sábado, 3 de junho de 2017

3 DE JUNHO - PAULETTE GODDARD

EFEMÉRIDEPaulette Goddard, de seu verdadeiro nome Pauline Marion Goddard Levy, actriz norte-americana, nasceu em Nova Iorque no dia 3 de Junho de 1910. Morreu em Ronco, na Suíça, em 23 de Abril de 1990. Ficou famosa sobretudo pelos seus filmes para a Paramount Pictures nos anos 1940 e pelos seus casamentos com homens notáveis: Charles Chaplin, Burgess Meredith e Erich Maria Remarque.
O pai era judeu e a mãe pertencia à igreja episcopal. Divorciaram-se quando Paulette ainda era jovem, ficando aos cuidados da mãe. O pai praticamente desapareceu da sua vida, ressurgindo somente no final de 1930, depois dela se ter tornado uma estrela. Inicialmente, pareciam ter um bom relacionamento e assistiram juntos as estreias dos filmes, mas depois ele alegou em mais de um artigo de revista que fora ela que o abandonara quando jovem. Nunca mais se reconciliaram e, após a sua morte, ele deixou-lhe apenas um dólar em testamento. Ela ficou, assim, sempre mais perto da mãe e, nos primeiros anos, teve a ajuda de um tio-avô.
Paulette frequentou a Washington Irving High School, em Manhattan, e depois decidiu dedicar-se ao mundo artístico. Encontrou trabalhos como modelo, entre 1924 e 1928. Conseguiu participar num grupo de coristas, alegando ter nascido em 1905, o que lhe conferia 5 anos a mais e a possibilidade de poder actuar nos palcos da Broadway.
A sua estreia foi na revista “No Foolin” em 1926 e desempenhou um pequeno papel em “Rio Rita”. No ano seguinte, actuou em “The Unconquerable Male”. Entretanto, mudou o primeiro nome para Paulette e adoptou o apelido de solteira da sua mãe.
Paulette casou pela primeira vez aos 16 anos de idade, com o industrial do sector madeireiro Edward James. Em 1931, depois de se divorciar, foi para Hollywood. Participou no grupo Goldwyn Girls, em comédias musicais produzidas por Samuel Goldwyn.
Em 1932, conheceu Charles Chaplin, que a convidou para integrar o elenco de “Tempos Modernos” (1936), filme que teve grande sucesso na época. A sua carreira, contudo, não descolou logo devido aos comentários sobre o seu relacionamento com Chaplin. Casaram-se secretamente nesse mesmo ano, acabando por se separar em 1940.
Ainda antes do lançamento de “The Great Dictator” de Chaplin, em Abril de 1940, Paulette trabalhou em diversos filmes, sendo depois contratada pela Paramount Pictures, onde ficou até 1949, fazendo 21 filmes e sendo cedida a outros estúdios em 4 outras películas.
Os anos 1940 foram o período em que Paulette mais trabalhou e sempre com grandes actores e cineastas, como Cecil B. DeMille, Burgess Meredith (com quem esteve casada entre 1944 e 1949), Bob Hope, James Stewart, Gary Cooper, Fred Astaire, Charles Boyer, Olivia de Havilland e Jean Renoir, entre outros.
Foi nomeada para o Oscar, na categoria de Melhor Actriz Secundária, em 1942. O seu filme de maior sucesso terá sido “Kitty” (1945), onde desempenhou o papel principal.
No final da década de 1940, entrou em declínio. Depois de sair da Paramount, ainda fez – entre 1949 e 1954 – oito filmes como freelancer, entre eles “Anna Lucasta” (1949) e “The Torch” (1950).
Após actuar em alguns filmes secundários, abandonou o cinema e foi viver para a Suíça, onde casou com o escritor alemão Erich Maria Remarque, em 1958. Enviuvou em 1970.
Depois da morte de Remarque, com quem vivia longe do cinema, nos arredores de Lugano no sul da Suíça, Paulette dedicou-se a negócios com jóias. Ainda aceitou um papel, o de mãe de Claudia Cardinale em “Gli Indifferenti”. O seu último filme, feito para televisão, foi “Snoop Sisters”, produzido pela Universal em 1972.
Goddard foi tratada a um cancro da mama, aparentemente com sucesso, embora a cirurgia tenha sido muito invasiva e o médico tenha tido de retirar várias costelas. Veio a falecer anos depois, vítima de crise cardíaca, a menos de dois meses do seu 80º aniversário. Foi sepultada no cemitério de Ronco, ao lado de Remarque e de sua mãe.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...