressando na Escuela de Artes y Manufacturas, onde estudou desenho industrial. Tornou-se depois, em 1904 e 1905, aluno do pintor José Carbonero, começando também a ilustrar algumas revistas e jornais modernistas.
Em 1906, mudou-se para Paris, centro mundial das artes. Fez desenhos humorísticos para jornais como “L'assiette au beurre”, “Le Charivari” e “Le Cri de Paris”. A partir de 1910, dedicou-se seriamente à pintura e, desde 1912, desenvolveu um estilo cubista muito pessoal. O seu melhor período situou-se entre 1914 e 1918. Ao princípio, era influenciado pelo cubismo analítico mas, em 1915, começou a sua conversão ao cubismo sintético do qual se tornou um grande intérprete.
Conheceu artistas como Apollinaire, Matisse, Max Jacob, Fernand Léger e Picasso, que foi quem mais o marcou e influenciou. Através deste último, veio a conhecer também Georges Braque.
O seu retrato de Picasso, feito em 1912, foi uma das primeiras pinturas cubistas realizadas por um pintor sem ser Picasso nem Braque. Foi neste mesmo ano que Juan Gris passou a integrar o movimento cubista, tornando-se conhecido em todo o mundo.
Fez a sua primeira exposição individual na Galeria Sagot, continuando depois a expor nas melhores galerias de arte francesas e alemãs até ao fim da vida. Em 1922, desenhou e pintou os primeiros cenários e guarda-roupa para o coreógrafo dos Ballets Russos, Sergei Diaghilev

sexta-feira, 22 de março de 2013

22 DE MARÇO - WILLIAM HANNA

EFEMÉRIDEWilliam Denby Hanna, cartoonista, autor de desenhos animados, actor, cenarista, realizador e produtor norte-americano de origem libanesa, morreu em North Hollywood, no dia 22 de Março de 2001. Nascera em Melrose, em 14 de Julho de 1910.
Alguns dos mais divertidos personagens que divertiram a infância de várias gerações, como Tom & Jerry, Os Flinstones, Zé Colmeia e Scooby-Doo, foram obra da imaginação de William Hanna, que formaria mais tarde – com Joseph Barbera – uma das empresas pioneiras de desenhos animados (Hanna-Barbera).
Estudou jornalismo e engenharia mas, durante o período da grande depressão, foi trabalhar no departamento de desenho dos estúdios Harman-Ising. Em meados da década de 1930, assumiu a direcção da unidade de animação da Metro-Goldwyn-Mayer, onde conheceu Joseph Barbera. Juntos, criaram a série Tom e Jerry, um dos mais populares desenhos animados de todos os tempos, e iniciaram uma parceria que aliava a grande habilidade de Barbera no desenho com a facilidade para o humor de Hanna. Os dois fizeram história na Metro, ao criarem também cenas que misturavam desenhos animados e actores de carne e osso, nos clássicos “Anchors Aweigh” (1945) e “Invitation to dance” (1956).
Quando a MGM fechou o seu estúdio de animação, na década de 1950, William Hanna convenceu Barbera a produzir para a televisão, criando uma forma mais simples e económica de fazer animações adaptadas ao pequeno ecrã. Em 1957, foi criada a empresa Hanna-Barbera e, no mesmo ano, foi lançado o desenho Jambo e Ruivão, o primeiro de uma longa série que marcou a história da televisão em todo o mundo. Entre os seus desenhos de maior sucesso, incluem-se igualmente Os Jetsons, A turma do Manda-Chuva, Dom Pixote, Ricochete e Blau-Blau e Pepe Legal. A dupla ganhou sete Prémios Emmy de televisão. William Hanna morreu aos 90 anos, durante o sono. 

quinta-feira, 21 de março de 2013

BEM APANHADOS

video


21 DE MARÇO - FRADIQUE DE MENEZES

EFEMÉRIDEFradique Bandeira Melo de Menezes, político são-tomense, nasceu em Água Têlha, Mé-Zóchi, na ilha de São Tomé, em 21 de Março de 1942.
Estudou em Portugal, licenciando-se posteriormente em Educação e Psicologia na Universidade Livre de Bruxelas.
Depois da independência de São Tomé, foi um homem de negócios e, mais tarde, ministro dos Negócios Estrangeiros (1980/1987).
Foi presidente de seu país desde Setembro de 2001 até Setembro de 2011, eleito por duas vezes em eleições multipartidárias.
Em 16 de Julho de 2003, enquanto fazia uma visita oficial à Nigéria, um golpe de estado tentou derrubá-lo, mas Fradique recuperou o poder uma semana depois.
Nas eleições de 2011, foi substituído por Manuel Pinto da Costa, igualmente do seu partido.

quarta-feira, 20 de março de 2013

20 DE MARÇO - PEDRO LAMY

EFEMÉRIDE – José Pedro Lamy Mourão Viçoso, piloto automobilista português, nasceu em Aldeia Galega, Alenquer, no dia 20 de Março de 1972. Foi o primeiro português a pontuar num Campeonato Mundial de Formula 1 (Grande Prémio da Austrália em 1995).
Em 1994, Lamy sofreu dois acidentes. Em Imola, na largada do GP San Marino, não viu o carro parado de J.J. Lehto e o seu Lotus bateu na roda traseira do Benetton-Ford do finlandês. Os destroços dos dois carros atingiram alguns espectadores e um polícia que estava na bancada do circuito. Em Silverstone, durante testes com um Lotus, fracturou as duas pernas e ficou inactivo o resto da temporada. Depois de intensas sessões de fisioterapia, assinou um contrato com a Minardi (1995/1996), substituindo o experiente italiano Pierluigi Martini.
Do seu palmarés, fazem parte: os títulos de Campeão Nacional de Karting (1988) e de Campeão Nacional de Formula Ford (1989); vencedor da Taça das Nações em Formula Opel (1990); Campeão Nacional de Formula Opel (1991); Campeão Europeu de Formula Opel (1991); Campeão Alemão de Fórmula 3 (1992); vencedor do Marlboro Masters Fórmula 3 (1992); vencedor do Challenger Mundial de Fórmula 3 em Zandvoort (1992); vencedor do Grande Prémio de Pau em Fórmula 3000 (1993); disputou 32 GP de Fórmula 1 (1993/96); 5º classificado nas 24 Horas de Le Mans (1997); 2º classificado em GT2 nas 24 Horas de Le Mans (1998); Campeão Mundial de GT2 (1998); vencedor das 24 Horas de Nurburgring (2001/2002/2004/2005 e 2007); vencedor do Campeonato Alemão V8 Star (2003); vencedor do Campeonato LMS na categoria GTS (2004); vencedor do Campeonato Le Mans Endurance Series categoria GT1 (2006); 1º classificado em Valência na categoria LMP1 no Endurance Series (2007); vencedor do Campeonato Le Mans Series LMP1 (2007); vencedor das 24 Horas de Le Mans na categoria de profissionais e amadores (2012); vencedor das 6 Horas de Xangai na categoria LM GTE AM (2012); e vencedor do Campeonato Mundial de Resistência, pela equipa Larbre Competition, na categoria LM GTE AM (2012). 

terça-feira, 19 de março de 2013

19 DE MARÇO - ANTÓNIO CHAMPALIMAUD

EFEMÉRIDE - António de Sommer Champalimaud, empresário português, nasceu em Lisboa no dia 19 de Março de 1918. Morreu, igualmente em Lisboa, em 8 de Maio de 2004. Figura polémica e incontornável na história económica do século XX português, citado muitas vezes como o homem mais rico do país, apareceu na lista dos multimilionários da revista americana “Forbes” em 2004, ocupando a 153ª posição. Construiu o seu império empresarial durante a ditadura do Estado Novo, com a protecção de Salazar. Estendeu os seus negócios a Angola, a Moçambique e ao Brasil.
Fez os seus estudos no colégio jesuíta A Guarda, na Galiza, e ingressou na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, onde chegou a frequentar o Curso de Ciências Físico-Químicas. A morte do pai, em 1937, ditou a sua entrada no mundo dos negócios. Prevendo-se a falência da Companhia Geral de Construções, a empresa do pai que estava tecnicamente falida e que toda a família desejava vender, António Champalimaud assumiu as rédeas do negócio. Era o filho mais velho de quatro irmãos e queria reerguer o legado do progenitor. Contou com a ajuda de Ricardo Espírito Santo e Silva e conseguiu um crédito de confiança para a dívida.
Decisivo para o despontar de António Champalimaud como homem de negócios, foi também o seu casamento, em 1941, com Maria Cristina de Mello, herdeira de uma das maiores fortunas de Portugal, filha do presidente da CUF, Manuel de Mello,  e neta de Alfredo da Silva, o seu fundador.
Aos 24 anos, tomou posse da administração da Empresa de Cimentos de Leiria, propriedade do tio Henrique de Sommer, que viria a falecer em 1944 e lhe deixaria grande parte dos seus bens. Dinamizou a exportação de vinho do Douro e lançou os primeiros projectos de urbanização na Quinta da Marinha, em Cascais, segundo os planos encomendados na década de 1920 pelo seu pai. Os materiais de construção, o imobiliário e a exportação de vinhos eram então os seus três “negócios chave”.
Socorreu-se de empréstimos da Casa Bancária José Henriques Totta, gerida pelo sogro, para adquirir, com a ajuda de Salazar, a firma Cimentos Tejo (detentora, na altura, do maior forno de cimento do mundo, que começou a funcionar em 1960) e a Companhia de Carvões e Cimentos do Cabo Mondego. Em Angola, fundou a Companhia de Cimentos de Angola e mandou construir a Fábrica do Lobito em 1952, ano em que se juntou ao Grupo CUF. De seguida, em Moçambique, comprou a Fábrica de Cimentos Portland sediada na Matola e, novamente em Angola, fundou a Fábrica de Nova Maceira, no Dondo, em 1951, bem como a Fábrica de Nacala, em 1963.
Em 1954, numa estratégia de continuação do negócio de ferro iniciado pela família Sommer no século XIX, fundou a Siderurgia Nacional. Em 1955, Salazar publicou um alvará em que atribuiu à empresa o exclusivo da exploração, por dez anos, de vários minérios de ferro e aço – um verdadeiro “monopólio legal”. Começou a investir também na indústria da celulose, com a Companhia de Papel do Prado e da Abelheira. Das participações que acumulou, constaram ainda a Companhia Industrial Portugal e Colónias, a Fábrica de Cerveja Portugália e o Hotel Penta.
Entretanto, ia expandindo os seus negócios para outras áreas. As suas empresas eram as maiores clientes dos bancos e seguradoras Espírito Santo. Tentou comprar este grupo, mas a resposta negativa de Manuel Espírito Santo e Silva obrigou-o a virar-se para o norte do País, onde descobriu uma pequena seguradora, a Confiança. A descoberta tem um pequeno pormenor por trás: o proprietário desta empresa era também dono do Banco Pinto & Sotto Mayor (BPSM). Assim, em 1960, tornou-se o maior accionista do BPSM, adquiriu a companhia de seguros Confiança e participou na Mundial e Continental Seguros. Posteriormente, fundaria as companhias Mundial e Confiança de Moçambique. Em África, o grupo de Champalimaud encontrou um vasto mercado de expansão, o que fez com que o BPSM se transformasse rapidamente no maior banco privado de Angola e Moçambique.
Em 1969, na sequência da contestação feita pelos irmãos de Champalimaud no “Caso da Herança Sommer”, partiu para o México, para evitar uma ordem de captura. Em 1973, no entanto, os tribunais ilibaram Champalimaud, que voltou então a Portugal. Não ficou por muito tempo, porque a Revolução dos Cravos o obrigou a deixar de novo o país, antes das estatizações de Vasco Gonçalves lhe apanharem  um património que, naquela época, constituía a 7ª maior fortuna europeia. Em Março de 1975, viu nacionalizada a banca e os seguros, em Abril a siderurgia e em Maio as cimenteiras e as celuloses. Champalimaud conseguiu ainda comprar as acções da Soeicom, que pertenciam à Empresa de Cimentos de Leiria e, depois de passar por França, fixou-se no Brasil. Ali conseguiu reerguer o seu património, através de actividades agrícolas, da criação de gado e da produção de cimento, refundando em 1976 a SoeicomSociedade de Empreendimentos Industriais, Comércio e Mineração.
Regressado a Portugal em 1992, readquiriu 51% da Mundial Confiança, comprou o Banco Pinto & Sotto Mayor e assumiu o controlo dos bancos Totta & Açores e Crédito Predial Português, aproveitando o processo de privatização das empresas públicas encetado pelo Governo de Cavaco Silva. Ao conjunto das suas participações, juntou ainda o banco de investimentos Chemical Service. Voltou a ser considerado o homem mais rico de Portugal e era dono do segundo maior grupo financeiro português - uma seguradora e quatro bancos. Tudo no lapso de dois anos e com a ajuda de polémicas decisões ministeriais, que lhe evitaram dispendiosas ofertas públicas de aquisição. Com a ajuda de Cavaco Silva, comprou o que quis para depois vender aos espanhóis e realizar mais-valias. Depois da venda do seu património financeiro, Champalimaud regressou ao Brasil, onde ainda possuía fazendas vocacionadas para a agricultura e para a pecuária, deixando de ter negócios em Portugal.
Faleceu aos 86 anos, na sua residência em Lisboa, vítima de cancro. A doença impedira-o de receber a Ordem da Liberdade, atribuída em Abril de 2004 por Jorge Sampaio. No seu testamento, legou 500 milhões de euros para a criação de uma fundação em Portugal, destinada à investigação na área da biomédica. A “Fundação D. Anna de Sommer Champalimaud e Dr. Carlos Montez Champalimaud”, designação por ele escolhida em homenagem aos pais, foi formalmente criada e tem sido, desde então, presidida por Leonor Beleza, de acordo com as suas instruções.

segunda-feira, 18 de março de 2013

18 DE MARÇO - TERESA MADRUGA

EFEMÉRIDE Teresa Maria Madruga Carvalho, actriz portuguesa, nasceu na Ilha do Faial, Açores, em 18 de Março de 1953. Estreou-se como actriz em 1976, na peça “Amantes Pueris” de Fernand Crommenlynk, sob a direcção de Gastão Cruz. Posteriormente, trabalhou com vários encenadores como Ricardo Pais e João Lourenço, entre outros.
No final da década de 1980, iniciou uma colaboração regular com o Teatro da Cornucópia, sendo dirigida por Luís Miguel Cintra e Rui Mendes. Mais recentemente, em 2006, interpretou “Laramie” do venezuelano Moises Kaufman, com Diogo Infante, no Teatro Maria Matos. Dos diversos prémios que recebeu no teatro, destaca-se o Prémio Garrett (1988), pela interpretação em “Rei Bamba” de Lope de Vega.
Com uma filmografia de quase trinta e cinco títulos, salientam-se os seus trabalhos com realizadores como António Pedro Vasconcelos, Manoel de Oliveira, João César Monteiro, João Canijo, João Mário Grilo, João Botelho, Fernando Matos Silva, Fernando Lopes e António da Cunha Telles.
O seu papel no filme “Dans la Ville Blanche” do suíço Alain Tanner, em 1983, valeu-lhe o reconhecimento internacional e a participação em produções estrangeiras, nomeadamente em Espanha, França e Itália. Em 1995, contracenou com Marcello Mastroianni no filme “Afirma Pereira” de Roberto Faenza.
Integrou o júri de diversos eventos: Festival du Court Métrage de Clermont-Ferrand (1988); 11ª Mostra de Valência – Cinema del Mediterrani (1990); selecção nacional para o European Film Award; e selecção do filme português candidato ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro.
No cinema, entre os prémios recebidos, é de salientar: o Prémio de Melhor Actriz no Festival du Court Métrage de Clermont-Ferrand, pela sua interpretação em “D'après Maria” de Jean Claude Robert, filme também nomeado para os British Academy Awards e Prémios César do Cinema Francês; e o Sete de Cinema para a melhor interpretação feminina em “Dans La Ville Blanche”.
Participou ainda na série “O Testamento” para a RTP e no telefilme “Matar Saudades”. Dobrou mais de oitenta desenhos animados, dando a sua voz às mais diversas personagens. 

domingo, 17 de março de 2013

17 DE MARÇO - RAUL MEIRELES

EFEMÉRIDERaul José Trindade Meireles, futebolista português, actualmente a jogar no Fenerbahçe da Turquia, nasceu no Porto em 17 de Março de 1983. Convocado regularmente para as selecções portuguesas de formação, Raul Meireles tem no seu currículo um título de Campeão da Europa de Sub-17, conquistado em Israel em 2000. No Verão de 2004, fez parte da equipa portuguesa que conseguiu o terceiro lugar no Campeonato da Europa de Sub-21, na Alemanha, e que valeu a Portugal e ao próprio jogador, a presença nos Jogos Olímpicos de Atenas em 2004.
Raul Meireles é um centro-campista defensivo, que alia à força física uma invejável cultura táctica, possuindo também um remate forte de meia distância. Tendo começado nas escolas do Boavista FC, foi emprestado ao Desportivo das Aves na temporada de 2001/02. Regressou ao Boavista no Verão de 2003 para dar início a uma época de grande sucesso pessoal, tendo participado em 29 jogos da Primeira Liga, com apenas 21 anos de idade. Em Julho de 2004, assinou um contrato por cinco temporadas com FC Porto.
Em Agosto de 2010, cobiçado por vários clubes europeus, acabou por se transferir para o Liverpool de Inglaterra, por 14 milhões de euros. Um ano depois, trocou o Liverpool pelo Chelsea FC, poucas horas antes do encerramento da época de transferências.
Alcançou 33 internacionalizações pela Selecção Portuguesa aos 27 anos. Foi ele quem marcou o golo frente à Bósnia, que carimbou definitivamente a ida da selecção ao Mundial da África do Sul.
Do seu palmarés, fazem parte: quatro títulos de Campeão de Portugal (2005/06, 2006/07, 2007/08 e 2008/09), três Taças de Portugal (2005/06, 2008/09 e 2009/10), três Super Taças de Portugal (2006, 2009 e 2010), a Liga dos Campeões da UEFA de 2003/04 e a Taça Intercontinental de 2004, tudo em representação do Porto. Pelo Liverpool, venceu uma Taça da Liga. Ao serviço do Chelsea, conquistou a FA Cup (2011/12) e a Liga dos Campeões da UEFA da mesma época. Em Setembro de 2012, transferiu-se para o Fenerbahçe.

sábado, 16 de março de 2013

16 DE MARÇO - BERNARDO BERTOLUCCI

EFEMÉRIDEBernardo Bertolucci, guionista e realizador italiano, nasceu em Casarola, Parma, no dia 16 de Março de 1941. Em 1961, trabalhou como assistente de direcção, no filme “Accattone” de Pier Paolo Pasolini.
Em 1962, foi o realizador de “La commare secca”. A sua inclusão na lista dos grandes cineastas contemporâneos deu-se logo a seguir, com o seu segundo filme, “Antes da revolução”, em que já demonstrava um estilo político e comprometido com a sua época. Em 1967, escreveu o guião de “Era uma vez no Oeste”, um dos melhores filmes de Sérgio Leone.
Já nos Estados Unidos, dirigiu “O conformista” (1970), que foi nomeado para o Oscar de Melhor Guião. Em 1972, realizou a sua primeira obra-prima, “O último tango em Paris”, protagonizado por Marlon Brando e Maria Schneider, que escandalizou meio mundo em virtude das suas cenas ousadas e lhe deu mais uma nomeação para os Oscars, desta vez como realizador. Depois de fazer “1900, um filme monumental e ambicioso, Bertolucci virou-se para um drama intimista, em “La Luna”.
Em 1987, realizou um dos seus maiores sucessos, “O último imperador”, filmado em grande parte na Cidade Proibida de Pequim e que recebeu 9 Oscars, incluindo os de Melhor Filme e de Melhor Realizador. Depois, com “Um chá no deserto”, surgiu nova obra-prima. Neste filme, rodado em 1990, em pleno Sahara, Bertolucci extraiu interpretações fantásticas de Debra Winger e John Malkovich.
Os seus últimos filmes tratam de relacionamentos e sentimentos, sendo profundamente intimistas, como “Beleza roubada” e “Assédio”. Bertolucci é um realizador ousado, que gosta de movimentos de câmara sofisticados, de guiões inteligentes e que não teme “fazer experiências”, mesmo quando trabalha com orçamentos milionários.
O filme “O último imperador”, já referido, recebeu ainda dois Globos de Ouro e um César. Em 2011, Bernardo Bertolucci foi premiado com a Palma de Ouro do Festival de Cannes, pelo conjunto da sua obra. Em 2012, foi-lhe atribuído um European Award. É Grande Oficial da Ordem do Mérito Italiana, condecoração recebida em 1988. Continua em plena actividade.

sexta-feira, 15 de março de 2013

BEBE - SIEMPRE ME QUEDARÁ

15 DE MARÇO - PHILIPPE DE BROCA

EFEMÉRIDEPhilippe Claude Alex de Broca de Ferrussac, realizador de cinema francês, nasceu em Paris no dia 15 de Março de 1933. Morreu em Neuilly-sur-Seine, em 26 de Novembro de 2004, vítima de doença oncológica provocada pelo tabaco. De origem nobre, filho de um industrial de fotografia, estudou na École Technique de Photographie et de Cinématographie, onde fez a sua primeira curta-metragem.
Trabalhou depois como operador, no serviço de imprensa do exército, em plena guerra da Argélia. Iniciou a sua carreira, no início dos anos 1950, como assistente de Claude Chabrol e François Truffaut, na realização de vários filmes do movimento Nova Vaga.
De Broca dizia que «gostava principalmente de fazer rir» e admitia ver a vida apenas sob os seus aspectos cómicos. Recebeu um Urso de Prata no Festival de Berlim em 1960, pelo seu filme “Les Jeux de l'amour”. O seu grande sucesso foi “O Homem do Rio” (1963), com o actor Jean-Paul Belmondo, que protagonizaria vários dos seus filmes. Filmou igualmente com outros grandes actores franceses, como Yves Montand, Jean-Pierre Cassel, Annie Girardot, Philippe Noiret e Catherine Deneuve.
No fim dos anos 1960, em virtude do fracasso com o filme “Roi de Coeur”, ficou arruinado e cessou a sua actividade cinematográfica. Durante dois anos, foi guia na selva africana, uma experiência que o inspiraria para o filme “O Africano”, realizado alguns anos mais tarde (1983).
Regressado a Paris, reatou a sua carreira, alternando fracassos com êxitos e fazendo também alguns filmes para televisão (1996/2003). A sua última longa-metragem, “Vipère au poing”, estreada pouco antes da sua morte, teve enorme sucesso. Philippe de Broca era Cavaleiro da Legião de Honra Francesa

quinta-feira, 14 de março de 2013

14 DE MARÇO - JEAN POIRET

EFEMÉRIDEJean Poiret, de seu verdadeiro nome Jean Gustave Poiré, actor, realizador, autor, encenador e cenógrafo francês, morreu em Suresnes no dia 14 de Março de 1992, vítima de crise cardíaca. Nascera em Paris, em 17 de Agosto de 1926.
Filho único de um operário vidreiro e de uma contabilista, passou a infância em Villejuif (Val-de-Marne, na região parisiense). Frequentou cursos de arte dramática em Paris, tornando-se amigo de Michel Serrault, com quem formaria um duo inesquecível durante muitos anos.
Começou pelo cinema, em 1953, aparecendo em “Os Três Mosqueteiros” de André Hunebelle. Foi porém dois anos mais tarde que, ao lado de Brigitte Bardot e de Michel Serrault, em “Cette sacrée gamine”, se tornaria conhecido do grande público. Trabalhou então com Sacha Guitry, François Truffaut e Claude Chabrol, entre outros. Seguiram-se inúmeros filmes, muitos com grande sucesso. Em 1985, Claude Chabrol ofereceu-lhe o papel principal nos filmes “Poulet au vinaigre” e “Inspecteur Lavardin”, que seriam adaptados também para televisão.  
Na sua primeira e única passagem atrás da câmara, adaptou o romance de Alexandre Jardin “Le Zèbre”, que veio a ser estreado três meses após a sua morte. Grande figura também do teatro, escreveu e interpretou várias peças, em que as mais conhecidas foram “A Gaiola das Loucas” (mais tarde, adaptada ao cinema), “Feliz Páscoa” e “Pato com Laranja”. Ao todo, participou em mais de sessenta filmes, adaptou cinco peças de teatro, foi autor de dez e fez parte do elenco de dezassete. 

quarta-feira, 13 de março de 2013

APANHADOS - A COBRA FUGIU!

video

13 DE MARÇO - RITA PEREIRA

EFEMÉRIDERita Andreia Martins Pereira, modelo, apresentadora de televisão e actriz portuguesa, nasceu em Carcavelos no dia 13 de Março de 1982.
Iniciou-se na moda aos 16 anos, tendo feito o Curso de Manequim na escola de Ana Wilson. Tem sido o rosto de inúmeras produções publicitárias, fez parte do elenco de alguns filmes e tem participado em várias séries de TV e telenovelas, tendo um contrato de exclusividade com a TVI.
Entre 2001 e 2005, frequentou o Curso de Comunicação e Publicidade no Instituto Português de Estudos Superiores, licenciando-se na Universidade Autónoma de Lisboa.
Teve grande sucesso, quando interpretou o papel de Soraia na série juvenil “Morangos com açúcar”. Frequentou, em Los Angeles, o curso de representação do Lee Strasberg Theatre & Film Institute. Em 2010, a telenovela “Meu Amor”, que protagonizou, recebeu o International Emmy Award. Em Abril de 2012, realizou uma sessão fotográfica ousada para a revista “Playboy”. Tem sido também apresentadora de programas de televisão. 

terça-feira, 12 de março de 2013

MAU NOME PARA MASSAMÁ...


BEM APANHADOS...

video

SURPRISE... SURPRISE...

CLICA NO SITE ABAIXO.

Coloca um endereço (rua, nº, cidade, estado - eventualmente - e país, sem acentos nem cedilhas)  
E ESPERA …

12 DE MARÇO - BLANCA VARELA

EFEMÉRIDEBlanca Leonor Varela Gonzáles, poetiza peruana, morreu em Lima no dia 12 de Março de 2009. Nascera, também em Lima, em 10 de Agosto de 1926. Publicou várias obras inseridas no Movimento Surrealista e na chamada Geração de 50 da poesia peruana. É considerada uma das vozes mais significativas da poesia lírica hispano-americana no século XX.
Iniciou-se na poesia ainda na Universidad Nacional Mayor de San Marcos de Lima, onde ingressara em 1943 para estudar Letras e Educação. A partir de 1947, começou a colaborar na revista “Las Moradas”. Dois anos depois, chegou a Paris, onde tomou contacto com a vida artística e literária da época, guiada pelo escritor Octavio Paz, uma figura determinante na sua carreira literária, que a pôs em contacto com o círculo de intelectuais latino-americanos e espanhóis radicados em França. Datou dessa época a sua amizade com Jean Paul Sartre, Simone de Beauvoir, Henri Michaux, Alberto Giacometti, Léger, Tamayo e Carlos Martínez Rivas, entre outros.
Viveu depois em Florença e seguidamente em Washington, cidades onde se dedicou a fazer traduções e alguns trabalhos jornalísticos. Em 1962, regressou definitivamente a Lima, só se ausentando para curtas viagens aos Estados Unidos, Espanha e França.
O facto de alguns dos seus livros terem sido traduzidos em alemão, francês, italiano, português e russo, implicou o reconhecimento da sua obra no estrangeiro. Ao contrário de outros escritores, Blanca Varela raramente dava entrevistas e as suas aparições em público eram raras e discretas.
Foi condecorada com a Medalha de Honra pelo Instituto Nacional de Cultura do Peru. Em 2002, ganhou o Prémio Octavio Paz de Poesia e Ensaio. Em Outubro de 2006, foi a primeira mulher a receber o Prémio Internacional de Poesia Cidade de Granada “Federico Garcia Lorca”. Na cerimónia de entrega deste prémio, em Maio de 2007, foi anunciado que Blanca Varela acabara de vencer igualmente a XVI edição do Prémio Rainha Sofia, de Poesia Ibero-americana, outorgado conjuntamente pelo Património Nacional de Espanha e pela Universidade de Salamanca

PARA SORRIR

segunda-feira, 11 de março de 2013

ZECA AFONSO - CANÇÃO DO DESTERRO


11 DE MARÇO - THILO KRASMANN

EFEMÉRIDEThilo Krasmann, orquestrador e produtor de televisão português, de origem alemã, morreu em Portimão no dia 11 de Março de 2004. Nascera em Bremen, em 16 de Abril de 1933.
Acordeonista e diplomado como professor de música, veio para Portugal em 1957. Em Lisboa, começou por dar aulas de acordeão na Casa Gouveia Machado, tendo sido professor de Raul Mendes, um dos elementos do Mendes Harmonica Trio.
Em 1962, fundou a Thilo's Combo, que viria a lançar vários discos, colaborando com nomes como o Duo Ouro Negro, Paula Ribas e Simone de Oliveira. Na RTP, participou no conhecido programa “Zip-Zip” (1969) de Fialho Gouveia, Carlos Cruz e Raul Solnado.
Foi o orquestrador das canções que representaram Portugal nos Festivais da Eurovisão de 1976, 1978 e 1979. Foi ainda um dos autores de “Have A Smile On Your Face” de Carlos do Carmo.
Nos finais dos anos 1970, fundou a Edipim, juntamente com Vítor Mamede, empresa vocacionada para a produção de produtos televisivos, que produziria a primeira telenovela portuguesa “Vila Faia”.
Regressou aos Festivais da Eurovisão em 1994 e 1995. Em Junho de 1996, foi condecorado pelo Presidente da República. Voltou a participar no Euro Festival de 1997, sendo o autor da música com que Célia Lawson representou Portugal.
Faleceu em 2004, no Hospital de Portimão, vítima de doença prolongada. Quando da sua morte, Raul Solnado declarou que «Krasmann era o pai da nova música portuguesa», salientando que «as influências que ele trouxera da Alemanha tinham sido fundamentais para a evolução da música no nosso país». Na Abrunheira, local onde foram erigidos os estúdios da Edipim e onde foi gravada a primeira telenovela portuguesa, foi dado o seu nome a uma rua.

domingo, 10 de março de 2013

10 DE MARÇO - DÓRDIO GUIMARÃES

EFEMÉRIDEDórdio Leal Guimarães, poeta, cineasta, ficcionista e jornalista português, nasceu no Porto em 10 de Março de 1938. Morreu em Lisboa, no Hospital do Desterro, em 3 de Julho de 1997. Foi companheiro inseparável de Natália Correia durante cerca de 30 anos, tendo-se casado com a poetisa em 1990. Enviuvou em 1993 e, apesar de bastante mais novo, só lhe sobreviveu quatro anos.
Foi colaborador da revista “Vida Mundial”. Trabalhou como actor, assistente de realização, assistente de produção, argumentista, produtor ou realizador em mais de dez filmes, alguns dos quais sobre escritores portugueses. O pai, Manuel Guimarães, fora também um conceituado realizador de cinema.  
Entre 1961 e 1995, publicou 18 obras literárias (uma novela, um romance e 15 livros de poesia). Foi realizador igualmente de programas culturais televisivos, entre os quais a série “Mátria”da autoria de Natália Correia. Participava em várias tertúlias, onde sobressaíam as do bar O Botequim, propriedade de sua mulher.
Grande parte da vida de Dórdio foi passada sob a sombra da sua musa inspiradora. Infelizmente para ele, a sombra era grande demais, pois o talento de Natália foi sempre imenso e multifacetado, e isso não lhe permitiu afirmar-se plenamente como autor.
No testamento, deixou à Biblioteca Nacional de Lisboa todos os seus manuscritos e os de Natália Correia, bem assim como o acervo de fotografias e vídeos. Por outro lado, doou o recheio e a biblioteca (cerca de 40 mil livros), existentes na sua casa de Lisboa, ao Governo Regional dos Açores, de onde Natália era natural.  

sábado, 9 de março de 2013

9 DE MARÇO - FERNANDO MENDES

EFEMÉRIDEFernando Jorge Alves Mendes, actor e apresentador de televisão português, nasceu em Lisboa no dia 9 de Março de 1963. O pai, Vítor Mendes, já falecido, também era actor de teatro de revista, gozando de grande popularidade. Fernando Mendes é solteiro e tem dois filhos.
Essencialmente comediante, com trabalhos na televisão, no teatro e no cinema, tem entrado em muitas peças teatrais, revistas, filmes, telenovelas e séries televisivas, tendo feito várias tournées pelo país.
Estreou-se em Novembro de 1980, com dezassete anos, na revista “Reviravolta”, representada no Teatro ABC, contracenando com Eugénio Salvador, Florbela Queiroz, Rosa do Canto e Mara Abrantes.
Em 1988, recebeu o Prémio de Melhor Actor do Ano, atribuído pelo jornal “Sete”. Apresentou, em 1995, o 1º Grande Prémio RTP de Danças de Salão, juntamente com Rosa do Canto. Em 2007, lançou o livro “Petiscos de fazer crescer a água na boca”.
É o actual apresentador do concurso “O Preço Certo”, na RTP 1. Neste programa, tem quatro assistentes, para além da voz off de Miguel Vital. Uma das assistentes (Lenka da Silva) foi já por duas vezes capa da revista masculina “Maxmen”. Apesar de ser um concurso, Fernando Mendes deu-lhe um cunho de programa de entretenimento e diversão, com as suas tiradas, o seu sentido de humor e as suas brincadeiras com os concorrentes, assistentes e equipa técnica. 

sexta-feira, 8 de março de 2013

"APANHADOS" - PARA EVITAR A MULTA...

video

8 DE MARÇO - DOMINGOS SEQUEIRA

EFEMÉRIDEDomingos António de Sequeira, pintor português, morreu em Roma no dia 8 de Março de 1837. Nascera em Lisboa, em 10 de Março de 1768.
De origem modesta, filho de um barqueiro, foi educado na Casa Pia de Lisboa, após o que frequentou o curso de Desenho e Pintura na Aula Régia. Trabalhou depois como decorador.
Em 1788, com 20 anos, obteve uma bolsa de D. Maria I e partiu para Itália, tendo estudado na Academia Portuguesa de Roma, onde recebeu aulas de Pintura e Desenho. Foi admitido depois como professor na Academia di San Luca, tendo pintado a “Degolação de São João Baptista”, a “Alegoria à Casa Pia” e a “Aparição de Cristo a D. Afonso Henriques”, ganhando vários prémios concedidos por academias italianas.
Regressou a Lisboa em 1795 e, de 1798 a 1801, viveu no Convento da Cartuxa de Laveiras. Nomeado pintor da corte em 1802 e co-director da empreitada de pintura do Palácio da Ajuda, aqui pintou abundantemente. Em 1803, foi professor de Desenho e Pintura das princesas e, em 1806, director da aula de Desenho da Academia do Porto. Neste período, pintou alegorias patrióticas e retratos, fazendo também o desenho de peças para oferecer a Beresford, militar britânico que auxiliou Portugal nas lutas Napoleónicas.
Viveu com intensidade as convulsões políticas da época, sendo sucessivamente partidário do exército de invasão francês (“Junot protegendo Lisboa”, 1808); da aliança inglesa (“Apoteose de Wellington”, 1811); da revolução liberal (retratos de 33 deputados, 1821); e da Carta Constitucional (D. Pedro IV e Maria II, 1825).
Exilou-se em França quando da Vila-Francada, contra-revolução absolutista. Expôs no LouvreA Morte de Camões” (quadro desaparecido mais tarde no Brasil), obra que lhe deu uma medalha de ouro e o colocou entre os pintores românticos mais representativos, ao lado de Eugène Delacroix. Acabou por se fixar em Roma em 1826, para se dedicar à pintura religiosa (“Vida de Cristo”, 1828; “Juízo Final”, 1830; etc.). Morreu na capital italiana, sem ter voltado a pisar solo português. O seu túmulo encontra-se na  Chiesa di Sant'Antonio dei Portoghesi.
Foi autor da baixela neoclássica de cem peças oferecida a Wellington em 1811/1816 e que se encontra presentemente na Apsley House em Londres. Em termos estéticos, Domingos Sequeira é considerado o pintor de transição do Neoclassicismo para o Romantismo.

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...